quarta-feira, 30 de setembro de 2015

A Importância Vital do Círculo de Mulheres



O círculo de mulheres é um fato emergencial para as mulheres contemporâneas. Cada dia mais, a necessidade para que as mulheres estejam juntas é gritante. Como se a voz e o eco das nossas ancestrais gritassem nos chamando a atenção. Tentando-nos tirar do estado e da rotina que vive levando as mulheres para uma vida que não é delas, que não lhes é natural, que não lhes é real. As ancestrais tentam chamar-nos de volta para o caminho que deixamos um dia de trilhar. Vejo, cada dia mais, mulheres sozinhas em suas labutas. Guerreiras solitárias, amazonas armadas, mães atoladas, e todas elas, em suas heroínas jornadas, sozinhas e abandonadas. Mas, por quem? Por elas mesmas. Distantes, a mil léguas luz, do feminino das suas ancestrais. Das vozes das mulheres que sempre guiaram, inspiraram e estiverem ao lado de outras mulheres para apoiar e tornar a jornada de cada uma mais leve. Porque é muito árduo seguir sozinha. E eu sei muito bem como é isso, como você também deve saber. Meus olhos se enchem de lágrimas, só de lembrar de cada dia, que levanto e sigo e quantas vezes me senti “lutando” sozinha. E quantas tantas outras vezes, um vazio me assolou e não sabia muito bem a falta de quê. E quantas outras milhões de vezes, senti-me acompanhada e amparada quando colocava-me frente à uma deusa, chamava seu nome ou sentava-me ao redor do fogo com outras mulheres. Como toda a solidão, toda a falta de sentido, todo norte nunca encontrado e como todas as lutas travadas pareciam sem sentido, e como todas as feridas e todo o peso da armadura carregada, se tornava um acariciar na minha pele, quando eu podia simplesmente abrir mão de todas as ferramentas que eu havia me munido para encarar o mundo lá fora e como era tudo mais tranquilo somente pelo fato de estar em círculo. Era a oportunidade de abandonar o padrão automático de lutar ou fugir e perceber que há um mundo muito maior, com a mesma força mas com uma candura infinita e que estava ali me esperando e que era o Mundo da Deusa e do Divino Feminino.
Este é o Mundo para o qual toda mulher, mais cedo ou mais tarde, precisa voltar. É aquele momento da jornada onde cai uma ficha e os olhos de repente vêem aquilo que parecia tão normal com outros olhos. Porque hoje, atendo muitas mulheres com tantas questões e tanto sofrimento em suas histórias e um ponto em comum que vejo em todas essas jornadas heroicas é como todas estão vivendo uma realidade nuclear solitária, longe de todas as mulheres, desde suas familiares (muitas com problemas com mães e mulheres em geral, e adorando/tendo mais afinidade com os pais/irmãos) até mesmo com seu núcleo social, que às vezes é até inexistente. Vejo como perdemos o contato e apoio de outras mulheres. E vejo o quanto isso foi crucial para termos uma separação e ruptura drástica na nossa realidade e visão do feminino. Ficamos tão envolvidas com o Mundo do Pai, que abandonamos por completo o Mundo da Mãe. Porque tudo que é feminino é evitado e até mesmo depreciado, e tudo que é masculino é desejado e idolatrado. Foi uma inversão de valores muito grande que nos afastou. E quando nos afastamos, perdemos a força que geramos com o ponto de encontro que só o feminino pode realizar. O grande potencial que há quando mulheres se juntam verdadeiramente.
O nosso núcleo se rompeu. E com ele, rompeu-se também o nosso próprio centro. Nós mulheres, perdemos o centro. Não temos um foco ou um local para onde podemos voltar. Quase uma sensação de abandono e orfandade. Porque estamos isoladas em ilhas particulares, cada uma com seus sofrimentos, com suas dificuldades, com seus questionamentos e sem saber o que fazer com tudo isso. Quantas mulheres estão sofrendo com suas menstruações, com suas gestações, perdendo a oportunidade de terem seus partos, não confiando e acreditando em suas capacidades de maternar e educar, adentrando a maturidade como se fosse um castigo e uma desgraça envelhecer, e passando por seus dilemas e encruzilhadas da vida sem ter suporte e instrução alguma. Sem apoio. Como estrelas perdidas e distantes em um universo sem fim. Mulheres que não tem mais apoio e que não são preparadas para passar pelos ritos de passagem da vida. Vem menarca. Vem a primeira relação sexual. Vem uma gravidez. Vem um casamento. Vem perdas e separações. Vem a entrada na maturidade. Vem o papel de anciã/avó e ninguém passa o bastão para ela. Ninguém celebra com ela. Ninguém ouve seu choro e lamento. Ninguém a ajuda a confiar em seus instintos e sabedoria. Ninguém a ajuda a receber e passar para frente as sabedorias das suas avós, das suas mães e das suas filhas. Cadê as mulheres ao redor do seus fogos, em seus lares, em seus jardins, em bancos das praças e até mesmo nos fundos das igrejas. Onde estão as mulheres que se conversam, que se aconselham, que se unem para celebrar e lamentar a vida? Quantas infinitas mulheres estão passando pelos ritos de passagem mais significantes de suas vidas alheias as suas próprias naturezas, perdendo a oportunidade de acessar às chaves, poderes e ferramentas essenciais aos seus crescimentos, desenvolvimentos e aprendizados pessoais e como um grupo de uma irmandade maior que relaciona todas a linhagem de mulheres do mundo da mais velha a mais nova e assim em retroativo e adiante?
Não estamos cuidando das nossas relações. Porque estamos envolvidas em um mundo patriarcal de conquista, que prepara e deseja pessoas que sejam vitoriosas, que sejam ganhadoras, que sejam produtivas e de sucesso. Que estão orientadas para Fazer, fazer e fazer sem parar como uma máquina dentro de uma grande fábrica, que não para nunca e que nem sequer olha para o lado. Uma vida que não valoriza o feminino, mas sim que o desmerece. Uma vida onde nos isola, porque assim ficamos mais controláveis e agradáveis aos seus olhos.
Mas, precisamos voltar. Precisamos voltar pelo bem de nossas almas. Pela necessidade que temos de uma vez mais, resgatar a mulher selvagem, livre e indomável que jaz adormecida e enjaulada. Pela necessidade vital de voltarmos a viver, porque desse jeito que está somos apenas sobreviventes, cheias de marcas do tempo e feridas à nossa essência feminina, que foi corrompida e secou-se pela distância do nosso lar. Lar. Bálsamo. Rede. Teia. Útero. Coração. Vida. São algumas das palavras que para mim sintetizam o que é estar em um círculo de mulheres, em roda e permitindo espaço em minha vida para que o Feminino possa uma vez mais Respirar. Existir. Ser. Três palavras que para mim expressam o que o feminino é. Sendo que nunca três palavras serão o suficiente, mas já são um convite, uma porta de entrada, uma salvação.
Sim, sinto que estar em círculo de mulheres é necessário para a salvação de cada fêmea que habita esta terra. Porque a magnitude do que acontece quando mulheres se unem com o propósito sincero de resgatar as deusas que foram difamadas, enterradas nas poeiras do tempo e a sabedoria das nossas ancestrais, pura e verdadeira, é a maior cura que podemos fazer por nós e pelas futuras gerações. Cada dia que mulheres se juntam em círculo, é uma grande reverberação que é introduzida e somada no universo com um potencial incrível de mutação, elevação e transformação. Cada dia que mulheres se juntam, empoderamos umas às outras. Cada dia que mulheres se juntam, é uma lágrima que é partilhada, uma conquista que é celebrada, uma mudança que é compreendida, uma iniciação que já não é mais vivida sozinha. É a vida em comunidade. É o pensar em benefícios mútuos. É lembrar de quem somos. É percebermos que somos mais fortes juntas. É criar um mundo rico e fértil onde eu sou você e você sou eu. Nunca mais separadas, mais juntas, na alegria e na dor. Na vida e na morte. Na eterna espiral da Deusa, ventres, corações e almas, de novo vivendo de verdade. Porque a vida tem mais sentido quando caminhamos e realizamos a história de uma mulher protagonista da sua história e não mais coadjuvante, soberana e não mais dependente e esquecida, lembrada e viva com narrativa própria, brilho nos olhos e medicinas que abençoam a Terra e todas as nossas relações.
Porque você mulher é muito importante. Você pode mudar a história de outras mulheres e sua história pode inspirar tantas outras. Mulheres vocês são importantes. Cada história. Cada particularidade, cada tudo e cada pouco. Você tem valor para uma outra mulher porque mesmo sem conhecê-las, todas as mulheres tem valor para mim, porque tudo que eu faço é por cada mulher que conheço e principalmente para as que desconheço, porque para o Divino Feminino, tudo importa.
Mulher, você é importante. O círculo só é restaurado se você estiver lá.
Que assim seja,
Abençoadas sejam todas.
 
