segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Pés no chão, energia e saúde


O título da matéria pode parecer um pouco com papo de maluco,  uma metáfora para lucidez ou somente uma conversa genérica mas é, na verdade, um processo que possui fundamento físicos e que pode beneficiar a saúde e o bem estar de quem passa horas no computador, salas fechadas, sapatos apertados o dia todo e muito concreto ao redor.
Mesmo quando somente uma destas realidades fazem parte do seu dia-a-dia, confie em mim, colocar os pés no chão pode ser o primeiro passo (metáforas, as adoro) para curar os sintomas do stress acumulado em uma semana de trabalho. Funciona perfeitamente comigo e deve funcionar com você também.

Eu, Emi, não estou somente reproduzindo um texto ou uma conversa, mas aqui descrevo também a minha experiência prática que por sua vez alimentou minha curiosidade sobre o assunto, e assim, me inspirou a buscar mais informações e claro, manda-las adiante, pra você.
Tirar os tênis em um pequeno ritual de fim do dia (que eu tenho evitado nesse inverno de zero grau) e tocar com toda a planta do pé no chão, na terra, na grama, nas pedras não só promove uma massagem profunda como também transfere as o acumulo de energia do nosso corpo (isolado pelos sapatos) diretamente para a terra, provocando um instantâneo reequilíbrio elétrico. Experimente a sensação …
Agora, procure caminhar um pouco, esticar os músculos. Essa caminhada com os pés descalço vai movimentar suas articulações e as irregularidades do terreno vão ajudar a fazer o sangue circular em uma massagem suave, por isso, caminhe suavemente e devagar.
Esse exercício diário pode trazer inúmeros benefícios para a saúde. Para aqueles que acreditam na reflexologia podal, pontos em nossos pé que tem ligação com outros órgãos do corpo, não vou precisar dar muitas referências, mas a verdade é que qualquer um pode sentir os benefícios igualmente, e sem misticismo.

A explicação estaria na carga elétrica natural da Terra. Pisando descalços sobre o solo ficamos em contato imediato com a energia natural do planeta. A troca reequilibraria o organismo e atuaria na prevenção e correção de problemas de saúde. Pesquisas recentes sugerem que a energia elétrica da Terra pode estabilizar o “sistema elétrico” do nosso corpo e auxiliar a protegê-lo. Uma relação de recarga, repondo moléculas necessárias e salutares e descartando outras dispensáveis e nocivas.
O desequilíbrio no sistema elétrico do corpo humano teria sido potencializado com o estilo de vida moderno, onde roupas, calçados e moradias, muitas vezes em edifícios que nos afastam ainda mais da terra, funcionam como isolantes e impedem cada vez mais o contato direto com o planeta. Para quebrar esta barreira nociva, bastaria simplesmente andar descalço, uma vez que o contato com o solo neutralizaria a carga no corpo e protegeria o sistema nervoso e órgãos de interferência elétrica externa.

A técnica do aterramento foi desenvolvida pelo ex-executivo de TV Clinton Ober, em 1990. O “inventor” teria observado seus instrumentos eletrônicos e constatado que o ser humano poderia ser beneficiado se fosse aterrado, ou conectado à terra, uma vez que o organismo possui um campo de energia, que precisa estar equilibrado para se manter saudável e o aterramento seria um caminho. Além disso, o contato direto com o solo tornaria as pessoas mais resistentes aos efeitos da eletricidade estática e campos elétricos locais. Ober descreve como chegou a esse entendimento no livro Earthing: The Most Important Health Discovery Ever? (Aterramento: a descoberta sobre saúde mais importante de todas?), em co-autoria com Stephen Sinatra, M.D. e Martin Zucker.

A “terapia de aterramento” é simples e gratuita. Basta ligar seus pés descalços diretamente com a Terra e desfrutar dos benefícios que, ainda de acordo com o livro, incluem:
  • Melhorias significativas em distúrbios relacionados a inflamações;
  • Melhorias significativas em relação a dores crônicas;
  • Melhoria nos distúrbios do sono;
  • Aumento de energia;
  • Diminuição do estresse;
  • Diminuição da tensão muscular;
  • Alívio das dores de cabeça;
  • Diminuição dos sintomas hormonais e menstruais, entre outros benefícios.
Fonte - Jardim do Mundo