segunda-feira, 13 de agosto de 2018

As 7 obrigações de uma Bruxa

"Ser Bruxa, é se tornar parte de uma força poderosa da natureza. A Bruxa é uma alma Desperta, uma força a ser contada."
Uma bruxa desperta, adquire e aperfeiçoa muitos dons, mas também tem responsabilidades e objetivos. Neste artigo, tentaremos definir quais são as 7 obrigações de uma Bruxa.

As 7 obrigações de uma Bruxa

Uma bruxa desperta, adquire e aperfeiçoa muitos dons, mas também tem responsabilidades e objetivos. Neste artigo, tentaremos definir quais são as 7 obrigações de uma Bruxa.
“Uma bruxa é como uma árvore sagrada, que tem o poder de continuar crescendo”

1. Saber, conhecer e se manter em silencio.

A Bruxa conhece o poder que possui, porém deve se manter em silêncio quanto aos seus feitos. Orgulho e presunção são venenos mortais, e podem trazer sérias complicações espirituais.
É sábio que atue em silêncio e humildade, pois conhece e entende que seu poder não pertence apenas a ela. Não é à toa que praticantes de bruxaria da antiguidade, se mantiveram na mais completa discrição até o fim de suas vidas.
Existe um ditado que diz: “Se a palavra é de prata, o silêncio é de ouro”

2. Manter saudável o corpo, mente e espírito.

Uma Bruxa entende que tudo acontece por um motivo, portanto, se houver algo que possa causar desequilíbrio ao corpo e à mente, é sempre necessário evitar que isso vá adiante. Manter um equilíbrio entre o corpo, a mente e o espírito nos torna pessoas poderosas que escutam suas necessidades, abraçam-nas e entendem-nas.
A verdadeira Bruxa respeita o seu corpo, e evita a todo custo, qualquer hábito que possa destruir a saúde dele. A bruxa é disciplinada, conhece os benefícios das ervas contra diversos males, e coloca em prática todo este aprendizado em seu dia-a-dia. Mas ela também reconhece os poderes dos curandeiros que estão agora encarnados como médicos, psicólogos, profissionais de saúde ou guias espirituais, e pede ajuda quando necessário.
Para conhecer os caminhos da Bruxaria, é necessário perceber que a medicina moderna é um caminho de cura evoluído, independentemente de praticar qualquer outro feitiço ou ritual para promover a saúde.
A Bruxa sabe que a energia sagrada e secreta que flui em nosso corpo pode ser direcionada de maneira adequada, com uma dieta mais equilibrada, pois a energia vital se esconde em nossos alimentos. Alimentos saudáveis, ​​podem fornecer ao seu corpo, mente e aura com mais energia.

3. Monitorar e organizar suas palavras e pensamentos.

A Bruxa sabe, que o pensamento é um feitiço que pode vir a se tornar realidade. A própria natureza de um feitiço reside na nossa capacidade natural de manipular a Energia Astral com um pensamento persistente embebido em nossos desejos mais profundos.
A mesma regra aplica-se para pensamentos positivos e negativos, pois alimentamos com nossa energia tanto o que queremos, quanto nossos medos, ao mesmo tempo. A bruxa deve dominar a disciplina e monitorar esses pensamentos, e o mesmo se aplica às palavras.
A bruxa conhece o poder da fala oral, pois é o poder do elemento do ar, pois ela cria ao mesmo tempo que fala.
Se uma bruxa é incapaz de controlar as palavras e os pensamentos, ela deve pedir ajuda, pois isso é algo muito grave para quem lida com Magia. Algumas opções seriam sessões de hipnose com um profissional sério da área, a prática de meditação constante e até mesmo conversando com um terapeuta ou psicólogo.

4. Estar conectada com o ciclo da terra.

Muito se fala sobre qualquer humano poder possuir os poderes de uma Bruxa, se ele participar de forma persistente em todos os principais Sabbaths do Ano. O que definitivamente não procede. Ser Bruxa é sentir-se Bruxa, é algo muito além de conhecer rituais e feitiços, mas estar conectada à natureza como uma parte vida dela.
Mas e os Sabbaths são importantes? Sim, pois faz com que estejamos sempre em conexão com o ciclo da terra. Isso significa, renovar nossos compromissos, fortalecer nossos poderes e adquirir experiência e sabedoria.
A Bruxa sabe que esses Sabbaths, concedem poder sobre a vida, a morte, e seus maiores mistérios. Ela sente o poder da Natureza e se preocupa com o planeta, servindo e aprendendo constantemente com ela.