Ana Paula Malagueta

A Liberdade de ser Bruxa


A que é a Bruxa – um Conceito e uma Bruxaria

Não queremos reviver a bruxaria, uma vez que ela nunca morreu pra nós, mas sim continuou seu legado através de nossa linhagem sanguínea e espiritual.
 Não temos porque erguer a bandeira do paganismo, uma vez que vivemos na era cristã e não defendemos uma era, mas sim fazemos um egresso, seja na era que for.

A bruxaria não é pagã ou cristã, ela simplesmente é!

Ela não se veste de bandeiras nem religiões, quem a veste dessa forma são as pessoas que querem ser bruxas sem o ser de fato.
Reavivar um caminho espiritual mágico fundamentando-o numa defesa onde os argumentos são mais parecidos como se fossem um povo que nunca morreu, é balela, pois a bruxaria passou por modificações, transformações em sua longa vida, e todo mundo morre um dia, deixando descendentes que transmitiram a semente às novas gerações, assim como tudo na natureza é mutável, assim como são em todos os anos, as estações, e as estações reencarnam como nós também reencarnamos e nos dirigimos aos nossos iguais.

As estações não são pagãs nem cristãs, nem mulçumanas, nem judaicas, elas são fluxos da natureza, assim como nós, e estamos todos interligados, e tradicionalmente não precisamos ditar regras de controle, apenas podemos deixar a Arte Bruxa fluir como nossos antepassados fizeram. Controle é o seguinte: “tudo que prende, não pode libertar”. Quem vive na barra da saia de uma instituição é porque não cresceu o suficiente para andar sozinho e fazer suas escolhas próprias.

A Arte Bruxa vive em nós e em tudo, não precisamos gesticular igual, vestir roupa igual e pensar igualmente, cada ser humano é um ser ímpar, com pensamentos próprios, gestos próprios e gostos próprios, e isso deve ser preservado em sua individualidade.
Nós não somos um povo que viveu numa única ilha do mundo, nós estamos em todos os lugares, e em nós, flui a tradição. Se você tem poder em sua voz bruxa, certamente conseguirá conjurar um espírito, um santo, um deus, uma deusa, um diabo, um encanto, etc, mas se não tiver, ficará anos e anos chamando e nunca terá uma resposta.

É comum para a verdadeira bruxa, utilizar elementos de todas as religiões, espiritualidades, folclores do mundo inteiro que se alinham consigo, e filosofias que bem entender, pois a bruxa lida com tudo que bem entender, ela não é um movimento pagão, nem mesmo é pagã de fato, pois quem já foi verdadeiramente uma bruxa pagã já está morta há muito tempo e se encontra no rol de nossos ancestrais, e de certo que ela teve um filho ou filha como herdeiros, e até mesmo seus agregados que transcenderam a carne. O legado deixado por ela, é a semente que se encontra hoje em nós, que vivemos na era cristã numa boa e sem conflito com isso, afinal, somos hereges e abarcamos o todo, não nos limitamos à uma única religião, culto, filosofia, entidade, deidade, demônio, instituição, cultura, povo, etc, enfim, não nos limitamos, somos indomados.

