terça-feira, 20 de novembro de 2007

Encantamento de Sintonia com a Deusa



Grande Mãe! É teu nome que invoco!
E pelo poder dos quatro elementos, água, fogo, terra e ar,
pela quintessência e pelo Consorte,
peço a graça de:
ser teu reflexo entre os homens e mulheres da Terra.
Que eu veja o mundo com seus olhos.
Que eu tenhar a iniciativa para guiar meu caminho pela estrada mais correta.
Conquistar sua proteção.
Fazer o que quiser, sem prejudicar ninguém.
Ter clareza para discernir a luz da treva.
Alcançar com êxito meus desígnios.
Preservar meus amigos.
Respeitar todo ser vivo na face da Terra e fora dela.
Levar o amor dentro e fora de mim.
Ter o amor mágico em meu corpo, alma e espírito.
Ser a virgem, a amante, a mãe, a sábia, ter mil nomes.
Expandir idéias e sentimentos em todos os corações.
Ter estabilidade em todos os níveis.
Lidar adequadamente com mudanças inesperadas.
Conquistar abundância e prosperidade em todos os níveis.
Ter em mim o poder da transmutação.
E também o encanto da sedução e da paixão.
Que eu possa sempre atravessar as brumas,
as fronteiras do tempo e do espaço
e que se revele o que me é permitido.
Pela Deusa eu caminho.
E nas mãos Dela entrego minha vida.
MEU CORPO É A DEUSA.
MINHA MENTE É A DEUSA.
MINHA ALMA É A DEUSA.
E ASSIM É.

Sou uma Bruxa porque:



Sempre que abro os olhos, ao despertar, me emociono por mais um dia para viver, livre e comprometida com as coisas e as causas da Grande Mãe. Neste momento, procuro refletir a respeito dos tantos dias que nos foram tirados, por inveja, injúria e cobiça, e peço luzes e força a Deusa Mãe para o dia de hoje.

Sou uma bruxa porque, ao abrir as janelas e respirar o ar da manhã, agradeço à Deusa pelo dom da vida e celebro o Pai ar pela sua presença em mim.

Sou uma bruxa porque, ao me alimentar, celebro aquele bendito alimento e bendigo todos aqueles que contribuíram com seu trabalho para que o mesmo chegasse à minha mesa.

Sou uma bruxa porque, sempre de alguma forma renasce o amor em mim, e minha alma agradecida transmite luz.

Sou uma bruxa porque sempre me envolvo e me comprometo a serviço da justiça e da paz no mundo.

Sou uma bruxa porque estou sempre insistindo em abrir as portas do meu coração, para transmitir os ensinamentos dos antigos e facilitar o despertar da grande arte nos corações dos que me cercam.

Sou uma bruxa porque estou sempre acendendo um fósforo sem maldizer a escuridão.

Sou uma bruxa porque busco a verdade sem jamais me conformar com a mentira e o subterfúgio.

Sou uma bruxa porque sempre renuncio ao egoísmo e procuro ser generosa.

Sou uma bruxa quando sorrio para alguém, mesmo estando muito cansada, pois conheço o valor do sorriso.

Sou uma bruxa quando preparo um chá que vai curar, ou pelo menos amenizar a enxaqueca daquela vizinha chata.

Sou uma bruxa quando tomo um animal em meu colo para lhe amenizar a dor. Quando planto e colho uma erva e agradeço a Gaia por tamanha dádiva.

Sou uma bruxa quando persigo a luz de uma estrela com o olhar e o coração nas trevas que nos circundam. Quando levo a fé nos Deuses por entre linhas, apenas com minhas ações.

Sou uma bruxa quando, em rijo, sinto o rio do sangue da vida que escoa nas minhas entranhas. Quando sou fogo que estimula o coito, e água que transforma e modifica cursos.

Sou uma bruxa porque me aconchego no seio sagrado da terra, voltando ao colo sagrado. Quando abro o círculo invocando os ventos do norte, buscando no canal dos antigos o néctar do renascer.

Sou uma bruxa porque quando falo em liberdade me sinto águia. Quando falo de sabedoria me sinto coruja, e quando falo do belo me sinto arara.

Sou uma bruxa porque estou sempre atenta ao perfume, que não posso derramar no próximo sem que também me atinja, e a lei tríplice se faz em mim.

Sou uma bruxa quando vivencio o sabor do pão partilhado. Quando procuro pedir perdão e recomeçar.

Sou uma bruxa quando me recolho ao silêncio perante um julgamento preconceituoso ou injusto a meu respeito, e entrego ao tempo, o único pólo óptico da verdade imutável.

Sou bruxa quando desenvolvo em meu ser a humildade de viver e morrer como o grão de trigo, para depois frutificar searas de luz, de tenacidade e de esplendor.

Sou uma bruxa porque estou sempre ressurgindo das cinzas como Fênix. E assim, retomo a minha vivência concreta, cujo itinerário principal é a minha Deusa interior, forte, guerreira, translúcida, serena e amorosa a despertar em mim.

Por tudo isso sou uma Bruxa!

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Tradições



Falar sobre Tradição não é um assunto simples dentro da Bruxaria.
De acordo com o dicionário “Tradição é um método específico de ação, atitude ou ensinamentos que são passados de geração para geração”.
Por exemplo, na Wicca consiste em um conjunto de rituais, ética, instrumentos e crenças que são passados para os iniciados de um determinado coven, ela mesma é subdividida em diversas Tradições, cada uma com sua própria estrutura, rituais e mitos próprios passados de praticante para praticante.
Mas todas elas seguem um mesmo princípio:

A celebração da Deusa e do Deus através de rituais sazonais ligados à Lua e ao Sol, os Sabaths e Esbaths.
O respeito à Terra, que é encarada como uma manifestação da própria Deusa.
A magia é vista como uma parte natural da Religião e é utilizada com propósitos construtivos, nunca destrutivos.
O proselitismo é tido como inadmissível.

Modificada de uma Tradição para outra, a filosofia, os ritos, as concepções são diversas e diferentes e isso acontece, às vezes, dentro de uma mesma linha. Com uma certa freqüência, algumas Tradições não reconhecem um iniciado em outra, o que faz com que muitos praticantes da Bruxaria se iniciem em mais de uma Tradição distinta.
Existem alguns pontos divergentes entre as diversas Tradições, como por exemplo, o Livro das Sombras.
Cada uma possui seu próprio onde são descritos seus Ritos sagrados e as idéias sobre a Divindade. Em alguns casos é comum os integrantes de uma Tradição afirmar que o seu Livro é o único descendente do primeiro Livro das Sombras redigido.
Outro ponto de divergência entre as Tradições relaciona-se à hierarquia. Algumas são extremamente hierárquicas, enquanto em outras a hierarquia é inadmissível e tida como tabu.
Algumas Tradições aceitam e incentivam seus membros a praticarem Bruxaria sozinhos, enquanto em outras é terminantemente proibido a prática mágica de qualquer tipo fora do Coven e sem a supervisão do Alto Sacerdote ou da Alta Sacerdotisa. Devido à grande quantidade de tradições existentes, e da pouca ou nenhuma informação disponível sobre elas, torna-se difícil escolher uma definida.

Algumas Tradições
Por necessidade, estas definições são gerais, pois cada Bruxo mesmo que faça parte de uma Tradição específica poderia definir seu caminho como sendo diferente.

Tradição 1734: A tradição 1734 de Wiccan foi desenvolvida por Robert Cochrane, um poeta britânico e o filósofo. Procurou restaurar “a velha religião”.
A tradição 1734 é desenvolvida fora de uma série da correspondência entre Robert Cochrane e Joseph Wilson, um americano.
A tradição 1734 não há nenhuma estrutura hierárquica oficial. Focaliza no meditação.
A tradição 1734 usa um arranjo diferente da colocação dos elementos e de seus rituais do que a maioria de tradição de Wiccan.
Tipicamente britânica é às vezes uma Tradição eclética baseado nas idéias do poeta Robert Cochrane, um auto-intitulado Bruxo hereditário que se suicidou através da ingestão de uma grande quantidade de beladona. 1734 é usado como um criptograma (caracteres secretos) para o nome da Deusa honrada nesta tradição.

Tradição Alexandrina
: Uma Tradição popular que começou ao redor da Inglaterra em 1960 e foi fundada por Alex Sanders. A Tradição Alexandrina é muito semelhante a Gardneriana com algumas mudanças menores e emendas. Esta Tradição trabalha à maneira de Alex e Maxine Sanders, que diziam terem sido iniciados por sua avó em 1933. A maioria dos rituais são muito formais e embasados na Magia cerimonial. É também uma tradição polarizada, onde a Sacerdotisa representa o princípio feminino e o Sacerdote o princípio masculino. Os rituais sazonais, na maior parte são baseados na divisão do ano entre o Rei do Azevinho e o Rei do Carvalho e diversos dramas rituais tratam do tema do Deus da Morte/Ressurreição. Como na Tradição Gardneriana a Sacerdotisa é elevada à autoridade máxima. Entretanto, os precursores para ambas Tradições foram homens. Embora similar a Gardneriana, a Tradição Alexandrina tende a ser mais eclética e liberal. Algumas das regras estritas Gardnerianas, tais como a exigência do nudismo ritual, são opcionais.
Alex Sanders intitulou-se a certa altura “Rei das Bruxas”, considerando que o grande número de pessoas que tinha iniciado na sua tradição lhe dava esse direito. Nem os seus próprios discípulos o levaram muito a sério, e para a comunidade Pagã no geral esse título foi apenas motivo de troça, quando não de repúdio. Janet e Stewart Farrar são os mais famosos Bruxos que divulgaram largamente a Tradição Alexandrina em suas publicações.

Tradicional Britânica:
Uma Tradição com uma forte estrutura hierárquica e graus. Os Rituais estão centrados na Tradição Céltica e Gardneriana.
Wicca Céltica: Uma Tradição muito telúrica, com enfoques na natureza, os elementos e elementais, algumas vezes fadas, plantas, etc. Muitas “Bruxas Verdes” (Green Witches) e Adeptos do Druidismo seguem este caminho, centrado no panteão Céltico antigo e em seus Deuses e Deusas.

Tradição Caledoniana ou Caledonni: Uma tradição que tenta preservar os antigos festivais dos escoceses e às vezes é chamada de Tradição Hecatina.

Tradição Picta: É uma das manifestações da Bruxaria tipicamente escocesa. Na maioria das vezes é uma forma solitária da Arte. Seu enfoque prático é basicamente mágico e possui poucos elementos religiosos e filosóficos.

Bruxaria Cerimonial
: Usa a Magia cerimonial para atingir uma conexão mais forte com as divindade e perceber seus propósitos mais altos e suas habilidades. Seus Rituais são freqüentemente derivações da Magia Cabalística e Magia Egípcia. Embora certamente, mas não de forma intencional, este caminho é infestado freqüentemente por egoístas e pessoas inseguras que usam a Magia Cerimonial para duas finalidades (adquirir tudo aquilo que querem, atingir níveis mais altos para poderem olhar de cima). Estes atributos não são uma regra em todos os Bruxos Cerimoniais, e há muitos Bruxos sinceros neste caminho.