5. Conhecer a si própria.

A Bruxa sabe que a “arma” mais poderosa que ele possui é conhecimento, e que para saber mais, é necessário não apenas o saber, mas também o cuidar. Todo mundo tem falhas, mas isso pode tornar-se um grande presente. Conhecer suas falhas significa amar e abraçá-las. Ela também sabe, que a cura leva tempo, e se concentra no que quer realizar.
A bruxa estuda cada vez mais todos os dias, pois sabe que a sabedoria é infinita, e sempre há espaço para o crescimento. Porém também é preciso reconhecer, que existem os momentos de pausa e descanso.

6. Comemorar a vida.

A Bruxa pode (e deve) fazer festa para tudo o que ela quiser celebrar. Isso faz parte de um ato nobre e essencial de ser grato.
Expressar gratidão não é apenas um ato de cortesia, mas uma parte essencial do nosso processo evolutivo.
Ao aprender a ser grato ao Divino, a nós mesmos e a outros, começamos a apreciar nossas vidas e as experiências que recebemos.
Através deste reconhecimento, formamos um vínculo de amor, enquanto começamos a desfrutar de tudo, em um nível profundo que contribui significativamente para a nossa felicidade e para o nosso desenvolvimento pessoal.

7. Respeitar e honrar as Divindades e toda a sabedoria mágica.

Existem muitos caminhos até a sabedoria, a Bruxa sabe muito bem disso, ao longo da história. Os seres humanos tentaram definir formas de descrever e honrar Deuses e Deusas. Seja através da religião organizada, da espiritualidade e das formas solitárias.
A Bruxa entende que durante todos esses milênios, o que realmente os humanos estavam tentando encontrar, era a semente divina que está em cada alma.
A verdade pessoal que defendemos é parte da alma coletiva, um organismo vibrante e vivo que abrange tudo e é tudo.
Embora uma Bruxa reconheça que existem caminhos e práticas religiosas malévolas, respeita e aceita todas as religiões. Entretanto pode discordar de práticas e crenças que não estão de acordo com o ‘Grande Bem‘.
Ter uma opinião é essencial para a nossa evolução, tentar convencer os outros ou forçar a sua opinião é desnecessário. Há uma hora e um lugar para tudo.
 
Fonte - Além de Salém

Autobenção da Deusa



Esta autobenção pode ser realizada a sós, num coven diânico ou num círculo de mulheres. Em todos os casos, não há a presença de homens.