A visão de mundo dos antigos ocultistas (aqui entre nós, eles foram os fodões de sua época enquanto bruxos e magos), que ensinavam aquilo que é perene, é TRADICIONAL para nós, por isso, UNO. Por isso somos bruxos tradicionais. Podemos chegar para um Asatrú, um Wiccano, um Neo-Druída, um Thelemita, e dizer: sou bruxo tradicional, ou seja, sou bruxo a moda antiga, a filosofia que mais me agrada é a perene, sou herege, não fui feito de religião pois nunca precisei me religar a fonte da qual eu nunca estive desconectado, não fui feito pelas mãos de Gardner, nem por Tribann, nem por Crowley ou La Vey, o que carrego comigo, vem de família, e se cheguei de algum modo passar por essas artes modernas, eu já era bruxo quando cheguei nelas pra conhecê-las. Então:
Se você recebeu uma cultura de um país, então você recebeu somente uma cultura de um país, isso não faz de você uma bruxa.

Se você nasceu bruxa e reencontrou sua família, bom pra você, é o que queremos pra nossa gente, mas ninguém lhe obriga a se filiar em alguma instituição filantrópica de magia, da qual o pseudo-imperador vive de marketing no orkut, no youtube, no facebook, etc, sempre de alguma forma se auto promovendo e ditando a moda dele usando o nome da bruxaria tradicional, só para lhe dar o diploma de bruxa, afinal, ou você nasceu bruxa ou não nasceu, e se nasceu, é bem comum e esperado que você se junte com seus iguais, isso marca seu caráter ou a falta dele.

Nossa marca é visível aos olhos de nossos iguais. Quem não enxerga ela, não pode provar que ela não existe, e podemos facilmente desmascarar alguém que se passe por um de nós, principalmente por aquilo que ele escreve e pensa.
Nascer bruxa é reconhecer-se bruxa desde cedo e deixar seu dom fluir como as águas, independente do berço, da bandeira religiosa, e do sexo.

Uma vez aberta as comportas de uma represa, não tem como voltar a água para traz!
Assim é o dom da bruxa. Cada um de nós carregamos a tradição perene (eterna, que não morre), a filosofia perene (eterna, que não morre), e cada tradição bruxa existente, é perene (eterna, que não morre), por isso não precisa ser reinventada, mas sim, regressamos nela quando reencarnamos e nos juntamos com nossa família bruxa, não precisamos e não queremos aprender a ser bruxos da forma que foram nossos antepassados, nós somos bruxos atuais, que vivemos nessa época da vida, e somos assim, carregamos a tradição e sabemos o que sabemos, os costumes são mantidos, cada um com seu perfil, e cada geração bruxa que nasce, vem mais forte, portanto, somos mais fortes que nossos antepassados, somos eles reencarnados, nós evoluímos com progresso, e não temos conflitos em sermos bruxos numa era cristã, vide o tradicional sincretismo de imagens cuja sobrevivência superou e transgrediu séculos de ‘ditadura’ religiosa, e hoje você não encontra um bruxo se quer, que não tenha virado Santo Antônio de cabeça pra baixo, dentro d’água na pia da cozinha, ameaçando-o deixá-lo ali até que ele faça o que se pediu. Da mesma forma, as Stregas sempre colocaram Diana no forno ameaçando assá-la se ela não realizar um pedido. Não somos controlados, a não ser por nós mesmos, com ou sem nossa transformação interna.

Diga NÃO as filiações institucionais e controladoras, e DIGA SIM à sua liberdade Bruxa!

Caso contrário, daqui um tempo, nós os bruxos livres, vamos ter de pedir ‘bênçãos’ para essa tal instituição legalizada para que possamos nos manifestar no mundo como somos, ou seja, como bruxos que somos. E isso não é certo.

Nós não temos controle e não podemos ser controlados, e é por isso que somos temidos por gente com complexo da baratinha de Lispector, e isso não nos intimida, nem nos faz melhor nem pior. Somos o que somos, e existimos desde sempre.

Chega de preconceitos e de gente querendo controlar a gente através de instituições!

Bruxos livres, defendam seu direito de livre manifesto no mundo, e enfeiticem o controle alheio com paz generosa, para que eles também aprendam conosco, como é ser livre de fato.

Sett Ben Qayin

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

A força do Deus Cornífero na Bruxaria


"Da mesma forma que toda luz nasce da escuridão, o Deus, símbolo solar da energia masculina, nasceu da Deusa, sendo seu complemento, trazendo em si os atributos da coragem, pensamento lógico, fertilidade, saúde e alegria. Da mesma forma que o sol nasce e se põe todos os dias, o Deus nos mostra os mistérios da morte e do renascimento."


O Deus Cornífero é o Deus fálico da fertilidade. Geralmente é representado como um homem de barba com cascos e chifres de bode ou cervo. Ele é o guardião das entradas e do Círculo Mágico que é traçado para o ritual começar. É o Deus Pagão dos bosques, o Rei do Carvalho e o Senhor das Matas. É o Deus que morre e sempre renasce. Seus ciclos de morte e vida representam nossa própria existência.

Ele nasce da Deusa, como seu complemento e carrega os atributos da fertilidade, alegria, coragem e otimismo. Ele é a força do Sol, que nasce e morre todo os dias, ensinando aos homens os segredos da morte e do renascimento.

Segundo os mitos pagãos, o Deus nasceu da Deusa, cresceu e se apaixonou por Ela. Ao fazerem amor, a Deusa engravida e quando chega o Inverno, o Deus Cornífero morre e renasce quando Ela dá à luz. Esse mito contém em si os próprios ciclos da natureza, pois no Verão o Deus é tido como forte e vigoroso; no Outono, ele envelhece; morre no Inverno e renasce novamente na Primavera.

O simbolismo do mito deve ser obervado, pois todas as coisas vieram da Grande Mãe, inclusive o próprio Deus e por isso para Ela Ele deve voltar.