Tradição Diânica: Algumas Bruxas Diânicas só enfocam seus culto na Deusa, são muito politicamente ativos, e feministas. Outras simplesmente enfocam seu culto na Deusa como uma forma de compensar os muitos anos de domínio Patriarcal na Terra. Algumas usam este título para denotar que são “as Filhas de Diana”, a Deusa protetora delas. Há Bruxas Diânicas que são tudo isto, algumas que não são nada disto, e outras que são um misto disto. A Arte Diânica possui duas filiais distintas: Uma filial, fundada no Texas por Morgan McFarland que dá a supremacia à Deusa em sua thealogy, mas honra o Deus Cornífero como seu Consorte Amado e abençoado. Os membros dos Covens dividem-se entre homens e mulheres. Esta filial é chamada às vezes “Old Dianic” (Velha Diânica), e há alguns Covens descendentes desta Tradição, especialmente no Texas. Outros Covens, similares na thealogy, mas que não descendem diretamente da linha de McFarland, e que estão espalhados por todo EUA.
A outra filial, chamada às vezes de Feitiçaria Feminista Diânica, focaliza exclusivamente a Deusa e somente mulheres participam de seus Covens e grupos. Geralmente seus rituais são livres e não são hierárquicos, usando a criatividade e o consenso para a realização de seus rituais. São politicamente um grupo feministas. Há uma presença lésbica forte no movimento, embora a maioria de Covens estejam abertos a mulheres de todas as orientações.

Tradição Georgina: Esta Tradição foi criada por George Patterson, que se auto intitulou como sendo um “Sumo Sacerdote Georgino”. Quando começou o seu próprio Coven, chamou-o de Georgino, já que seu prenome era George. Se há uma palavra que melhor pode descrever a Tradição de George, seria “Eclética”. A Tradição Georgina é um composto de rituais Celtas, Alexandrinos, Gardnerianos e tradicionais. Mesmo que a maior parte do material fornecido aos estudantes sejam Alexandrinos, nunca houve um imperativo para seguir cegamente seu conteúdo. Os boletins de noticias publicados pelo fundador da Tradição estavam sempre cheio de contribuições dos povos de muitas outras Tradições. Parece que a intenção do Sr. Patterson era fornecer uma visão abrangente aos seus discípulos.

Ecletismo:
Um Bruxo eclético é aquele que funde idéias de muitas Tradições ou fontes. Assim Como no caldeirão de uma Bruxa, são somados elementos para completar a poção que é preparada, assim também são somadas várias informações de várias Tradições para criar um modo mágico de trabalhar. Esta "Tradição" que realmente não é uma Tradição é flexível. Geralmente, são criados rituais e Covens de estrutura livre.

Tradição das Fadas ou Fairy Wicca
: Há várias facções da Tradição das Fadas. Segundo os membros desta Tradição, seus ritos e conhecimentos tiveram origem entre os antigos povos da Europa da Idade do Bronze, que ao migrarem para as colinas e altas montanhas devido às guerras e invasões ficaram conhecidos como Sides, Pictos, Duendes ou Fadas. Uma Bruxa desta Tradição poderia ser ou trabalhar com energias da natureza e espíritos da natureza, também conhecidos como fadas, Duendes, etc. Alguns dos nomes mais famosos desta Tradição são Victor e Cora Anderson, Tom Delong (Gwydion Penderwyn), Starhawk, etc. .
Os seus Precursores são Victor Anderson - nasceu em 1917 e dizia-se descendente de Havaianos e Africanos. Ele foi iniciado no Coven Harpy, em Bend, Oregon, ainda em sua adolescência. O Coven Harpy era um Coven da Fairy Tradition (Tradição das Fadas), que se distinguia muito dos Círculos Gardnerianos e Neo-Pagãos vigentes até então. O Coven Harpy se dissolveu na época da segunda guerra mundial. Victor Anderson casou-se com Cora em 1944 e juntos começaram a introduzir outros conhecimentos e práticas, inclusive materiais das Tradições Gardneriana a Alexandrina, à Tradição das Fadas e resultou no que mais tarde passou a ser chamada de Fairy Wicca ou Feri Faith. Em 1960, Victor e Cora conheceram Gwydion Pendderwen que se tornou um dos mais renomados iniciados do casal Anderson. Gwydion espalhou os conhecimentos da Fairy Wicca na comunidade Neo-Pagã dos anos 70 até meados de 80. Infelizmente Gwydion morreu em um acidente de automóvel em 1981, mas deixou belos cânticos e invocações utilizadas até hoje na liturgia da Tradição. Abaixo dois textos tradicionais da Fairy Wicca, um escrito por Gwydion e outro por Victor Anderson:

O Nome
Por Gwydion Pendderwen
“Ela é a uivadora dos muitos ventos”.
Seu nome é as cinco estações do ano.
Amante do primeiro Senhor
Mãe de dúzias de Deuses que andam pelos caminhos estrelados
Irmã e Esposa do Portador da Luz
Mulher Ela é, de nobre poder da paixão
Branca e azul ao mesmo tempo e ainda o Arco-íris,
Negra como o nulo sonho escuro “ ”.

Bênçãos
Por Victor Anderson - do livro "Espinhos da Rosa de Sangue" editado em 1970
“Tu de todos os sagrados, ultrajados e sábios nomes”.
Mãe de rameiras e iniqüidades,
Que suporta o fiel na destruição e chamas,
Confessando ações vis e blasfêmias.
Pela Terra, Seu corpo fértil, Abençoada Seja.
E pelas Águas Viventes do Seu útero,
Pelo Ar, Seu sopro que se move no mar,
Pelo chamado de vida da grama verde da tumba,
Pelo Fogo, Seu Espírito,
Abençoada Seja com poder!
As Crianças de Seu Amor nascem entre a destruição
Possa haver Luz e clareza nas horas negras
Brilhe Lua Branca, Cresça nos caminhos
De cada um , eterno caminho apaixonado.
Abençoe e ilumine a todos,
Evo-he ““.



História da Tradição


A Fairy Wicca ou Tradição das Fadas tem em comum com as outras vertentes da Arte uma tradição linear de mistérios e poder. Seus membros acreditam na comunicação direta com a Divindade. Isto é um contraste com algumas outras Tradições que praticam o psicodrama ritual em larga escala. Entre as características que mais distingue a Fairy Wicca está o uso do Poder das fadas, que caracteriza a linhagem desta vertente Wiccana, pois segundo os membros desta Tradição, seus ritos e conhecimentos tiveram origem entre os antigos povos da Europa da Idade do Bronze, que ao migrarem para as colinas e altas montanhas, devido às guerras e invasões, ficaram conhecidos como Sides, Pictos, Duendes ou Fadas.
Nesta Tradição é dada uma forte ênfase à expansão da consciência. É uma Tradição voltada à exploração espiritual. Os Fairy Wiccans respeitam profundamente a sabedoria da natureza e tudo o que a envolve. Os Deuses não são vistos como forças psicológicas, arquetípicas ou manifestação do inconsciente coletivo, mas são reais, com um sistema de moralidade diferente do nosso próprio e nós teríamos responsabilidade com cada um deles. Há um corpo específico de cantos e material litúrgico da Tradição. Muito disto se originou com Victor Anderson e Gwydion Pendderwen que forneceram um arsenal para muitos Círculos em funcionamento, cuja criatividade poética é altamente estimada. As práticas mágicas da Fairy Wicca (ou Feri, como Victor chama) são altamente invocatórias, encorajam a manifestação direta dos Deuses através de práticas como "Puxar a Lua Para Baixo", que confere talentos psíquicos ou sensibilidade especial para algumas práticas específicas.
Os Ritos da Fairy Wicca possuem diversos estilos e podem ser tirados de muitas fontes. Há uma linhagem iniciatória traçada desde Victor e Cora Anderson e Gwydion Pendderwen. As energias trabalhadas nesta Tradição incluem:
o a visualização do fogo azul;
o um corpo de material poético e litúrgico;
o Deuses e arquétipos específico da Tradição;
o a doutrina dos Três Selfs;
o o uso de um cíngulo de cor específica;
o um sentido de "tribo" ou "clã” para o Coven;
o a veneração ao Deus Cornífero como o Filho Amado e Consorte da Deusa.

Hoje existem várias facções da Tradição das Fadas, mas podemos apontar como característica inerente à maioria dos praticantes dela o uso dos espíritos da natureza, conhecidos como Fadas, Duendes, Gnomos, etc. em seus rituais. Embora o Victor Anderson seja reconhecido mundialmente como o professor-fundador desta Tradição, é possível identificar influências que formaram a Fairy Wicca antes de sua forma presente evoluir para ser o que é hoje.
Há influência de uma dispora africana muito forte, principalmente Dahomeana, e a Teoria do 3 Selfs (Selves-em inglês correto) foi trazida da Magia Kahuna. O material de Victor não é a única fonte dentro da Tradição e existem inúmeros outros.
A Fairy Wicca é uma Tradição extremamente aberta à evolução e cada iniciado traz uma direção nova às suas práticas e rituais. Alguns praticantes, como Gwydion e Eldri Littlewolf, enredaram em caminhos Xamânicos, além de trabalharem extensivamente com a Religião Céltica. Outras influências (como a Meditação Tibetana e Magia Cerimonial) começaram a fazer parte da Tradição com Gabriel Caradoc. Victor, Gwydion, Caradoc, Brian Dragon e Paladin escreveram lindas poesias e liturgias para rituais que são utilizadas até hoje pelos praticantes da Fairy Wicca em todo o mundo. As aulas de Gabriel forneceram treinamentos excelentes na liturgia da Tradição e seus estudantes continuam a transmitir seus ensinamentos. Francesca De Grandis, que compôs Sharon Knight, adicionou sua inspiração para o corpo de material litúrgico da Tradição e Starhawk usou os conceitos desenvolvidos na Fairy Wicca, expressando suas convicções e práticas, mas fornecendo explicações mais claras sobre o conceito dos 3 selfs e uso do Pentáculo de Ferro.

O Conceito do Self e os Pentáculos

Na Fairy Wicca, o conhecimento humano é dividido em 3 Selfs, Eus ou almas, como também são chamados. Eles são:
o Self Jovem;
o Self Discursivo;
o Self Profundo.

Os 3 Selfs podem nos ajudar a compreender como somos, como funcionamos e integrar as várias partes do nosso ser. O Self é o Eu, a individualidade e a identidade de cada ser humano. Cada pessoa utiliza mais um tipo de Self que o outro e, segundo a Fairy Wicca, é isso que a caracteriza cada um de nós. Além disso, podem ser muito úteis na hora de manipular a energia nos trabalhos mágicos. Abaixo uma pequena correspondência dos 3 Selfs:

Self Jovem: representa a mente inconsciente, ao hemisfério direito do cérebro. Nos comunicamos com ele através de símbolos, imagens e sensações. É ele que nos impulsiona a seguir em direção de nossos sonhos mais recontidos e a arriscar. Está associado à energia elemental do corpo (Raith), já que é através dele que recebemos energia e vitalidade. O Self Jovem percebe o fluxo das energias e se comunica sem a necessidade de palavras. Ele trabalha com o mundo das puras sensações que podem ser visuais ou auditivas. O Self Jovem contém toda a memória das experiências passadas, que emergem através dos instintos. No corpo humano, sua força está concentrada no Chakra Básico. Sua energia é gerada através da água e ar puros, exercícios físicos, sexo e através do transe.