Pedimos para que as mulheres ficassem em frente a um espelho alto, nuas, e se abençoassem com água consagrada, uma mistura de água e vinho. Ambos são símbolos de transformação.
Então, molhando seus dedos na água consagrada, toquem os cinco pontos em si mesmas, enquanto todas nós cantamos* a canção de Bênçãos.
Primeiro a cabeça.
Abençoe-me mãe pois sou sua filha.
Esta benção é recebida com os braços estendidos, abraçando o invisível.
Isto é importante. Nós nos declaramos as filhas da Grande Mãe, não de um pai, uma forte heresia. É quando a magia começa. A autotransformação.
Abençoe meus olhos para ver seus caminhos!
As mulheres tocam seus olhos, demorando-se um pouco na da escuridão atrás de suas palmas. Quantas vezes nós não vemos? Nós vemos o planeta em sua beleza, com nossos sentidos, e sem eles? Nós SABEMOS quem ela é, esta entidade invisível e onipresente, este planeta do qual compartilhamos a mesma origem? Quão importante é isto? Nós somos feitas da mesma matéria que as estrelas. Primatas lunares, que chegaram à cena histórico-geológica há apenas alguns minutos, e já invadimos a Terra com nossa espécie.
Nós precisamos VER seus Caminhos.
Respeitar, ajustar, florir.
Abençoe meu nariz para sentir seu perfume.
Aqui nós estamos falando de sentir o cheiro da vida ao redor de nós. Os cheiros têm designado muitas células cerebrais, cheirar fornece profundo conhecimento. Seu perfume é agradável para nós. É estimulante e prazeroso.
Abençoe meus lábios para falar de seu nome.
Tocando os lábios, umedecendo-os com vinho e água. Suco da vida e da alegria.
Aqui as mulheres inspiram profundamente. Todos os nossos medos de câncer sobem para nossas gargantas enquanto nós cantamos.
Abençoe meus seios, formados em Força e Beleza.
Verdadeiramente abençoe seus seios. Seios mamíferos. Seios que preservam as espécies. Mal faladas e criticadas tetas. Muito grandes, muito pequenas, muito velhas, muito jovens. Nunca boas o bastante, pobre tetas. Elas precisam ser operadas. Elas precisam ser erguidas. Elas precisam de correção; elas não são boas o bastante.
Se as mulheres gastassem o dinheiro que gastam para “corrigir” suas tetas segundo os fascistas da moda atual, com CONHECIMENTO, nós já poderíamos ter encontrado a cura para o câncer.
Abençoe suas tetas com saúde. Para força, e beleza.
Abençoe meu ventre para Prazer e Vida
Ohh, ohhh o VENTRE! Pobre ventre que tem travado uma guerra diariamente. Ventre que é o centro da transformação, onde nós colocamos nosso sangue e conseguimos energia para viver e amar, e fazer dinheiro. Alimento iguala-se a vida, iguala-se a uma barriga feliz.
Milhões de dólares são gastos em lipoaspiração, dietas, academias. Nós achamos que temos que ocupar menos espaço no universo. Acreditamos que ter uma barriga plana nos trará amor. Tem sido assim desde que eu vim para este país. Eu vivi no padrão por um mês, perdi a gordura da minha segunda gravidez, fiquei magra. NÃO importou! Nada mudou! Você pode ser magra e muito infeliz. Muito só!
Abençoe meus pés para andar em seu caminho.
Aqui está. A missão. Encontrar sua missão, e seguir a felicidade, trilhar o caminho da Paz. Mas guerras nos seguem, e agora a mudança do clima está chegando. Povos mais antigos têm a esperança de que não verão isso, a vovó aqui se preocupa e acha que verá isso, e perecerá. Como aqueles esqueletos de Pompéia, que não escaparam como o resto dos civis.
Mulheres querem trilhar o caminho da paz. Frequentemente, nós não sabemos como. Nós atacamos umas as outras, aceitamos a mentira de que mulheres precisam de homens para sobreviver emocionalmente, e então nunca podemos ser amigas, somente concorrentes. Se você é gay, pelo menos isto não é uma pressão. Uma panelinha atrás da outra.
Finalmente o ritual termina como começou. Braços ao céu, cantando…
Abençoe-me, Mãe, pois sou sua filha!
Aceitando a transformação, sentindo a conexão o divino.
Por Z. Budapest (Traduzido por Aphrodisiastes, do blog Dianismo Feminista Brasil)

Ritual para o Dia de Hécate


Para o Ritual:

- 1 pedra para ser descartada e 1 pedra para ficar no seu altar (Norte)
- 1 música de que goste muito e som para tocar
- 1 Vela da sua cor favorita (além das demais do altar)
- 1 cálice com água

Trace o círculo mágico e invoque os quadrantes como de costume.

Invocação a Hécate

“Ouço e sinto a presença de Hécate que habita todos os lugares indicados pelos quatro pontos cardeais. Sua energia e esplendor brilham como o sol da meia noite, convocando-me para a celebração de sua data especial. Hécate, Sua presença é chamada para este rito de amor e paz a ser comemorado em nome daquela que é a Senhora da Terra, das Ilusões, dos Caminhos e do Submundo. Hécate, poderosa Senhora, eu te invoco para este meu ritual. Venha celebrar comigo e seja bem vinda.”

Volte-se para o norte e segure a pedra entre suas mãos.  Medite sobre um obstáculo que você deseja eliminar de sua vida.  Visualize todos os detalhes associados a ele, as situações que ele está provocando e todo o problema que causa.  Uma vez que tenha transferido para a pedra toda a energia do que deseja eliminar, volte-se para o Norte e leia em voz alta:

"Hécate vem para a minha vida pelo Norte, caminhando, serenamente, e trazendo em seu rosto o sorriso belo do anúncio de sua chegada. Ela traz flores brancas e feixes de trigo em suas mãos.  Um coroa de folhas de carvalho adorna sua cabeça, entrelaçada entre fios sedosos de cabelos cor de bronze escuro.  Ao se aproximar de meu círculo mágico, Ela diz, “Você me chamou e por isso eu vim. Vim recolher a pedra que está em seu caminho e a levarei comigo de volta para os recônditos de meu ventre fecundo. Lá, seu obstáculo se dissolverá e se tornará adubo para novas empreitadas. Em troca do obstáculo que levo, deixo com você esta benção, que não será uma barreira, mas sim uma fonte de força”(deixe a pedra a ser descartada fora do seu espaço sagrado).  Às palavras da Deusa, pergunto, “E que força é essa que a Senhora traz para mim?”.  Hécate diz, “Trago a força da proteção da Terra, as grutas úmidas das montanhas e a proteção da semente à espera por germinação. Trago a serenidade e a paz dos meses de Inverno e a resistência da madeira que se recusa a ceder à força das tempestades. Trago a força da rocha, que se permite quebrar e partir-se até tornar-se grão, mas que nunca se esquece de sua essência. Enquanto você estiver aberto à minha proteção, eu estarei aqui para te ajudar a se proteger. É isso que trago a você nesta pedra”."

Você retira a pedra de seu altar e a segura em suas mãos, visualizando que foi a Deusa quem a lhe entregou.  Sinta o pulsar da energia poderosa da Deusa e a proteção contida nela.  Retorne a pedra ao altar e volte-se para o Leste.

Hécate vem para a minha vida pelo Leste, flutuando, carregada por ventos que, ao ritmo de seu humor, chicoteiam os cabelos escuros e as dobras de seu vestido branco. Ela tem os olhos fechados em uma expressão de prazer, como se saboreasse as carícias travessas dos ventos que a carregam. Seus braços, pescoço e cintura são adornados por feixes dourados de trigo e palha, entrelaçados habilidosamente com folhas de louro em padrões intrincados.  Ao se aproximar de meu círculo mágico, Ela diz, “Você me chamou e por isso eu vim. Vim dançar com você a dança que toca o seu coração, pois apenas dançando com nossos medos que discernirmos sombras de ilusões. Apenas dançando com a solidão que lhe daremos uma companheira. Apenas rindo de nossas próprias tolices descobrimos que erros são oportunidades e que não saber tudo é prova de um infinito de vida a ser vivida”. Às palavras da Deusa, pergunto, “E a Senhora me concede a honra desta dança?” (comece a tocar a música escolhida). Hécate sorri, estende a mão a você e diz, “Pois dancemos (comece a dançar e a ler pausadamente). Dancemos e que nossos passos iluminem a escuridão através das sendas do seu destino. Que os passos de seus ancestrais te guiem nessa jornada, como estrelas brilhando na imensidão infinita do universo, inúmeros caminhos a serem seguidos. Que no meio dessa valsa de estrelas haja negrume suficiente para você esculpir sua própria trilha, seu próprio destino, pois há muito que os ossos dos que se foram não conseguiram alcançar. Pois, dancemos, e que nossa valsa seja celebrada através dos fios da eternidade. E que por essa dança você possa tecer seu próprio destino.

Dance até o final da música. Certifique-se que a vela de sua cor favorita está no altar e volte-se para o Sul.

Hécate vem para a minha vida pelo Sul, cavalgando um raio de luar como uma enorme cadela selvagem enquanto seus cabelos negros fundem-se à escuridão azulada do ceu noturno. Sua pele é salpicada de infinitos cristais brilhantes, como se Ela própria fosse trevas do firmamento. As estrelas estendem sua luz na esperança de acariciar a Deusa e regozijam-se ao tomar consciência de que, juntas, pavimentam a descida de Hécate com brilho, amor e alegria. O sorriso da Deusa é o próprio crescente lunar que brilha em meu coração e me traz esperança e paz. Ao se aproximar de meu círculo mágico, Ela diz, “Você me chamou e por isso eu vim. Vim pois eu sempre venho onde a esperança brilha, mesmo que ela seja apenas uma luz tênue e frágil e que muitas vezes possa não conseguir vencer a escuridão das trevas ao redor. É da luz da esperança que os sonhos se alimentam e sem sonhos não há o sabor da felicidade da conquista”.  Às palavras da Deusa, pergunto, “A Senhora aceita então a chama que lhe ofereço? (acenda a vela). Hécate sorri, e o brilho da Lua crescente sorri para mim naquela face, “E em troca de sua luz eu trago a minha chama sagrada da inspiração, da concentração e da serenidade. Possa sua mente fiar seus pensamentos soltos e trançá-los em belíssimos arranjos que serão entoados à sua felicidade. Possa seu coração ouvir os sentimentos alheios e permitir-se compreender, vibrando com um calor próprio que trará aconchego para aqueles que precisam. Que nossas luzes brilhem juntas e que ela seja um constante lembrete de que dois corações batem onde antes você pensava haver um.
Observe a chama da vela e sinta que a energia de Hécate é conduzida por seu corpo, purificando e trazendo força para cada canto de seu coração e alma.