O culto ao Deus Cornífero surgiu entre os povos que dependiam da caça, por isso Ele sempre foi considerado o Deus dos animais e da fertilidade e ornado com chifres, pois os chifres sempre representaram a fertilidade, a vitalidade e a ligação com as energias do Cosmos. Além disso, a Bruxaria surgiu entre os povos da Europa, onde os cervos se procriavam com extremada abundância, por isso eram frequentemente caçados, pois eram uma das principais fontes de alimentação.

Com o crescimento do Cristianismo e com a intenção do Clero em derrubar a Bruxaria, a figura atribuída ao Deus Cornífero acabou por personificar o Diabo e na atualidade ressignificar o status desse importante Deus torna-se difícil.

O Deus Cornífero representa a luz e a escuridão, a imortalidade e a morte, a interrupção e a continuidade. O Deus simboliza a força da vida e da morte, é o amante e filho da Deusa, o Senhor dos cães selvagens e dos animais. É Ele que nos desperta para a vida depois da morte. Representa o Sol, eternamente em busca da Lua e seus chifres simbolizam as meias-luas, a honraria e a vitalidade e não uma ligação com o Diabo.

O culto à Deusa Mãe e ao Deus Cornífero é pré-cristão, surgiu milhões de anos antes do catolicismo e do conceito de Demônio o qual jamais foi adorado, invocado, cultuado e reverenciado nas práticas pagãs ou como Deidade da Bruxaria.

A Arte Wiccaniana remonta aos homens das cavernas e para entendermos o porquê de uma Divindade com chifres ser reverenciada pelos Bruxos de antigamente e é reverenciada até hoje pelos Bruxos modernos, temos que pensar como nossos antepassados.

Os chifres sempre foram tidos como símbolo de hontra e respeito entre os povos do Neolítico. OS chifres exprimem a força e a agressividade do touro, do cervo, do búfalo e de todos animais portadores dos mesmos.

Entre os povos do período glacial, uma divindade era representada com chifres para demonstrar claramente o poder da divindade que possuíam.

Quando o homem saía em busca de caça, ao retornar à sua tribo, colocava os chifres do animal capturado sobre sua cabeça, com a finalidade de demonstrar a todos da comunidade que ele vencera os obstáculos. Graças a ele, todo o clã seria nutrido, ele era o "Rei". O capacete com chifres acabou por se tornar uma coroa real estilizada.

Muitos Deuses antigos como Baco, Pã, Fauno, Dionísio, Quíron, Cernunos, Odin, entre outros, foram representados com chifres. Os maiores guerreiros vikings eram aqueles que possuíam capacetes de chifres, pois representavam a sua força e bravura. Até mesmo Moisés foi homenageado com chifres pelos seus seguidores, em sinal de respeito aos seus feitos e favores divinos.

Os chifres sempre foram representações da luz, sabedoria e conhecimento entre os povos antigos. Portanto, como podemos perceber, os chifres, desde tempos imemoráveis, foram considerado símbolos de realeza, divindade, fartura e não símbolo do mal como muitos associaram e ainda associam.

O Deus Cornífero é, então, o mais alto símbolo de realeza, prosperidade, divindade, luz, sabedoria e fartura. É o poder que fertiliza todas  as coisas existentes na Terra, já que Ele é o próprio Sol.

Baseado no livro de Claudiney Prieto, Wicca, Ritos e Mistérios da Bruxaria Moderna

Marisa Petcov

Emanações da Buxa



 "Somos reflexo do inteiro universo, florindo, expandindo, contraindo, pulsando, respirando... desconhecemos os nossos mistérios porque é infinito o universo dentro de nós... Gratidão pela minha vida, pela pulsação em mim...
Segundo dia de meu sangue sagrado, estava aqui sentindo aquele incômodo que normalmente reconheço como dor e de uma hora pra outra me deu uma coisa de "e se eu resolver sentir isso como outra coisa"? E isso mudou a minha percepção na hora, e o que eu sentia era meu poder emanando do útero, como uma luz dourada avermelhada que se expandia em meu ser em todas as direções.
Fase da "bruxa", essa conhecida vulnerabilidade, quando as coisas do mundo externo deixam de fazer sentido e quero encontrar em mim esse tempo-espaço só meu, embalo de rede alçada no universo, entre as estrelas, onde tudo é música e silêncio, onde lágrimas são iguais a sorrisos, onde meu canto emana de mim como água que borbulha e faz cosquinha no umbigo do universo.
Sagrada mãe, grande mãe, que o seu corpo não seja mais terra estrangeira onde pisamos, mas solo sagrado onde depositamos nossas vidas como bênçãos. Gratidão pela eterna acolhida em seu seio, gratidão por nos cuidar como sempre crianças, gratidão por ser sua menina e sem medos ou culpas poder brincar.
Aqui, nesses recantos da criação, recolhemos materiais para a nossa arte, lã colorida de nossos amores, pincéis de coragem, pedacinhos de papéis de gratidão. Disponho tudo diante de mim para esse grande quadro, na obra da minha vida me reconheço DEUSA, cada um é o único escolhido para mudar o mundo do seu jeito, colorindo-o com um pouquinho mais de cor.
Me alço além das montanhas, além do ar que se respira, além da paisagem de neve que vejo da minha janela, o branco de minha alma se ergue até um mundo onde possa se expressar com cor, desde menina que brinco com cores incoloríveis, sonhando o dia em que meus olhos poderiam vê-las. Já ouvi o canto das formas, já viajei por cachoeiras coloridas, já sonhei o mar onde um dragão se escondia, prenúncio de amplidão à minha mente criança.
Hoje me reconheço mulher, a abundância do universo escorre de mim e se manifesta na minha vida em todas as suas formas, e olha que a minha vida é só uma, meu centro em meio a toda essa dança que contemplo muda, deuses e deusas que me rodeiam brincando de criar por sua vez outras danças de universo.
Ah, vida que gira comigo ciranda, riso de menina, frio de barriga em gangorra, vento que mexe no meu cabelo até que nasçam flores, vi o nascer do sol nessa primeira madrugada e meu coração se encheu ainda mais de luz.
Estou, existo, aqui agora meu canto é de passarinhos e esperança, meu sangue hoje passeia por outras cores, experimenta ser essa viagem e flui com a música que eleva... Ah, gratidão mais uma vez por essa escrita, que nesse fluir se manifesta, sou dela a convidada, ela já estava aqui quando eu cheguei e me vi no gesto. Apenas acompanhei o movimento que já acontecia, o preencher essa página de tudo o que eu quero, o descorrer meu mundo até então desinteressante em verso e ver o conteúdo de meu ser se desdobrar de dentro, fenômeno do nascimento das estrelas que brota de dentro desse ser universo.
Eu sou. Sou tudo, sou mundo, sou cume, sou entrega. Me entrego a essa missão de flurir, florir-fluir-nutrir, com a intenção de abrir espaço para essa escrita, essa corrente que se alarga e se manifesta percorrendo a terra, subindo colinas e descendo cascatas, pegando carona no trem de ferro até o próximo vale florido, onde danço com flores e abismos até o pôr-do-sol"