Self Discursivo: representa a mente consciente, o hemisfério esquerdo do cérebro. É ele que organiza o que é concebido pelo Self Jovem. Ele funciona através da análise. É com ele que julgamos, inquerimos, culpamos e nos deixamos culpar. É ele que forma a realidade escondida por trás das aparências, racionaliza e define as experiências sensoriais. Aqui se encontra presente os nossos instintos sociais e necessidades. No corpo humano sua força está concentrada no Chakra Cardíaco. Sua energia é gerada através da combinação da energia de todos os seres.
Self Profundo: é o Divino que existe dentro de cada um de nós e não há referências psicológicas para explicá-lo. O Self profundo representa o espírito, a essência, que existe além do matéria, espaço e tempo. Ele é a junção das polaridades. Ele é o espírito que nos impulsiona e guia. Está associado diretamente ao Self Jovem e indiretamente ao Discursivo. É através dele que estabelecemos conexão com o Divino e a possibilidade de conhecer o passado, presente e futuro. A sua força está concentrada em nossa aura e no nosso Chakra Coronário. Sua energia é gerada pelo Universo e ritos sagrados.

*O Pentáculo de Ferro:

O Pentáculo de Ferro é um dos principais símbolos, utilizados na Tradição das Fadas, para possibilitar que cada pessoa trabalhe suas habilidade mágicas. Através dele aprendemos a dar forma às energias, transformar-se e explorar os 5 pontos do nosso Pentáculo interno:
o Sexo: que é a energia Primal;
o Self: o nosso Eu;
o Paixão: as emoções;
o Orgulho: A auto-estima;
o Poder: O poder interior.
Cada um desses pontos está associado a uma ponta do Pentagrama e o intuito de trabalhar com o Pentáculo de Ferro é fazer com que as 5 pontas estejam em perfeito equilíbrio e harmonia. O Pentáculo de Ferro é apenas uma das 3 formas principais de desenvolver e fortalecer o poder em cada pessoa segundo esta Tradição. Além dele existem mais outras duas que são consideradas essenciais:

*O Pentáculo de Pérola:

Que possui as pontas do amor, sabedoria, conhecimento, lei e poder.

*O Pentáculo de Chumbo:
Que possui as pontas do nascimento, Iniciação, consumação, repouso e morte

Tradição Gardneriana: Fundada por Gerald Gardner nos anos de 1950 na Inglaterra. Esta tradição contribuiu muito para Arte ser o que é hoje. A estrutura de muitos rituais e trabalhos mágicos em numerosas tradições são originárias do trabalho de Gardner. Algumas das reivindicações históricas feitos pelo próprio Gardner e por algumas Bruxas Gardnerianas têm que ainda serem verificadas (e em alguns casos são fortemente contestadas), porém, esta Tradição apoiou muitas Bruxas modernas. Gerald B. Gardner é considerado "o avô" de toda a Neo-Wicca. Foi iniciado em um Coven de Newforest, na Inglaterra em 1939. Em 1951 a última das leis inglesas contra a Bruxaria foi banida (primeiramente devido à pressão de Espiritualistas) e Gardner publicou o famoso livro ”Witchcraft Today”, trazendo uma versão dos rituais e as tradições do Coven pelo qual foi iniciado.
Gardnerianismo é uma tradição extremamente hierárquica. A Sacerdotisa e o Sacerdote governam o Coven, e os princípios do amor e da confiança presidem. Os praticantes desta Tradição trabalham "Vestidos de Céu" (nus), além de manterem o esquema de Seita Secreta. Nos EUA e Inglaterra os Gardnerianos são chamados de "Snobs of the Craft" (Snobes da Arte), pois muitos deles acreditam que são os únicos descendentes diretos do Paganismo purista.Cada Coven Gardneriano é autônomo e é dirigido por uma Sacerdotisa, com a ajuda do Sacerdote, Senhores dos Quadrantes, Mensageiro, etc. Isto mantém o linhagem e cria um número de líderes e de professores experientes para o treinamento dos Iniciandos. A Bíblia Completa das Bruxas (The Witches Bible Complete) escrita por Janet e Stuart Farrar, como também muitos livros escritos por Doreen Valiente têm base nesta Tradição e na Tradição Alexandrina em muitos aspectos.

Tradição Hecatina: Uma Tradição de Bruxos que buscam inspiração em Hécate e tentam reconstruir e modernizar os rituais antigos da adoração a esta Deusa. É algumas vezes chamadas de Tradição Caledoniana ou Caledonii.

Bruxo Hereditário ou Tradição Familiar: Um Bruxo que normalmente foi treinado por um ente familiar e/ou pode localizar sua história familiar em outro Bruxo ou Bruxos. Os Bruxos Hereditários são pessoas que têm, ou supõem ter, uma ascendência Pagã (mãe, tia e avó são os alvos mais visados). A maioria dos Hereditários não aceitam a infiltração de outras pessoas fora de sua dinastia, porém algumas Tradições Familiares “adotam” alguns membros, escolhidos “a dedo” em seu segmento.

Bruxa de Cozinha: Uma Bruxa prática que é freqüentemente eclética enfoca e centra sua magia e espiritualidade ao redor do “forno e do lar”.

Seax-Wicca ou Wicca Saxônica
: Fundada em 1973, pelo autor prolífico, Raymond Buckland que era, naquele momento, um Bruxo Gardneriano. Uma das primeiras tradições precursoras em Bruxos solitários e o auto-iniciados. Estes dois aspectos fizeram dela um caminho popular.

Bruxo Solitário: Uma pessoa que pratica a Arte só (mas pode se juntar às festividades de Sabbat em um Coven ou com outros Bruxos Solitários ocasionalmente). Um Bruxo Solitário pode seguir quaisquer das Tradições, ou nenhuma delas. A maioria de Bruxos ecléticos são Solitários.

Tradição Strega: Começou ao redor na Itália em 1353. A história controversa sobre esta Tradição pode ser achada em muitos locais e em muitos livros. Aradia ...Gospell of the Witches (Aradia...A Doutrina das Bruxas) é um deles.

Tradição Teutônica ou Nórdica
: Teutônicos são um grupo de pessoas que falam o norueguês, fosso, islandês, sueco, o inglês e outros dialetos europeus que são considerados “idiomas Germânicos”. Um Bruxo teutônico acha freqüentemente inspiração nos mitos tradicionais e lendas, Deuses e Deusas das áreas onde estes dialetos se originaram.

Tradição Asatrú: Teve suas origens no Norte da Europa e é uma das facções das Tradições Teutônica e Nórdica. Esta Tradição é praticada hoje por aqueles que sentem uma ligação com os nórdicos e teutônicos e que desejam estudar a filosofia e religiosidade da antiga Escandinávia, através dos Eddas e Runas. Encoraja um senso de responsabilidade e crescimento espiritual, freqüentemente embasados nos conceitos atribuídos aos nobres guerreiros de tempos ancestrais.

Tradição Algard:
Uma americana iniciada nas Tradições Gardneriana e Alexandrina, chamada Mary Nesnick, fundou essa "nova" tradição que reúne ensinamentos de ambas tradições sob uma única insígnia.

Bruxaria Tradicional: Todo Bruxo tradicional dará uma definição diferente para este termo. Um Bruxo tradicional é aquele que freqüentemente prefere o título de Bruxo a Wiccano e define os dois como caminhos muito diferentes. Um Bruxo tradicional fundamenta seu trabalho mágico em métodos históricos da tradição, religiosidade e geografia de seu país.

Tradição Galesa de Gwyddonaid: Uma Tradição Galesa Céltica da Wicca, que adora o panteão galês de Deuses e Deusas. Gwyddonaid foi quem grosseiramente traduziu a ignóbil obra galesa "Árvore da Bruxa (Tree Witch)" e propagou esta forma de trabalhar magicamente.

As Tradições
Veja resumo por datas abaixo, respectivamente pela ordem: Ano de Fundação / Nome da Tradição e/ou Fundador.


1951 Gerald Gardner e seu Coven
1953 Tradição Traditionalist (Cochrane) Witchcraft
1954 Tradição Rhean.
1955 Tradição Boread.
1957 Tradição 'Brighton Coven Craft’
1963 Tradição Alexandrian Witchcraft
1964 Tradição 1734
1965 Tradição 'Sara Cunningham's Family’
1966 Tradição The Regency
1968 Tradição Ordem da Silver Crescent
1968 Ordem Majestic / Tradição Majestic.
1968 Tradição Church and School of Wicca.
1967 Tradição Alexandrian Witchcraft (Ramo Alemão)
1969 Tradição American / Mohsian
1970 Tradição Alexandrian Witchcraft (U.S.A.)
1970 Tradição Dianic (MacFarland) Witchcraft de Wicca Feminista
1970 Tradição Pagan Way Witchcraft
1970 Tradição American Celtic (Sheban)
1970 Tradição Sisterhood and Brotherhood of Wicca
1970 Tradição Du Bandia Grasail Line
1970 Tradição Church of the Eternal Source
1970 Tradição Sicilian Witchcraft (na América)
1972 Tradição Keepers of the Ancient Mysteries
1972 Tradição Seax-Wicca
1973 Tradição Kingstone
1973 Tradição Americana da Assembly of Wiccan
1973 Tradição Open Goddess Tradition
1973 Tradição Druidic Craft of the Wise
1974 Tradição Dianic Feminist Witchcraft
1974 Tradição Isian
1974 Tradição Western Isian
1974 Tradição Algard Witchcraft
1974 Tradição American Traditional Witchcraft
1975 Tradição Blue Star Witchcraft
1975 Tradição Minoan Brotherhood
1975 Tradição Maidenhill Tradition
1975 Tradição Ganymede/Chthonioi branch
1975 Tradição Gardnerian-Eclectic Witchcraft
1975 Tradição Halifax
1975 Tradição Ravenwood
1976 Tradição Cerridwen
1976 Tradição Glainn Sidhr Witchcraft
1976 Tradição 'The Tradition'
1976 Tradição The Roebuck / Ancient Celtic Church
1977 Tradição Temple of Danann
1978 Tradição Hyperborean
1978 Tradição Celtic Wicca (Nossa Senhora do Encantamento)
1979 Tradição Odyssian Tradition (Wiccan Church of Canada)
1980 Tradição Unicorn
1980 Tradição Minnesota Church of Wicca
1980 Tradição Celtic Traditionalist (Fox woods) Witchcraft
1982 Tradição Minoan Sisterhood
1982 Tradição Alexandrian Witchcraft (Irlanda)
1983 Tradição Aquarian Tabernacle
1984 Tradição Communitarian Witchcraft / Wicca Communitas
1983 Tradição Windblown
1985 Tradição New Albion
1985 Tradição Pagans for Peac
1985 Tradição Pagan Way Witchcraft
1985 Tradição Caledonii Tradition
1986 Tradição do NFG branch
1986 Tradição Rainbow Wheel
1986 Tradição North wind
1986 Tradição Sacred Grove
1987 Star Kindler
1987 Tradição Star Kindler
1990 Tradição Eleusinian Tradition
1990 Tradição Blackring Witchcraft
1990 Tradição Serpentstone
1990 Tradição Star Sapphiran
1990 Tradição Crystal Moon
1990 Tradição Chthonian Tradition
1990 Tradição Ceili Sidhe
1991 Tradição Protean
1991 Tradição Neo-Alexandrian Witchcraft (Canadá)
1991 Tradição Black Forest
1991 Tradição Protean
1991 Tradição Califórnia Gardnerian (CalGard) Witchcraft
1992 Tradição Tuatha De Danann Tradition
1993 Tradição Daoine Coire
1994 Tradição Cornfield Tradition
1996 Tradição Aglaian
1996 Tradição Reformada
1996 Tradição Oldenwilde Traditional Witchcraft
1997 Tradição Knight Phases
1997 Prytani Tradition (Clan Ragan)
1997 Tradição Morganan Tradition
1997 Tradição Elemental Spirit
1977 Tradição Brighton Traditional Craft
1997 Tradição Dragon's Weave
1998 Tradição Earthwise
1998 Tradição Evergreen Tradition.