Quando sentir-se pronto, volte-se para o oeste e diga:

Hécate vem para a minha vida pelo Oeste, de onde também sopra a brisa gélida das almas desencarnadas ainda presas ao mundo dos vivos. Seus olhos, cor de escuridão, estão fixos na jornada adiante enquanto os inúmeros véus negros de suas vestes formam um mar ondulante de trevas no céu noturno.  Em sua mão está um punhal de prata cravejado de pedras da lua e em sua cintura há um açoite de couro negro de três feixes. Em sua chegada, a Deusa conduz uma horda de daemons e, seguindo-os, estão espíritos em sofrimento, desejosos por alimentar-se de Sua divina presença em busca de reconciliação, cura e paz. Hécate vem com expressão séria, porém serena, consciente da necessidade dos espíritos ao seu redor e de suas tarefas no Submundo. Ao se aproximar de meu círculo mágico, Ela diz, “Você me chamou e por isso eu vim. Vim para trazer reconciliação com as sombras de seu passado, pois é abraçando-se as dores e desafetos de tempos de outrora que podemos alcançar a cura de feridas já esquecidas. Trouxe minha horda de espíritos, pois conduzo aqueles que vêm a mim de livre vontade, mas tenho um compromisso de guiar espíritos perdidos em sofrimento rumo à cura e ao retorno ao ventre da Mãe Celestial. Vim para mostrar que por mais longa e árdua que seja uma jornada, por mais escuro que seja um caminho, por mais dolorosa que seja uma lembrança, todo o sofrimento tem um fim”. Às palavras da Senhora, pergunto: “A Senhora aceita esta água como oferenda para saciar a sede espiritual daqueles que precisam dela?” (derrame metade da água do cálice em libação). A Deusa diz “Pois que as águas que dançam e espiralam pelas terras deste mundo levem consigo o calor das canções vivas que os espíritos desencarnados desejam ouvir. Que essas águas limpem, purifiquem e levem consigo os grilhões que os prendem a um passado que jamais voltará. E em troca de sua oferenda, que os espíritos libertos pelas águas do mundo levem consigo uma mensagem que você deseja ser transmitida ao Submundo.”

Derrame a outra metade da água do cálice em libação enquanto você diz a mensagem que deseja ser levada ao submundo. Essa mensagem pode ser algo a ser para um ancestral, uma mensagem geral para as almas que precisam de consolo ou algo mais pessoal para um ente querido que se foi de seu convívio.

Prossiga o ritual lendo:

Hécate vem para a minha vida pelo Norte, Leste, Sul e Oeste. Sua risada singela, sua sobriedade solene e seu esplendor reverberam pela minha vida trazendo alegria, amor, felicidade, autoconhecimento e reflexão. Que Hécate seja homenageada neste dia, como o foi em tempos de outrora, e que a chama da Deusa brilhe forte em meu altar e em meu coração. Que homens e mulheres cujas almas juraram servi-la, possam ver a alegria da chama de minha luz e lembrar-se de que, apesar de adormecida por muitos séculos, Hécate vive e ainda tem muito que ensinar. Pois não há nenhuma lição, nenhuma experiência e nenhum sonho que não tenha sido testemunhado pela luz do luar. Obrigado, Hécate.

Ao sair de seu espaço sagrado, atire a pedra que representa o obstáculo retirado por Hécate o mais longe que você puder.

Montei um ritual simples e com poucos materiais para bruxos celebrando o dia de Hécate (13 de Agosto) solitariamente.  Se você não estiver sozinho, este rito pode ser encenado elegendo-se uma bruxa para representar Hécate.

Fonte: Dylan Siegel