Larissa Lammas Pucci

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

A Mulher e a Sexualidade Sagrada



“Sagrado Feminino” significa várias coisas, uma vez que se expressa em várias dimensões da vida:

• Na dimensão espiritual significa incluir e valorizar o feminino como uma dinâmica igualmente fundamental da força criativa da vida e do Divino. O yang não pode existir sem o yin. Significa lembrar a nossa interconexão e unicidade: não estamos separados uns dos outros nem da criação.

• Na dimensão religiosa, significa incluir e honrar o rosto feminino de Deus na expressão religiosa, rituais e cerimônias, com linguagem inclusiva (como Deusa Mãe/ Deus Pai). Significa reconhecer e honrar as divindades femininas e arquétipos da Deusa ao longo de toda a história e culturas.

• Na dimensão planetária significa ver a Mãe Terra como a nossa Mãe, respeitando-a e curando-a.

• Na dimensão cultural significa reconhecer a sacralidade de toda a vida, a nossa rede de interconexão e comunidade; celebrar a grandeza e sabedoria do feminino em todas as culturas, nas artes e na expressão criativa.

• Na dimensão psicológica, significa recuperar as qualidades do Feminino como importantes qualidades interiores de totalidade e equilíbrio dentro de cada indivíduo, do sexo feminino e masculino.

• Na dimensão humana, significa valorizar a mulher como pessoa inteira-corpo, mente e espírito e valorizar as mulheres em igualdade com os homens.

• Na dimensão social, significa resgatar as vozes, visões e sabedoria das mulheres para serem recebidas e integradas ao serviço da cura social e do equilíbrio. Significa valorizar as contribuições das mulheres em casa, como cuidadoras, bem como no local de trabalho e na comunidade.

• Na dimensão política, significa usar a autoridade do poder para servir o bem maior, para proteger e servir a vida e não para dominação, ganância e interesse pessoal. Significa proteger a riqueza comum dos recursos planetários, tais como água, comida, ar, solo, energia.

• Na dimensão histórica, significa reconhecer e ensinar nas escolas as descobertas arqueológicas das culturas da Deusa, no tempo pré-patriarcal, baseadas em valores de parceria e aprender com elas um paradigma de sociedade que usa o poder para servir a vida, e não por ganância. Significa também incluir na história as contribuições das mulheres, bem como a história do Holocausto das Mulheres (600 anos de fogueira).

• Em valores da vida diária que significa boas-vindas, incluindo e ouvindo um ao outro, ao serviço da compreensão. Significa aceitar e respeitar as diferenças. Estar aberta à compaixão. Significa estar aterrado no coração, usando a cabeça a serviço de um bem maior. Significa incluir a intuição na percepção e tomada de decisão. Isso significa estar ligado à bondade, vivacidade, sensualidade e sabedoria de o corpo. Significa usar o poder pessoal para servir e para criar, não para dominar e explorar.
 
Vikki Hanchin, LSW

Óleos Essencias para Primavera


A fase Madeira – é indicativo da energia em desenvolvimento e em aceleração (fase yang), como que despertando, vem com a prima...vera e a manhã. Neste estágio de transformação, as forças contidas e latentes da Água são despertadas e ganham direção.
 
O elemento Madeira é subseqüentemente associado tanto com o movimento como com a evolução. Seu principal órgão Yin é o Fígado. Ele é tido como provedor e residência de Hun ou a Alma Etérea – nossa mental e espiritual capacidade de visualizar, sonhar e planejar.
Assim, quando o nosso manancial de ambição e de motivação, por qualquer razão, vem a ser bloqueado e obstruído, a emoção primária Raiva pode se manifestar. Similarmente ao Medo, a Raiva pode expressar-se não somente como aborrecimento e a ira, mas como irritabilidade, mau humor e até depressão.

A depressão ocorre quando a Raiva não pode achar uma saída positiva e conseqüentemente volta-se para dentro para oprimir a Alma Etérea.
Dois dos mais efetivos Óleos Essenciais para restaurar a harmonia ao Elemento Madeira são as Camomilas (Chamaemeleum nobile) e (Chamomille recutita). Os principais óleos antiespamódicos, as Camomilas trabalham para regular o Fígado, dissipar a estagnação de Qi e relaxar a tensão nervosa que freqüentemente reflete o desequilíbrio de Madeira.
Numa perspectiva mais profunda, o O.E. de Camomila pode dispersar a tensão da excessiva Vontade do Eu – a frustração, o ressentimento e a depressão que pode se seguir ao despertar. Ele é quente, semelhante ao aroma de maçã, comunicando uma sensação de satisfação e ao mesmo tempo levemente amargo, esfriando-nos com um toque de realidade.
O O.E. de Camomila ajuda-nos a firmar as expectativas calmamente, reconhecendo as nossas limitações e a admitir mais facilmente o auxílio e o suporte que os outros podem nos oferecer. Ele irá, também, restaurar a harmonia a todos com desequilíbrio do Elemento Madeira.