ESTRELA DE 5 PONTAS



Desde os primórdios da humanidade, o ser humano sempre se sentiu envolto por forças superiores e trocas energéticas que nem sempre soube identificar. Sujeito a perigos e riscos, teve a necessidade de captar forças benéficas para se proteger de seus inimigos e das vibrações maléficas. Foi em busca de imagens e objetos, criou símbolos para poder entrar em sintonia com energias superiores e ir ao encontro de alguma forma de proteção.

Dentre estes inúmeros símbolos criados pelo homem, se destaca o pentagrama, que evoca uma simbologia múltipla, sempre fundamentada no número 5, que exprime a união dos desiguais. As cinco pontas do pentagrama põem em acordo, numa união fecunda, o 3, que significa o principio masculino, e o 2, que corresponde ao princípio feminino. Ele simboliza, então, o andrógino.

Sempre esteve associado ao mistério e à magia. É a forma mais simples de estrela e que deve ser traçada com uma única linha, sendo conseqüentemente chamado de "Laço Infinito".

A configuração da estrela de cinco pontas em posições distintas, trouxe várias definições simbólicas para o pentagrama, que foram sendo associadas a conceitos de magia branca ou magia negra. Daí a criação do código de ética de Wicca - que traz como preceito básico: "Não desejes ou faças ao próximo, o que não quiseres que volte a vós, com três vezes mais força do que aquela que desejastes."

O Pentagrama é o símbolo de toda criação mágica. Suas origens estão perdidas no tempo. É conhecido com a estrela do microcosmo ou do pequeno universo - a figura do homem que domina o espírito sobre a matéria, a inteligência sobre os instintos.

Na Europa Medieval era conhecido como "Pé de Druida" ou como "Pé de Feiticeiro"; em outras épocas ficou conhecido como a "Cruz dos Goblins".

O Pentagrama representa o próprio corpo, os 4 membros e a cabeça. É a representação primordial dos 5 sentidos, tanto interiores quanto exteriores. Além disso, representa os 5 estágios da vida do homem:

* Nascimento: o início de tudo

* Infância: momento onde o indivíduo cria suas próprias bases

* Maturidade: fase da comunhão com as outras pessoas

* Velhice: fase de reflexão, momento de maior sabedoria

* Morte: tempo do término para um novo início.

É o símbolo da Bruxaria. Os Bruxos o usam para representar a sua fé e para se reconhecerem. É muito importante para um Bruxo, da mesma forma que a cruz o é para um cristão ou o Selo de Salomão, para um judeu.

O Pentagrama representa o homem dentro do círculo, como sinal da comunhão total com os Deuses. É o mais alto símbolo da Arte, pois mostra o homem reverenciando a Deusa , já que é a estilização de uma estrela (homem) assentada no círculo da Lua Cheia (Deusa).

Cada uma das pontas possui um significado particular:

* PONTA 1 - ESPÍRITO: representa os criadores , a Deusa e o Deus, pois eles guiam a nossa vida e nos ajudam na realização dos ritos e trabalhos mágicos. O Deus e a Deusa são detentores dos 4 elementos e estes elementos são as outras 4 pontas.

* PONTA 2 - TERRA: representa as forças telúricas e os poderes dos elementais da terra, os Gnomos. É a ponta que simboliza os mistérios, o lado invisível da vida, a força da fertilização e do crescimento.

* PONTA 3 - AR: representa as forças aéreas e os poderes dos Silfos. Corresponde à inteligência , ao poder do saber, a força da comunicação e da criatividade.

* PONTA 4 - FOGO: representa a energia, a vontade e o poder das Salamandras. Corresponde as mudanças, as transformações. É a força da ativação e da agilidade.

* PONTA 5 - ÁGUA: representa as forças aquáticas e os poderes das Ondinas. Está ligada às emoções, ao entardecer, ao inconsciente. Corresponde às forças da mobilidade e adaptabilidade.

Portanto, o Bruxo que detém conhecimento sobre os elementos, usa o Pentagrama como símbolo de domínio e poder sobre os mesmos.

Música Pagã



*Sabbats


*Deusas


*Diversas



Ar eu sou!!!
Fogo eu sou!!!
Água, terra, espírito eu sou!!!!
____________________

Terra meu corpo,
Água meu sangue,
Ar meu sopro,
Fogo meu espírito.
____________________

Ar move, fogo transforma,
água forma, a terra cura...
E a roda vai girando, vai girando,
e a roda vai girando vai....
____________________

O que me sustenta é o amor da grande mãe
O Amor da Mãe (bis)
Sendo o que eu sou,
Fazendo o que eu faço,
Pensando o que eu penso, (bis)
____________________

Vou banindo pela Terra e Ar
Vou banindo pelo Fogo e Mar
Vou banindo, vou banindo pra purificar
Vou banindo, vou banindo para exterminar

Espiral, espiral, espiral
Sugue o que há de ruim, leve todo o mal
____________________

Purifica e Cura... oh oh oh Cura....LIberta!!!!
____________________

Eu me sinto liberto de toda prisão
Só o amor fica no meu coração
Eu me sinto liberto de toda prisão
Só o amor fica no meu coração
E eu vou banindo, e eu vou banindo
E eu vou banindo, e eu vou banindo
Pela Terra/Ar/Fogo/Água Sagrada
Vou purificando, vou abençoando
____________________

NÓS ELEVAREMOS (We will rise)

Elevaremos com o fogo da libertação
Real é o fogo que queima o que traz prisão.
E podemos parar com o fogo que destrói
Curador é o fogo que em nossas veias corre.
____________________

Sou firme como a rocha
Um porto seguro
Velho como a pedra
Forte como o mar
Protegido como um seixo no ventre da Terra
E a água que flui em mim
____________________

Espírito das plantas vem à mim
Na forma de uma verde donzela que dança
Os seus olhos me enchem de paz, sua dança me enche de paz
O Espírito das plantas vem à mim
E me abençoa com sua grande paz
____________________

Heya, heya, heya ho
Heya, heya, heya ho
Heya, heya, heya ho
Cante para a Mãe Terra

Ya, yaha ha
Ya, yaha ha
Ya, yaha ha
Cante para o céu
____________________

Que a Terra possa ser curada
Que a Terra possa ser a cura
Que a Terra seja renovada
Através de mim, através de você
____________________

domingo, 18 de novembro de 2007

Os Instrumentos da Arte

Todo Mago e Iniciado deve ter em mente que para a realização de qualquer ato de magia é necessário ter um espaço sagrado no qual se é possível guardar de forma segura e secreta todo o material que será utilizado na Magia Cerimonial assim como o livro da arte criado pelo próprio mago durante os anos de sua experiência mística.

No Laboratório Mágico, o Mago vai confeccionar ou ao menos, consagrar todos os seus instrumentos além de ali os guardar juntamente com seus livros, vestes especiais e apontamentos.

Todos os móveis e demais objetos devem ser novos e consagrados separadamente segundo os seguintes ritos:

(a) Compra e preparação em correspondência planetária.
(b) Aspersão com "Água Mágica" (perfumada e consagrada).
(c) Fumigação: queima de incensos com perfumes adequados.
(d) Consagração pelo gesto nos quatro cantos do cômodo (Sinal da Cruz, por exemplo).
(e) Evocação de nomes sagrados.
(f) Pronunciar orações.
(g) Enceramento da sessão guardando os objetos.


Cada objeto deve ser consagrado segundo a finalidade na qual ele será utilizado, sendo que os mais importantes de todos os instrumentos são o bastão de força mágica e os pentáculos que servirão de proteção do mago durante a evocação de forças desconhecidas.

Éliphas Levi escreve "Chama-se talismã uma peça de metal que carrega pentáculos ou caracteres e que recebeu sua consagração especial para uma determinada intenção”.

O segredo maior da magia reside na postura do magista. O poder e a força dos instrumentos e processos mágicos são determinados pelo (a):

1. Fé do magista;
2. Fiel cumprimento dos rituais e
3. Nobreza da utilização.

Nunca o magista deve servir-se de um instrumento, queimar um incenso, empregar fogo ou água que não tenham sido consagrados.

No tratado elementar de Magia Prática o autor Papus apresenta alguns instrumentos utilizados pelo mago ou mestre da arte.


BAQUETA

A baqueta mágica é um objeto que serve para indicar e dirigir a vontade do magista.

Isso é possível porque a baqueta tem a propriedade de condensar uma grande quantidade de fluido emanado do operador.

Deve ser feita com madeira de sabugueiro de comprimento não superior a 50 cm. Será raspado e polido.

Em intervalos regulares, se for o caso, coincidindo com os nós do ramo escolhido, farás pequenos orifícios onde passarás pedacinhos de metal relacionado com o planeta de sua preferência ou então usarás uma liga dos vários metais planetários.

Protetores de latão ou mesmo de madeira devem fazer o acabamento das extremidades.

Nestas "tampas", deve-se gravar caracteres mágicos dedicados ao Mestre escolhido ou algo genérico, como o pentagrama ou o Selo de Salomão (estrela de seis pontas).

Depois de pronto o bastão deverá ser guardado em um estojo de tecido branco e será necessário incensá-lo.

Enquanto queima o bastão, o magista deve dedicar-se à prece.

Depois, guardará sua baqueta no armário do quarto mágico e manterá acesa a lâmpada mágica no aposento, durante 40 dias.


ESPADA

A espada mágica ou bastão mágico é um instrumento de defesa do operador e a ponta metálica, na extremidade, é o que confere esta qualidade ao objeto.

Um tridente, como usava Paracelso ou um prego velho engastado em um pedaço de madeira, podem, a rigor, servir tanto quanto a mais bela e preciosa das espadas mágicas.

Os conglomerados fluídicos formados pela união de uma potência astral atuando como almas com os fluidos vitais do ambiente têm uma analogia muito acentuada com os conglomerados elétricos.

O astral só pode atuar sobre o físico por meio dos fluidos da vida física, ou seja, eletricidade vital.