Aroma Flora

Rituais de Lua Cheia - “Lua de Sangue”

http://melncoly.files.wordpress.com/2009/02/moon53201.jpg

Prepare-se para 27 de Setembro 2015  - Lua Cheia com Eclipse! Faça os seus Rituais!

 
Orientação com Banhos e Ritual para receber a "Superlua" Cheia com eclipse domingo, 27 de Setembro 2015.
Pela primeira vez em mais de 30 anos, você poderá ser testemunha de uma combinação entre uma "Superlua" e o eclipse lunar. Segundo o site EBC Notícias, O raro evento vai acontecer no domingo, dia 27 de setembro, quando a enorme lua será coberta pela sombra da Terra por mais de 1 hora. Todo o território do Brasil vai poder observar, por volta das 22h, a Lua começar a escurecer e ganhar uma coloração avermelhada, conhecida como “Lua de Sangue”.
A cor vermelha surge durante um eclipse lunar, quando a terra está entre o Sol e a Lua, no momento em que a sombra da terra cai na lua. A lua não fica vermelha, mas é iluminada pelos raios solares, que são filtrados pela terra, que chegam com menos luz azul e mais vermelha.

Rosea Bellator nos ensina que em dia de Eclipse Lunar a energia feminina está em alta. É COMO SE UM GRANDE CALDEIRÃO ESTIVESSE ACESO E ESPERANDO PARA FAZER A MAGIA ACONTECER!
 
Banho de Primavera

Para DAR UMA SACUDIDA NA VIDA, faça uma energização geral na casa, na família toda, nos animais e nas plantas. Faça agora na Lua Crescente, na Nova ou na Cheia, só não faça na Minguante. São 4 etapas. Para conseguir os ingredientes, compre em erveiros ou casas de produtos naturais ou peça aos vizinhos que têm plantas no quintal o que puderem arranjar.

1. Limpeza Energética na Casa: Primeiro, faça uma faxina bem caprichada na casa toda, começando pelo teto e descendo pelas paredes, incluindo janelas e portas, sempre do cômodo mais longe em direção à porta da frente. Depois, junte um punhado de sal grosso e um punhado de folhas de eucalipto a 2 litros de água fervente, abafe e quando esfriar coe e junte mais água em um balde. Se usar óleo essencial ou essência, pingue direto na água do balde que vai usar. Com um pano limpo, passe em portas, batentes e janelas e com outro passe nas paredes e depois no chão, sempre do cômodo mais longe em direção à porta da frente.

2. Purificação dos Campos Energéticos da Casa: Umedeça um pano numa solução de 120 ml de vinagre de maçã para cada 100 ml de água. Misture em um balde e passe nos móveis, objetos, portas e batentes e um outro pano no chão, vindo pelos cômodos da casa de dentro para fora até a porta de entrada. Coloque também uma colher de sopa do vinagre de maçã em 500 ml de água em um borrifador e borrife as plantas da casa - tranquilize-se, não prejudica as plantas.

3. Vaporização para afastar energias de conflito e confusão: Lave e junte a 1 litro de água fervente algumas folhas e se conseguir também flores de maracujá. Coloque num vaporizador e borrife em todos os cômodos da casa, principalmente os cômodos frios como cozinha e banheiro.

4. Banho para abrir caminhos: Faça para você e para os membros da família que também se dispuserem a tomar, inclua os animais - tranquilize-se, não prejudica os bichinhos. Para cada um, misture um punhado de cravos da índia, um molho de hortelã e duas folhas de colônia a um litro de água quente. Abafe, coe, adicione mais água e, se desejar, acrescente gotas do perfume predileto. Após o banho normal, é só derramar da cabeça aos pés mentalizando as coisas boas que desejar para a vida daqui para a frente.

Rosea Bellator

Um outro banho para este domingo tão especial: PARA TRABALHO, DINHEIRO E VITÓRIAS
EM QUALQUER CAMPO PROFISSIONAL OU FINANCEIRO, faça um banho com um pau de canela, três folhas de louro, um punhado de alecrim, um punhado de sálvia e alfazema. Pode ser tudo em erva, tudo ou parte em essência. O que for erva, coloque em um litro de água fervente e abafe. Depois coe, acrescente mais água e use após um banho normal chamando pela Lua e fazendo seus pedidos. O que for essência, pingue na água direto.

O ideal é fazer os banhos à noite, já que o eclipse está previsto para depois das 21 hs em algumas regiões e 22 hs em outras. Abaixo coloquei um link para um site com os horários de cada região.
Após o banho, use roupas claras e soltas, para a energia do corpo não ficar retida em roupas apertadas. As cores mais tradicionais da Lua são o branco, o azul e o prata. Essas cores servem tanto para roupas exteriores quanto íntimas.

Se desejar fazer um ritual, não complique, recomendo que se solte, você é Lua, é o Sagrado Feminino conectado a Ela. Siga sua intuição. Rituais quanto mais simples e descomplicados mais efeitos fazem! Seguem sugestões - use parte ou tudo se desejar.
No gramado, na terra, na área de serviço, sob uma janela, sobre uma mesa ou até um banquinho se tiver um local do qual possa ver a lua, estenda um tecido branco ou toalha de papel branca, um incenso de rosa branca, uma vela branca ou azul, coloque um copo de água do lado, um espelho pequeno e um borrifador com água mineral ou filtrada no qual você vai pingar essência de rosa branca.

Na hora do eclipse - não precisa ser exatamente na hora, aproximado já está bom - borrife o ambiente e os objetos com a água de rosa branca, acenda o incenso e a vela se for usá-los e se tiver acesso à Lua, veja se consegue colocar o espelho de forma a refleti-la, vá movendo o espelho conforme Ela se move.