Assim, quando o operador presume que a potência astral que tem diante de si quer abusar de seu poder, não resta outro recurso senão apresentar a ponta de sua espada ao ser fluídico.

A ponta metálica extrai instantaneamente os fluidos astro-elétrico que formavam o ser dotado de más intenções, o qual é imediatamente privado de todos os seus meios de ação sobre o plano físico.

Projéteis de armas de fogo, como chumbo, balas, atuam da mesma forma, pois o impacto é incisivo e a substância de ataque é metálica.


TALISMÃS

Os talismãs são considerados representações exatas das formas criadoras do astral e por isso estabelecem um meio de comunicação entre o homem e tais formas.

Fazer e usar talismã são modos de manifestar adesão ou simpatia aos significados que o talismã encerra.

A confecção de cada talismã é uma verdadeira cerimônia mágica.

Os materiais e caracteres são cuidadosamente escolhidos conforme o fim a que se destina o pentáculo.

As correspondências planetárias são então observadas desde o artesanato do objeto até sua consagração, utilizando-se os metais, as assinaturas ou outros símbolos, os perfumes, as cores.

Consagrar o talismã significa magnetizá-lo, imantá-lo, dotar de uma energia especificamente voltada para certo propósito:

Proteção pessoal espiritual e física, sucesso nos empreendimentos, conservação da saúde etc..

É uma cerimônia que começa no momento em que se começa a "providenciar" o talismã, seja confeccionado pelo próprio magista, seja encomendado a um artesão.

Se encomendado, o dia e a hora da encomenda já serão escolhidos conforme a afinidade planetária bem como o material e tudo o que vai ser gravado.

Uma vez pronto o talismã, deve ser envolto em tecido de seda da cor adequada e guardado durante sete dias no meio de coisas pessoais do magista que escolherá uma noite ou um amanhecer para fazer a cerimônia de fumigação, ou seja, incensar o talismã e fazer as orações que completarão o processo de "imantação" ou magnetização.


LÂMPADA MÁGICA

A lâmpada mágica serve para iluminar o Laboratório Mágico. Sua luminosidade colorida e suave é ideal para criar uma atmosfera favorável à concentração.

Esta lâmpada deve ser feita de modo a "sintetizar as influências planetárias" (PAPUS, p 310).

É confeccionada com sete lâminas de vidro, cada uma da cor de um dos planetas (Mercúrio é uma placa multicolorida).

As lâminas, compradas e consagradas separadamente, obedecendo à relação dos dias da semana com os astros, são encaixadas em uma base de madeira.

A fonte de luz pode ser antiga, ou seja, velas, ou contemporânea, uma lâmpada elétrica.

A lâmpada é usada em experiências de hipnose. Contemplar a lâmpada também ajuda no processo de meditação podendo produzir fenômenos de visão do astral.

Sobre estes instrumentos: baqueta, espada, pentáculos, espelho e lâmpada mágica, Papus fornece roteiros detalhados de confecção e consagração, orações tradicionais, rituais, gestos etc...

Para quem pretende seguir à risca tais procedimentos, o ideal é adquirir o livro e usá-lo, no caso, como um manual onde se podem tirar dúvidas a qualquer momento.

Além disso, todo magista deve possuir: uma bússola, canetas e lápis preto, lápis coloridos comuns ou de cera, papéis brancos para desenho, cadernos para anotações, velas coloridas, incensos.


VESTUÁRIO PARA OPERAR

O vestuário deve ser feito de linho branco, em forma de túnica, longa até os pés, sem aberturas além mangas e cabeça.

As mangas estreitam-se nos punhos. Por baixo, o operador vestirá calças curtas e também brancas, do mesmo tecido.

A mesma cor será a dos sapatos, que serão leves. O vestuário também deve ser incensado.


LIVRO DO MAGO

O Mago deverá providenciar um livro onde deverá escrever com capricho e ordem suas anotações: as preces, os nomes dos anjos, os desenhos de selos e caracteres, os relatos de experiências, trechos selecionados de leituras importantes.

O livro deve ser fabricado ou adquirido em um dia dedicado a Mercúrio e será incensado e consagrado a Hermes (Mercúrio) antes de ser usado.


LABORATÓRIO MÁGICO

Nos dias atuais, a maior parte das pessoas, especialmente os mais jovens, não pode dispor de mais de um aposento em sua casa ou apartamento.

Por vezes, sequer possui um quarto só para si. Supondo, entretanto, que venha a se possuir um quarto, este, que serve de dormitório, poderá ser adaptado para as operações mágicas.

Se não possuir tal quarto, um armário deverá ser reservado para guardar, longe de olhos levianos, livros e objetos mágicos.

A seguir, descreveremos, segundo Papus, os elementos que compõem um Laboratório-quarto Mágico:

* Cor das Paredes: branca.
* Os quatro pontos cardeais assinalados com auxílio da bússola.
* Oeste: localização da mesa de trabalho.
* Leste: um oratório conjugado com um armário utilitário, para guardar livros, instrumentos mágicos e outros materiais.
* O centro do quarto deverá permanecer como espaço livre o tanto quanto possível.


Caríssimo irmão a cada passo dado na montagem do seu quarto ou laboratório mágico estarás familiarizado com cada instrumento e com o espaço sagrado que escolhestes para o uso do poder da sua vontade e a utilização das conjurações, ritos e preces criando um lugar entre o mundo humano e o mundo espiritual.


Este ambiente ou recinto será com um círculo protetor para o mago, como diz no livro da sagrada Magia de Abramerlin o qual chama de Oratório Mágico.

Este lugar deve ser de acesso exclusivo do mago para que outras pessoas não alterem a energia do ambiente ou o torne impuro, pois foi dito anteriormente em outros artigos que a pureza ritualística é necessária não só para a consagração de instrumentos da arte como para ingresso do magista no circulo protetor e no espaço sagrado.

Todos os rituais mágicos solenes, que obedecem aos procedimentos tradicionais, são realizados em espaços discretos, seja em um quarto, uma sala fechados ou em local deserto, ao ar livre.

Os rituais denominados "Rituais de Evocação", em especial, exigem o traçado do CÍRCULO MÁGICO assunto que será abordado no próximo artigo juntamente com outros mecanismos necessários que competem o assunto deste artigo.

Cabe-me inserir aqui outros instrumentos como: incenso, turíbulo, perfumes, óleos consagrados, símbolos místicos no qual o operador saiba seus verdadeiros significados, velas consagradas, tabela planetária, pergaminhos.

Que tudo seja feito para a glória de Deus e para o bem do nosso próximo almejando dentre todos os dons obtidos a nossa elevação espiritual, a transmutação e domínio dos nossos vícios, orgulho, vaidade e egoísmo reinantes em nossa sociedade atual.



Que a paz esteja em vossos corações!

sábado, 17 de novembro de 2007

Bastão ou Varinha Mágica

Como uma extensão de nossos dedos aponta-se ao objetivo desejado para que se cumpra a magia que estamos realizando. Deve ser usado como símbolo da Magia e uso do livre arbítrio.

O bastão obi, ou caduceu ou ainda o cajado de Hermes, é o emblema de poder e de controle de poder. É uma "varinha de condão" no sentido literal da palavra e,especificamente, representa a capacidade do seu dono de controlar a força vital do Universo.

Para conseguir seu bastão mágico existem algumas possibilidades:

Uma possibilidade é que o encontre pora acaso, ou melhor, que sua varinha mágica apareça como que por milagre em seu caminho. Quando a encontre saberá imediatamente que ela é sua por direito e merecimento.

*Comprar uma pronta em casas especializadas em artigos místicos.


*Herdar seu bastão ou ser presenteada por seu mestre ou pelo destino.


*Buscar na floresta ou mata e encontrar uma exatamente como deseja.


*Fazer sua varinha, como deve ser feita, assumindo o cuidado e agindo em sintonia com a árvore e o universo.

O método para preparar uma destas varinhas, apesar de ser um pouco difícil para os habitantes dos grandes centros urbanos, é bastante simples para quem tem uma mata natural perto de casa ou até mesmo a árvore adequada no jardim. As árvores mais indicadas são o carvalho, a macieira, a pitangueira, o angico, ou alguma árvore de fortes galhos. Claro que antes de cortar um pedaço e dar as costas será necessário estabelecer um vínculo com a árvore contando-lhe o seu objetivo de conseguir um de seus galhos para fins mágicos.

O bastão feito junto com a árvore

Escolha uma pequena árvore, observando sempre a presença de hera ou cipó na base. Converse e sintonize com a planta informando-lhe de seu desejo de obter permissão para criar seu bastão mágico. Assim que dado sua permissão para ser convertida em bastão, a árvore deve ser regada com um xícara de farinha de carne, 1/4 de xícara de farinha de osso e uma xícara de um bom fertilizante de nitrogênio em cerca de 12 litros de água. Isto deve ser feito após o equinócio de outono.

No ano seguinte em 2 de fevereiro volte a visitar a árvore e escolha o galho que deseja, que deve ser um galho principal a pouca altura, com cerca de 1,5 centímetros de diâmetro. Caso não existam trepadeiras na base pode transplantar algumas tendo o cuidado de criar uma proteção ao redor dessa base com pedrinhas, para que o mato não possa crescer perto da árvore e das trepadeiras.

Depois do equinócio de primavera prenda as mudas de hera fazendo que sigam para o galho escolhido o mais diretamente possível. Neste momento elimine os galhos ou brotos laterais de sua futura varinha, deixando a ponta crescer. Quando a trepadeira tenha chegado ao galho escolhido, será necessário observar e guiar o crescimento em espirar da trepadeira ao redor do galho escolhido, fazendo com que esteja sempre apertada. Com o passar do tempo, o que poderá tardar até 3 anos, as duas plantas estarão completamente envolvidas uma com a outra, tendo atingido cerca de 3 centímetros de diâmetro na ponta do galho e a trepadeira com cerca de meio a um centímetro.

Peça novamente permissão da árvore e avise à trepadeira que sua missão terminou. O corte deve ser feito entre o equinócio de outono e o solstício de inverno. Corte primeiro a ponta da trepadeira e depois a sua base, inclusive arranque-a desde a raiz e desprenda outros galhos que eventualmente tenham subido pela árvore.

Corte o galho pela base, separando-o do tronco da árvore. Faça um curativo com cera de abelha ou piche, deixando a árvore em condições perfeitas de vida. Retire os galhos secos e a parte da trepadeira que envolve o cajado, deixando tudo no chão para que alimente a árvore. As marcas deixadas no galho devem ter cerca de meio centímetro de profundidade. Em forma de agradecimento alguns povos costumam deixar grãos de trigo, mel ou leite para os elementais da floresta.

Deixe o galho cortado secar até o equinócio de primavera antes de ser consagrado. Pode enfeitar e colar materiais no bastão, mas use apenas produtos naturais para aderir as peças, já que as colas plásticas alteram a vibração do bastão. Pode retirar a casca e lixar o galho. Também pode conservar o cipó que envolveu o galho ou voltar a colocar ao redor do bastão prendendo-o com cola natural.

Características da varinha mágica e bastão.

Se optar por uma varinha pequena ela deve ter o tamanho de seu antebraço até a ponta do dedo indicador. Quanto ao bastão, que cumpre a mesma função, deverá ser de 90 centímetros a 1,20 metro ou até a altura de seu ombro. A varinha é um utensílio de encantamento; o bastão um símbolo tanto de conhecimento mágico como para invocar as divindades ou poderes arquétipos. Ambos são do elemento Ar.

Se os comprar, ou se os mandar fazer, sature-os com suas próprias vibrações, antes de os usar. Isso se faz manejando-os com frequência e enviando deliberadamente pensamentos positivos para o objeto. A varinha mágica tem o mesmo simbolismo do Athame, embora segundo algumas tradições esteja mais ligada ao elemento fogo. Tradicionalmente ela deve ser feita de uma árvore sagrada como a Aveleira, o Carvalho ou a Macieira, embora qualquer árvore sirva, desde que você tenha por ela alguma predileção ou ligação emocional.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

ÓLEOS E PERFUMES MÁGICOS

Os óleos são como pomadas mágicas para diversos fins. Seu uso é externo, ou seja, passa-se o óleo na pele ou em partes específicas para que o poder se evidencie.Com os perfumes – que apesar de serem mais sutis e menos densos – o uso e a ação dos efeitos
é a mesma. Alguns óleos seguem algumas regras básicas de preparo que normalmente respeitam um evento em particular, as Horas e Dias planetários correspondentes e as fases lunares – que também são cruciais durante o preparo de poções.

Os perfumes mágicos, assim como os óleos, costumam ser composto de uma mistura de diversas essências, sendo que algumas (raras) fórmulas levam a adição de ervas.

Como preparar óleos?

Basta misturar as essências em iguais quantidades (lembre-se de que deve haver uma correspondência entre elas).

Como preparar os perfumes?


Num recipiente de vidro, ou no caldeirão, preencha com uma quantidade generosa de álcool; depois derrame a água (mais ou menos a metade da quantidade do álcool usado).Agora, vá adicionando as essências ou os óleos mágicos, misturando levemente. Seu perfume básico estará pronto.

PERFUMES

Água da Flórida

Durante a época de Lua Cheia, misture água de flor de laranjeira e álcool líquido. Depois vá adicionando quantidades iguais dos óleos de jasmim, lavanda, canela, almíscar, cravo e bergamota (ou outra essência cítrica).O aroma dela afasta formas pensamento e entidades malignas e seus poderes mágicos para o amor se evidenciam durante a Lua Cheia.

Perfume Mágico

Misture água mineral ou água de rosas com álcool líquido. Vá adicionando essências de âmbar, cravo, lavanda e musgo de carvalho. Mexa bem essa fórmula e ela estará pronta. Use-a em purificações pessoais (antes de passar qualquer óleo no corpo teste uma gota numa pequena parte do corpo, para verificar se você tem alergia ou reação), na manipulação do poder pessoal e para chamar a atenção das pessoas à sua volta.

Perfume de Unção dos Instrumentos

Misture água de flor de laranjeira a uma porção de álcool líquido ou em gel (esse perfume é mais prático).Vá adicionando e misturando as essências de canela, patchuli, verbena, olíbano, mirra e flor de lótus. Use este perfume durante o rito da consagração das ferramentas de ritual, para encantar e conferir energia mágica aos instrumentos.

Perfume de Amor

Misture água de rosas com uma porção um pouco maior de álcool líquido e adicione as seguintes essências: jasmim, rosas, gengibre, canela e ylang-ylang. Use esse perfume para atrair o sexo oposto.

ÓLEOS

Para dinheiro

Para atrair dinheiro, componha alguma das seguintes misturas de essências: patchuli, cravo, musgo de carvalho e noz-moscada; vetvert, cedro, patchuli e gengibre; bergamota, basílico, patchuli e uma pitada de canela em pó;

Esfregue esses óleos na carteira, no dinheiro, no cartão de crédito – no corpo, passe nas mãos e na nuca.

Óleo da Saúde

Misture as essências de maçã verde, alecrim e sândalo. Use o durante seus ritos e feitiços de cura e restabelecimento físico e energético, passando no corpo (nuca e pulsos) ou queimando num difusor de aromaterapia.

Óleo de Coragem

Durante o Dia e a Hora de Marte misture as essências de gengibre, pimenta e cravo. Essa mistura é boa para trazer auto-estima e valentia em atividades que exijam coragem. Passe na nuca, nos pulsos e atrás das orelhas.

Óleo da Viagem Astral

Misture as essências de sândalo, ylang-ylang e canela. Passe essa fórmula no plexo, pulsos, nuca e chakra do terceiro óleo, enquanto faz técnicas de projeção. Ela vai ajudar na viagem.

Fumaça de Dragão

Misture essências de menta (ou hortelã) e cereja (ou morango).
Esse óleo quando usado vai trazer prosperidade, aumentar seu ânimo e poder contra inimigos. Queime-o num difusor; a fumaça etérea e invisível vai trazer paz e força espiritual. Você também pode preparar sais de banho despejando o óleo numa xícara de sal grosso vai ter o mesmo efeito.

ÓLEOS MÁGICOS

Todas as receitas dadas devem ser diluidas em aproximadamente 40 ml. de óleo mineral.

ÓLEO PARA PURIFICAÇÃO

4 gotas de óleo de eucalipto
2 gotas de óleo de cânfora
1 gota de óleo de lemongrass

Para banir energias negativas e atrair a harmonia

ÓLEO PARA SABBAT

3 gotas de óleo de frankincenso
2 gotas de óleo de mirra
2 gotas de óleo de madeira de sândalo
1 gota de óleo de flor de laranjeira
1 gota de óleo de limão

Usado nos rituais de Sabbat, para ungir os pontos de poder no nosso corpo.

ÓLEO PARA AMOR

7 gotas de óleo de rosas
5 gotas de óleo de ylang ylang
1 gota de óleo de gengibre
2 gotas de óleo de alecrim
1 gota de óleo de canela

ÓLEO DE LUA CHEIA 1


3 gotas de óleo de rosas
1 gota de óleo de jasmim
1 gota de óleo de madeira de sândalo

Para ser usado em rituais de Lua cheia e para invocar os poderes da Lua e da Deusa.

ÓLEO PARA ALTAR

4 gotas de frankincenso
2 gotas de mirra
1 gota de cedro

Para ser colocado sobre o altar e invocar os Deuses a proteção dos Deuses.

Pensamentos...




"O que os padres não sabem, com o seu Deus Uno e sua Verdade Única, é que não existe história totalmente verdadeira. A verdade tem muitas faces e assemelha-se à velha estrada que conduz a Avalon; o lugar para onde o caminho nos levará depende da nossa própria vontade e de nossos pensamentos, e talvez, no fim, cheguemos ou à sagrada ilha da eternidade ou aos padres, com seus sinos, sua morte, seu Satã e o inferno e danação... Mas talvez eu seja injusta com eles. Até mesmo a Senhora do Lago,(...), censurou-me certa vez por falar mal do Deus deles. 'Todos os deuses são um só Deus', (...) e 'todas as deusas são uma só Deusa, e há apenas um iniciador. E a cada homem a sua verdade, e Deus com ela” - Marion Zimmer Bradley,in As Brumas de Avalon.

"O que somos hoje é resultado de nossos pensamentos de ontem, e nossos pensamentos presentes criam a vida de amanhã: nossa vida é a criação de nossa mente" - Buda.

"[...] Então Diana dirigiu-se aos pais do Princípio, às mães, aos espíritos que existiam antes do primeiro espírito [...]” – Charles Leland, Aradia – Gospel of Witches.

“Nada morre, tudo se transforma. O espírito vaga, vindo ora cá, ora acolá, e ocupa qualquer forma que deseje. De animais, passa a corpos humanos, e de nossos corpos para animais, mas jamais perece” – Pitágoras, Metamorfose XV.

“A Magia tem o poder de experimentar e esmiuçar coisas inacessíveis à razão humana. Pois a magia é uma grande sabedoria secreta, assim como a razão é uma grande tolice pública” – Paracelso.

“Não precisamos nem mesmo nos lançar na aventura sozinhos. Pois os heróis de todos os tempos já o fizeram antes de nós. O labirinto é minuciosamente conhecido. Devemos apenas seguir o fio da trilha do herói. E onde supúnhamos encontrar uma abominação, encontraremos um Deus. E onde críamos matar um outro, mataremos nós mesmos. Onde acreditávamos viajar para fora, chegaremos ao centro de nosso própria existência. Quando acreditávamos estar sozinhos, estaremos com o mundo” – Joseph Campbell, The Hero with a Thousand Faces.

“Daquele local além dos céus nenhum de nossos mortais poetas jamais cantou, e nenhum virá a faze-lo apropriadamente. Mas essa é sua natureza, pois certamente devemos ser corajosos para dizer o que é verdadeiro, acima de tudo quando nosso discurso baseia-se na verdade. É lá que o verdadeiro Ser habita, sem cor nem forma, impossível de ser tocado; somente a razão, comandante da alma, pode complementa-lo, e todo conhecimento verdadeiro é conhecimento dali por diante...” - Platão, Phaedrus.

"Se podes imaginar, podes conseguir" - Albert Einsten.


“(...)Por tudo que já foi dito”, que este Dia das Bruxas “revigore a mais radical das feitiçarias: aquela que se verifica quando os amantes se enredam nos mais generosos sentimentos; e que as bruxas deste tempo e dos tempos que virão possam prosseguir com seus mistérios, possam aperfeiçoar suas fórmulas e porções, para que um dia todos sejamos permanentemente ‘encantados’”.


° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° ° °

ENCANTOS E FEITIÇOS





Sortilégio ou feitiço é uma projeção mental que é enviada ao Universo com o objetivo de efetuar algumas mudanças no campo físico.
Os sortilégios e feitiços, baseiam-se na magia natural. A magia natural é um ramo simples da Arte da Bruxaria. Apesar das técnicas parecerem muito
simplistas, eles funcionam com sucesso.
Para que a magia funcione relativamente bem, 6 fatores devem ser observados:

SIMBOLISMO: o subconsciente opera através de
símbolos, por isso é importante gravá-los nas velas, em talismãs e objetos mágico.


VISUALIZAÇÃO
: ao realizar um feitiço deve-se mentalizar a concretização de nossos desejos.

CONCENTRAÇÃO: o ato de reter um pensamento, imagem ou figura na mente de forma ininterrupta.

O PODER DA PALAVRA: tudo deve ser verbalizado para que possa surtir efeito.

MÃO DE PODER
: uso da mão com a qual se escreve, pois é através dela que os poderes são liberados.

TRAÇAR O CÍRCULO
: todos os feitiços devem ser realizados no interior do círculo mágico, pois assim as energias serão intensificadas.

Os sortilégios e feitiços NÃO devem ser usados para obter poder ou comando sobre outras pessoas. Nunca se esqueça da Lei Tripla. Tudo aquilo que você fizer voltará à você, seja para o mal ou para o bem. A magia é feita com amor, e não com ódio. É harmonia com a natureza, e não domínio. Para se trabalhar um feitiço, é imprescindível que você acredite na eficácia e no poder que ele carrega. "

Faça o que desejar, se mal nenhum causar!