E faça uma invocação à Lua para que a ajude a realizar o que deseja e ajudar a abrir seus caminhos.
A invocação é feita com suas palavras, mas pode ser usado este exemplo a seguir, para quem sente que não consegue se expressar naturalmente: "Senhora da Luz de Prata, neste momento invoco sua presença em meu ritual. Venha amada Mãe, que seu poder possa me dar........ (diga o que precisa), que sua luz me ilumine e dê força."
Faça um ritual com a meta desejada em mente e coloque seu objetivo com clareza para a Lua. No entanto, se não tem uma meta ao realizar o ritual, coloque algo mais abrangente, como paz, felicidade, harmonia.

Se você estiver em um local onde no domingo a noite esteja nublada ou chovendo, lembre-se: A LUA CHEIA VAI ENTRAR E O ECLIPSE ESTARÁ ACONTECENDO DE QUALQUER JEITO, LÁ EM CIMA, NO FIRMAMENTO. Portanto, faça o que der para fazer mentalizando a Mãe sobre as nuvens, dentro de casa mesmo.

Este site de Portugal tem todos os detalhes sobre o eclipse. Acesse e veja o horário certinho em sua cidade aqui no Brasil:


Theresa Tullio 

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Receitas Mágicas


















"O ato de cozinhar, quando realizado ritualisticamente, é o meio mais eficaz na feitura de feitiços.
Com a cozinha aprendemos o ato da concentração, um dos aspectos mais importantes da feitiçaria. Aprendemos a gentileza dos gestos, essencial nos rituais.
Com o calor do fogo, sentimos próximos os tempos em que guardávamos a chama sagrada.
Onde éramos as sacerdotisas dos templos, onde ensinávamos aos homens os segredos da caça, onde observávamos os ciclos da Lua.
A cozinha nos traz os mistérios da delicadeza. De nossa cozinha sairá o segredo da Terra. Nela habitarão todos os segredos da natureza.
O ato de cozinhar será uma grande Bruxaria!!!" - A cozinha da Bruxa, Marcia Frazão

Receitas

Delicia de Afrodite – Para estimular o amor entre as pessoas
½ xicara de cebola picada
2 dentes de alho
3 colheres de óleo
400g de carne moída
2 xicara de tomates picados
1 xicara de talo de couve picado
2 xicara de casca de banana picada
2 xicara de banana picada
1 maça picada
1 xicara de abacaxi picado
Sal a gosto
3 colheres de salsa e cebolinha picada.
1 colher de manjericão picado
Modo de fazer : Acenda uma vela rosa e um incenso de rosa, peça a Afrodite o amor ou o relacionamento desejado Doure o alho e a cebola no óleo. Acrescente a carne moída  o tomate, os talos de couve, as cascas de bananas. Refogue. Junte a maça, a banana, o abacaxi , o manjericão  e o sal. Deixe as frutas cozinharem até ficarem macias. Desligue o fogo e salpique com a salsa.

Salada de Apolo – Para prosperidade

Alface - Lua
Rúcula - Lua
Agrião - Lua ...
Manga - Sol / Júpiter

Molho:

Maionese ( 2c )
Polpa de maracujá
Mel
Sal
Pimenta do reino em pó
Estragão ou orégano

Molho : Misturar Tudo.

Modo de Fazer : Fatias de manga Grelhada

Montagem do Prato : Colocar as folhas, por cima colocar as fatias de manga, e decorar com o molho. Salpicar com orégano ou estragão. Consagre esse prato a Apolo, e peça a prosperidade em seu caminho.

Refresco da Harmonia – Para trazer calma e paciência

1 xicara erva cidreira fresca
1 xicara de alface
3 xicara de àgua...
4 limão
2 copos de gelo
1 xicara de açucar

Modo de Fazer :

Acenda uma vela azul e um incenso de erva cidreira, peça pela calma e paciencia a Deusa Harmonia. Lave bem a alface reserve. Com a água e a erva cidreira faça uma chá bem forte e deixe esfriar. Reserve. Esprema os limões e coloque no liquidificador com o chá, a alface, o gelo e o açucar. Coe e sirva gelado.


Tânia Gori

O que é a Gastronomia da Bruxa ?


Compreendendo um pouco mais a Gastronomia da Bruxa

 
Magicamente usamos a força planetária dos ingredientes para fazer a combinação para reequilíbrio das áreas de nossa vida que estão desajustadas.
Em uma cozinha de Bruxa não está apenas a energia secreta de nossas antepassadas, mas principalmente a arte da alquimia dos alimentos, de nutrir, de energia em tudo que é feito no coração da Casa. Sim… A Cozinha é o coração da casa, onde acontece o milagre da alquimia – o preparo do alimento. Nós realmente acreditamos que a cozinha é o coração da casa. Os princípios de alcançar a consciência através da preparação e partilha de alimentos permanecem os mesmos se você vive em uma mansão ou uma tenda. Congratulemo-nos então!

Na cozinha temos o equilíbrio perfeito dos 4 elementos, a água, equilibrando nossas emoções, o ar, para suavizar nossos pensamentos, a terra para estabilizar nosso físico e o fogo para nos dar ação em nosso dia a dia. Sua cozinha e um altar. O fogão é equivalente hoje aos corações de nossos anciões, e é onde a maioria da preparação dos alimentos é feita. Você pode criar um pequeno altar com itens que podem ser movidos, conforme necessário – adicionar uma estátua de uma casa ou uma deusa Lareira, um caldeirão, ou uma vela.

Em uma cozinha mágica é muito interessante à montagem de um altar para que toda comida preparada nesse ambiente tenha uma harmonia e uma energia maior. Volto a falar que a montagem do altar é muito simples, utilize de uma vela, um incenso, um cristal e uma taça com água, prontos seu altar já está montado.

Um dos mais agradáveis métodos de proteger a você e a sua cozinha é cultivar um vaso de aloe vera (babosa) em uma janela ensolarada da cozinha. Essa planta alivia a dor provocada por queimaduras e arranhões; basta gentilmente cortar um talo maduro, agradecendo a planta pelo sacrifício, e espalhar o gel no local machucado.