ENCANTOS E FEITIÇOS DE AMOR

Encanto aromático:



-Antes de sair para um encontro amoroso, escreva com seu perfume favorito sobre seu peito a palavra AMOR. Se usar uma pena de pomba, o efeito é mais eficaz. Mergulhe a ponta da pena no perfume e escreva bem devagar, absorvendo a energia do amor. Use a pena apenas para esse encanto.

Escrita Invisível:



-Para mandar mensagens mágicas, utilize a chamada “escrita simpática”. Ela é feita de suco de limão (planta consagrada à Vênus, deusa do amor) e algumas gotas de essência de verbena. Escreva sua mensagem com uma caneta qualquer e, no verso, com a tinta mágica. Como ela é invisível, quem receber sua carta vai ler o recado visível e sentir o recado invisível! Esta é uma forma de falar de coração a coração, quando sentimos medo ou receio de sermos incompreendidos. Use uma pena de pomba ou caneta vazia para escrever.

Meditação do coração:



-Esta magia serve para você encontrar um grande amor. Desenhe no chão, com uma mistura de terra, pétalas de rosa e flores de camomila, um grande coração. Entre no centro da figura e medite sobre as qualidades do seu futuro (a) parceiro (a) (não se fixe em ninguém em especial!). Fantasie, deixe a imaginação viajar. Então repita mentalmente, quantas vezes quiser: COM A TERRA EU TE CRIO, COM A ROSA TE CONSERVO E COM O BRILHO DOURADO DA CAMOMILA TE ESPERO.

Árvore dos amantes:



-Um coração traçado na casca de uma árvore com as iniciais ou os nomes dos amantes dentro dele tem uma finalidade mágica. Serve para proteger um amor recém-nascido ou perpetuar um amor antigo. Mas escolha a árvore certa: use a amendoeira, macieira e limoeiro, nunca o cipreste, a figueira ou salgueiro, e não danifique a árvore, fazendo um coração bem de leve em sua casca.

Círculo de pétalas:



-Para ficar disponível para um amor novo e inesperado, faça um círculo de pétalas de várias flores no chão e sente-se dentro dele. Pense nas qualidades, jeito e detalhes do amante esperado, mas não fixe a mente em alguém em especial. Deixe a imaginação solta! Recolha as pétalas e misture-as à água de seu banho. Depois é só aguardar o resultado...

ENCANTAMENTO PARA CURA E SAÚDE

Encantamento para afastar a tristeza:



-Colha uma rosa e leve-a para um canteiro ou vaso à meia-noite. Cave um buraco na terra e diga: "Vá embora, tristeza. Coragem, coração! Pois toda a minha dor está sob este chão." Enterre a rosa. Afaste-se sem olhar para trás.

Encatamento para intuição:



-Para comunição psíquica: faça um chá de roseira, sente-se numa cadeira confortável, enquanto toma o chá, pense em algumas pessoas que podem estar precisando de sua ajuda. Sinta uma onda de sentimentos delicados saindo de você e indo para elas.

FEITIÇO PARA SAÚDE:



-MELHOR DIA: quarta-feira MELHOR LUA: minguante
Material necessário: * 1 quartzo branco * 1 saquinho de couro * ramos secos de arruda * fumo de corda ralado * 1 vela amarela ou verde
PROCEDIMENTO: acenda a vela sobre o altar. Coloque todos os itens mencionados dentro do saquinho de couro. Ainda com o saquinho aberto diga o seguinte encantamento: “ Deuses da Bruxaria Forças da vida e do encanto Venham e me cubram com o seu manto. Trazendo força e poder, Que este sortilégio possa me proteger. Que através dos seus poderes ele possa me curar, E que toda doença ele possa levar” Consagre-o magicamente e leve-o sempre com você.

Encantamento para a cura:



-Amarre nove nós num pedaço de barbante vermelho e use ao redor do pescoço para auxiliar na cura de males e doenças. Especialmente eficaz com dores de cabeça.

O Feitiço da Pedra:



-Estando à beira de um rio ou mar, olhe a sua volta e encontre uma pedra escura, preta se possível. Leve-a até seu terceiro olho(região entre as sobrancelhas). Projete toda raiva que você sente por qualquer motivo ou pessoa, na pedra. Com toda força arremesse-a para a água. Mentalize firmemente as seguintes palavras: "Com esta pedra a raiva irá, água contenha-a, ninguém a achará".

FEITIÇO PARA EMPREGO E DINHEIRO

Feitiço para conseguir um emprego:



-Use um pedaço de tecido verde com a forma de um quadrado. Encha-o com louro e alfazema. Adicione quatro outras ervas regidas por:
*Mercúrio - para um emprego que envolva comunicação.
* Lua - para um emprego que envolva a cura, saúde ou trabalho de mulheres ou psicologia.
* Júpiter - para um emprego que envolva liderança e responsabilidade ou a lei.
* Marte - para um emprego que exija ação agressiva e positiva.
* Sol - para um emprego ao ar livre, em agricultura, ou na natureza, ou trabalho agradável e calmo.
* Saturno- para arquitetura, história ou qualquer outro emprego onde você estará limitando a ação ou a liberdade de outros (trabalho policial, por exemplo.)
Adicione uma moeda de prata, para a fortuna, e retratos e quaisquer instrumentos importantes que você possa usar em seu trabalho. Amarre-o com um fio roxo.

A PIRITA ATRAI-DINHEIRO:



-A pirita, ou "ouro dos trouxas", é um mineral muito bonito de se ver, com estrutura geométrica cúbica e a cor brilhante do ouro. Embora de escasso valor monetário, possui uma incrível capacidade de atrair dinheiro. Compre uma pirita e mantenha-a por três dias em um copo com sal: dessa forma, as eventuais negatividades serão expulsas.
No terceiro dia, numa hora diurna, pegue a pirita e segure-a por alguns minutos, sem pensar em nada específico, porém considerando-a parte de sua aura. Você sentirá a pirita esquentar e vibrar: nesse ponto, diga as seguintes palavras dirigidas ao DEVA (espírito) do mineral:
"Obrigado, Deva da pirita, por teres acolhido ao meu espírito e por ter me doado o teu. Eu, (fale seu nome), peço-te que satisfaça este meu desejo (faça o seu pedido com clareza). Confio a ti e a tua energia o meu desejo. Obrigado, obrigado, obrigado".
Embaixo da pirita (que não deve ser fechada numa gaveta) coloque uma cédula de dinheiro de qualquer valor. Os resultados surgirão rapidamente.
Quando perceber que não tem mais necessidade da pirita, agradeça a ela por tudo o que fez por você e dê de presente a alguém que possa usufruir seu poder.

Caixa do Sucesso:



-Para aumentar seu poder diante de pessoas importantes envolvidas em assuntos profissionais de seu interesse, faça o seguinte talismã: Encontre uma caixinha de madeira bem pequena e coloque dentro uma folha de louro e um citrino. Feche-a e deseje sobre ela 3 gotas de lima. Está pronta a sua caixa do sucesso. Leve-a com você sempre que quiser um "auxílio extra" para assuntos de sorte e prosperidade. Palavra Mágica Quanto damos nomes às coisas ou situações estamos outorgando a eles exigência e poder. Crie, portanto, uma palavra mágica que será sua chave para acionar as esferas da magia. Essa palavra deverá ter 11 letras e uma sonoridade que agrave seus ouvidos. Lembre-se: você é o senhor do seu espaço mágico. Assim, toda vez que proferir essas palavra, imagine muita luz em sua direção. A repetição desse pensamento é tudo de que precisa para transformar essa palavra, pouco apouco, em seu mantra de poder pessoal.

ENCANTAMENTO DE PROTEÇÃO


SORTILÉGIO DAS VELAS PRETAS PARA DINHEIRO:



-MELHOR DIA: sexta-feira ou quinta-feira MELHOR LUA: cheia ou crescente
Material necessário: * 2 velas pretas * óleo essencial de sândalo, cravo ou almíscar
PROCEDIMENTO: com o Punhal, grave nas duas velas palavras ligadas à estabilidade material como: DINHEIRO, FORTUNA, RIQUEZAS, SUCESSO, PROSPERIDADE, etc. Acenda as duas velas e segure-as nas 2 mãos fortemente, sempre mentalizando aquilo que você quer. Quando os dedos começarem à pulsar apague as duas velas, sem assoprá-las. Repita o processo com as mesmas velas durante 7 dias, seguidos, após os quais elas deverão queimar até o fim.


Proteção Espiritual:



-Podemos buscar a proteção do Mundo dos Espíritos de três formas tradicionais: através da oração, do ritual e do retiro. A oração estabeleça uma conversa entre a alma do Homem e a Alma da Natureza. O ritual é a conversa da alma da Natureza com a alma do Homem. O retiro, que deve ser feito no campo, é a volta do Homem para o aconchego do seio da Grande Mãe.

Defesa Íntima:



-Para proteger o quarto de más influencias ferva uma rosa vermelha junto com folhas de limoeiro e borrife pelos quatro cantos e na cama onde você dorme. Isso transforma o quarto num lugar seguro e defendido.

Melissa Protetora:



-A melissa afasta os pesadelos e confere sonhos alegres quando colocada debaixo do travesseiro. Ela deve ser usada seca e guardada num saquinho de algodão ou seda branca. Com ela se fabrica também uma coroa de ramos secos para ser usada em meditação e trabalhos mágicos. Esta coroa vegetal evita maus pensamentos e protege contra influências estranhas vindas de fora.

Gesto Protetor:



-Você está num lugar público e sente que precisa isolar-se do ambiente. O que fazer? Ponha as mãos para trás e segure com a mão esquerda o polegar direito e com a mão direita o polegar esquerdo. Aperte bem para sentir a pulsação. Pronto, você fechou-se interiormente e está em segurança. Sinta o pulsar dos dedos e a tranqüilidade crescendo, crescendo...

FEITIÇOS E ENCANTAMENTOS DE SORTE E PROSPERIDADE

Feitiço de sorte para o Signo de Áries:



-Faça um banho com manjericão, palma de santa-rita, 6 folhas de cipreste, um girassol e um pouco de gerânio. Jogue tudo do pescoço para baixo durante a Lua Nova. Essa magia vai trazer força para o seu dia-a-dia.

Feitiço de sorte para o Signo de Touro:



-Este banho traz boas energias, basta você colocar em água quente malva-branca, papoula, açucena e pétalas de rosa branca. Quando amornar, jogue no corpo, do pescoço para baixo, em noite de Lua Minguante.

Feitiço de sorte para o Signo de Gêmeos:



-Pegue uma margarida, folhas de louro, um punhado de alecrim e vassourinha. Faça seu banho e jogue no corpo, do pescoço para baixo, em noite de Lua Cheia. Esta é uma boa proteção contra inveja.

Feitiço de sorte para o Signo de Câncer:



-Em uma noite de Lua Crescente, faça um banho colocando em água fervente arruda, malva-rosa, malva-branca, uma rosa e uma dália. Quando estiver morno, jogue no corpo para alcançar seus ideais.

Feitiço de sorte para o Signo de Leão:



-Este banho atrai boas vibrações. Em noite de Lua Nova, pegue 9 folhas de laranjeira, 3 levante-branquinha, 2 rosas brancas e 2 pétalas de violeta e coloque em 3 litros de água fervente. Deixe esfriar e jogue no corpo.


Feitiço de sorte para o Signo de Virgem:



-Numa noite de Lua Minguante faça um banho com folhas de sabugueiro, 3 rosas vermelhas, um pouco de guiné, um cravo branco e uma açucena. Isso irá ajudar a conservar a organização.


Feitiço de sorte para o Signo de Libra:



-Arrume um lírio, 2 orquídeas, 3 folhas de macieira, algumas folhas de cânfora e 10 folhas de limoeiro.Faça um banho com elas para atrair sorte para sua vida.

Feitiço de sorte para o Signo de Escorpião:



-Atraia boas energias fazendo um banho com um punhado de cordão-de-frade, uma dália, um amor-perfeito e 2 ramos de comigo-ninguém-pode. Jogue no corpo, do pescoço para baixo, em dia de Lua Crescente.


Feitiço de sorte para o Signo de Sagitário:



-Faça um banho com 3 gerânios, 3 violetas, 3 cravos amarelos e um pouco de cipó-pedrs. Jogue no corpo num dia de Lua Nova. Isso vai afastar todos os fluidos negativos.

Feitiço de sorte para o Signo de Capricórnio:



-Para abrir caminhos, faça um banho com arruda macho e arruda fêmea, um cravo branco, uma papoula, folhas de eucalipto, pinheiro e cana. Jogue a mistura no seu corpo numa manhã de Lua Minguante.

Feitiço de sorte para o Signo de Aquário:



-Em dia de Lua Cheia, faça este banho contra as más influências. Arrume folhas de salgueiro, orquídea, margarida, arrebenta-cavalo, fedegoso e folhas de bambu e banhe-se mentalizando a energia positiva.

Feitiço de sorte para o Signo de Peixes:



-Este banho traz proteção no lar. Pegue um pouco de guiné, 3 rosas brancas, um amor-perfeito, folhas de laranjeira e de manga. Faça um banho durante a Lua Crescente e jogue no corpo, do pescoço para baixo.

Anel da Fortuna:



-Esta antiga magia teve sua origem na região do Reno e é praticada através dos século graças aos seus incríveis resultados. Colha uma flor amarela em um dia de sol (peça antes licença às fadas). Pegue o caule da flor e faça com ele um anel que caiba perfeitamente no seu dedo indicador. A flor deve ser enterrada junto com um papel em que estejam escritos seus desejos de prosperidade. Use o anel por 3 dias. Depois. prepare-se para agradáveis surpresas.

Leite Espiritual:



-É importante conectar-se com a Terra para sentir-se seguro e forte. Uma boa maneira de recarregar-se com a energia da Grande Mãe é sentir toda a sua plenitude abraçando demoradamente uma árvore ou deitando-se confortavelmente em um jardim. É assim que somos alimentados com seu leite espiritual. Esse alimento é, em geral, aquele de que estamos mais carentes. Faça isso todos os dias e sinta seu magnetismo pessoal aumentando notoriamente.

Magia das Fadas:



-A canela sempre foi usada para magias de prosperidade e pode ter seu resultado potencializado se utilizada de acordo com esta receita originária de uma antiga irmandade mística conhecida como "A Senda das fadas": Acenda num jardim um incenso de canela, escolha uma flor e, segurando sempre o incenso, faça com que as cinzas caiam formando um círculo em volta da flor escolhida. Peça então que a fada dessa flor oriente seus caminhos rumo ao sucesso. Há milênios as fadas atendem esse código tão singular.

Tesouro dos Gnomos:



-Outra magia de prosperidade pode ser feita com o auxílio dos gnomos e é muito utilizada pelas bruxas escocesas. Seu efeito é surpreendente rápido. Faça uma caixinha com uma casca de noz e coloque ali 3 trevos de 3 folhas (as bruxas autênticas sabem que na verdadeira magia está no número 3, portanto esse é o trevo poderoso), 3 grãos de milho e um cristal. Enterre o tesouro e ofereça-o aos gnomos da terra. Eles ficarão tão contentes com o presente, que retribuirão generosamente com a energia da prosperidade.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

A ARTE DE ENTENDER E USAR A MAGIA




Além de muito antiga, a arte da magia vem sendo praticada por todos os povos. A magia é uma força que alia a energia psíquica aos poderes da vontade e, assim, unidos, produzem os chamados efeitos sobrenaturais. Ela pode provocar mudanças e controlar os eventos da natureza e, como todo poder extra-sensorial ou sobrenatural, essa concentração de energias pode ser usada para a construção de coisas boas ou ruins, já que a magia em si tem uma força neutra, permitindo que o praticante escolha a direção que deseja seguir.

Entretanto, todo mago ou bruxo praticante e sério sabe que nunca se deve praticar a magia para causar danos ou males a alguém, pois eles conhecem as leis da natureza e sabem que o carma retorna três vezes para todas as pessoas pelos atos praticados, inclusive para eles próprios. Por isso, essa prática seria a total destruição de qualquer mago. A magia é a ciência que guarda os segredos vindos da natureza. Todo bruxo ou mago, além de respeitar e amar a natureza, deve sempre trabalhar de forma harmoniosa com o meio ambiente e a psique - a alma, o espírito, a mente.

Ao estudarmos a arte wicca notamos que em primeiro lugar está sempre a adoração à Deusa e ao seu consorte, o Deus Chifrudo e logo a seguir vem a palavra magick - escrita de forma arcaica para que posssa ser diferenciada da palavra magic, que é a arte de fazer truques com as mãos e é muito usada em teatros e circos.

O elemento mais importante na prática da magia é o poder sensorial, inerente ao bruxo. É absolutamente fundamental que se tenha sensações fortes em relação àquilo que se está produzindo para que a magia torne-se realmente eficaz. É também muito importante que se use a imaginação desejada ou criativa, que é capacidade que cada bruxo tem para imaginar os resultados finais de sua mágica.

Essa capacidade de absorção imaginativa é imprescindível para que os desejos se materializem de forma mais rápida e proveitosa.

Essa é uma capacidade natural concedida pela Deusa a cada bruxo ou mago em particular, mas isso não significa que cada um desses magos ou bruxos não devam se exercitar e melhorar com muitos treinamentos de concentração e meditação. Quanto maior for essa prática, maiores também serão os resultados positivos de suas mágicas.

Por isso, quando estiver fazendo um encantamento, concentre-se profundamente e deixe sua mente fluir claramente naquilo que você deseja realizar. Sem essas práticas torna-se extremamente difícil a realização de qualquer mágica. Outro item de extrema importância diz respeito aos amuletos, talismãs e poções usados nos encantamentos.

Notará que os resultados serão bem mais proveitosos se você mesmo criar e energizar os objetos que serão usados, pois tudo que estará presente, todos os fluidos e energias, emoções espirituais e psíquicas terão vindo de você. Assim, tudo se harmonizará e o efeito, com certeza, será mais gratificante.

A magia é algo muito sério, por isso nunca se deve abusar dela e nem usá-la de maneira incorreta. Devemos ser cautelosos e sábios na manipulação da vontade e emoções das outras pessoas, tendo sempre em primeiro plano a conselho wiccaniano: “Não prejudique ninguém, façam eles o que quiserem”.

Nunca tenha dúvidas de que a magia é poderosa e funciona mesmo! Mas também nunca esqueça que alguns encantamentos exigem muita prática e treino. Por isso, não desanime se após tentar uma vez não funcionar. Insista, não desencoraje, pois com o treino, as meditações e concentrações logo "sentirá" a magia acontecer e rapidamente poderá "imaginar" os resultados finais e, assim, verá que é capaz de realizá-la.

Nas tradições wiccanianas existem várias formas diferentes de magia. Existe a magia cerimonial, a cabalística, o vodu, o xamanismo, a natural e muitas outras. A decisão pela prática de uma ou mais só depende do mago ou bruxo e da tradição wiccaniana por ele escolhida.

É também aconselhável seguir algumas normas antes da realização de um ritual mágico, como purificar o corpo tomando um banho de água com sal e ficar em jejum durante um dia inteiro. É muito importante manter saudável o corpo físico para que a realização dos rituais mágicos produzam o efeito desejado!

Outra coisa de grande influência na realização dos encantamentos são as fases da lua. É extremamente importante que cada encantamento e ritual sejam realizados durante a fase lunar apropriada. Veja alguns exemplos:

- A lua crescente é o momento apropriado para realizar a magia positiva e os encantamentos que aumentem o amor, a sorte, o desejo sexual e a riqueza.

- A lua cheia aumenta a percepção extra-sensorial e é o momento apropriado para fazer invocações à Deusa lunar, rituais de fertilidade e encantamentos que aumentem as habilidades psíquicas e os sonhos proféticos.

- A lua minguante é o momento apropriado para realizar a magia destrutiva - não entender destrutiva como ruim, porque a destruição é um processo de renovação, onde o velho e gasto dá lugar ao novo - os encantamentos que retirem maldições, reverter encantamentos de amor e afrodisíacos, acabar com maus hábitos e curar enfermidades.

Para resumir, a realização de uma magia bem-sucedida depende muito de sua harmonia com as leis da natureza e da psique.

Mas também é importante possuir conhecimento mágico, corpo e mente saudáveis e capacidade de aceitar responsabilidades pelas suas próprias ações. É praticamente impossível obter resultados satisfatórios se seu nível de energia estiver baixo por falta de concentração e, entre outros, meditação, ou, ainda, se seu corpo estiver contaminado por drogas ou álcool.
O segredo da magia bem-sucedida, enfim, é a convicção no seu trabalho, a procura da fase correta da lua, a sua capacidade de concentração e de visualização do resultado final.

A Deusa e Suas Formas



A Deusa em mim Habita em suas Três Diferentes Formas



Quando a lua cresce no ceu, sou Artemis nos bosques.
Busco os caminhos virgens e neles mostro minha força em cada ramo.
Sou Artemis quando busco os montes e anseio por novos rumos,
Quando repudio os limites e nao existe o medo.
Sou Artemis quando me lanço sem amparo do cume feito com todas as pedras que tentam , inuteis , bloquear meus atos deliciosamente insanos.
Assim sou Artemis.

Quando no céu a lua e cheia sou Demeter de coração no olhos.
Busco o amor imensuravel e ofereço aquele que habita em meus infinitos braços.
Sou Demeter quando procuro meu filho em cada ser, quando quero ser ave mae e ninho em um so tempo.
Sou Demeter quando meu colo se torna morto e suplica dolorosamente , pelo lançar de ancoras de todas as embarcaçoes.
Assim sou Demeter.

Quando a lua mingua, sou Hecate de toda a escuridao.
Busco a linguagem da alma e descubro ser eu mesma tudo aquilo que me ameaça.
Sou Hecate quando a solidao importa e quando fim torna-se causa e razao.
Sou Hecate quando penso na morte e encontro o que sou antes de tornar-me outra.
Assim sou Hecate.

E assim a Deusa habita em mim, e em suas três diferentes formas.