É um costume bem antigo dedicar a primeira porção de alimento aos elementais para que eles continuem protegendo nossa casa e as pessoas que vivem na casa.

Trecho da apostila “Cozinha da Bruxa” – autoria Patricia Fox : 

“Abençoada seja esta cozinha pelos poderes do Ar, do Fogo, da Água e Terra. Que esteja aquecida pela luz sagrada divina; e tudo que for feito aqui, traga cura, amor, sustento e não prejudique ninguém. Com amor, paz, criatividade e magia… estando agora e sempre completa. Que assim seja!”.
 
Dica da Bruxa: Para proteção na sua cozinha mágica, confeccione um saquinho de pano e ponha dentro: Cascas de alho, casca de cebola, alecrim, louro, sálvia e pedra de sal. Protege o ambiente de energias negativas e purifica também…
 
A Receita mais Especial

E a receita é uma só:
Fazer as pazes com você mesmo.
Diminuir a expectativa, e entender que felicidade não é TER.
É SER.

O que é a Bruxa da Cozinha?
 
Há um movimento crescente dentro paganismo moderno conhecido como bruxaria da cozinha.
A cozinha é, afinal de contas, o coração de muitas famílias modernas.
Quando você tem um encontro em sua casa, onde a maioria das pessoas fica? Na cozinha, é claro!
Além disso, graças a um declínio da economia, muitas pessoas mais estão na cozinha, isso vez com que ela se torna novamente um lugar onde as pessoas passam horas, em vez de minutos. Portanto, não é surpresa que bruxaria da cozinha tem tido um aumento na popularidade.
Preparação da refeição como magia:

Quando você toma o momento de colocar as refeições em conjunto a partir dos ingredientes básicos, você tem uma oportunidade mágica na mão.
Você pode infundir cada prato com intenção e vontade. Uma refeição pode deixar de ser algo que você despejar de uma lata, e começar a ser um ritual em si.
Quando você tem tempo de preparar algo com suas próprias mãos, que lhe empresta caráter sagrado, e vai fazer você querer passar o tempo saboreando-a com sua família, ao invés de apenas engolir.
Ao mudar o modo de exibição de alimentos, sua preparação e seu consumo, você pode criar um pouco de magia prática em seu nível mais simples.

 Como trazer a magia para a cozinha:

Como você se tornar mais consciente de como é viver magicamente, e mais em sintonia com as suas próprias ações e atividades, você pode em algum momento perceber que sua cozinha é um mágico.
Há uma série de coisas que você pode fazer para melhorar a atmosfera mágica em sua cozinha. Experimente alguns ou todos esses para começar:
  • Verifique se o suas ervas são facilmente acessíveis. Se você cozinhar com eles, exibi-as em potes decorativos. Certifique-se de que não está sentado na luz solar direta, no entanto, ou eles vão perder a sua potência. Se possível, ter plantas vivas em vasos para usar durante o ano. Mantenha legumes frescos na mão também.

  • Leia-se sobre práticas como Feng Shui para que você possa otimizar o seu espaço de trabalho para o máximo de eficiência, tanto espiritual como prático.
  • Manter o espaço limpo. Muito parecido com qualquer outro espaço sagrado, limpeza física mantém limpeza espiritual. É difícil encontrar o equilíbrio em um lugar que é desordenado e caótico. Certifique-se de bancadas são varrida para baixo depois de cada refeição, manter a pia livre de pratos sujos, e organizar armários e prateleiras para que eles são fáceis de usar.
  • Pintar as paredes em cores que são reconfortantes e feliz.  Escolha uma cor que faz você e sua família se sentir bem – tons de terra são suaves, amarelos estão felizes e brilhantes, e os verdes trazer prosperidade e abundância.
  • Manter livros de culinária e receitas organizadas onde você pode encontrá-los. Você pode até querer ter um livro especial de receitas mágicas que você manter separados seu regular Livro das Sombras
Você também pode incorporar práticas mágicas em sua cozinha. Considere algumas delas:
  • Quando mexendo uma receita, misture em uma  direção ou sentido horário, dependendo do objetivo que você deseja alcançar.
  • Se você está fazendo um sanduíche, se espalhar condimentos tenha o seu propósito.
  • Quando fazer o pão, adicione ervas ou especiarias que correspondem às suas necessidades mágicas.
Apesar de bruxaria da cozinha está rapidamente se tornando um termo popular, é quase um novo conceito.
Obter sua cozinha limpa e organizada, e você estará bem no seu caminho para um caminho de sucesso como uma bruxa da cozinha!

Tânia Gori

Ervas


As ERVAS hoje não são tão usadas como antigamente, quando as BRUXAS tinham um arsenal imenso no seu quintal, hoje já disponibilizamos as ERVAS no mercado para praticidade de muitos, eu pessoalmente sou a favor das ERVAS frescas do meu jardim, pois mantenho um contato direto, aonde eu cuido, converso e colho no dia certo, e o principal, estando em equilíbrio, pois as ERVAS são sensíveis e podem ser impregnadas facilmente.
Cada hora do dia tem seu planeta, e eles distribuem suas influências numa determinada hora, por isso é preciso escolher a hora apropriada para cada feitiço.
Essas influências se manifestam em todas as formas de vida: nos animais, nas plantas, seres humanos e até nas PEDRAS .
Como a COZINHA trabalha muito com o reino vegetal, se fizermos uma salada verde, já sabemos que teremos como dominante a influência lunar, pois todas as folhas pertencem à lua.
A fase da lua e o signo do zodíaco em que a lua se encontra quando plantamos uma ERVA são extremamente importantes.
A maioria das ERVAS deve ser plantada na Lua nova ou na crescente, e no signo de câncer, peixes ou escorpião.

 Mas existem ERVAS regidas por outros signos como estas abaixo:

Alho: deve-se plantar durante a lua cheia ou crescente no signo de escorpião ou sagitário.
Salsa: plantar durante a lua nova no signo de peixes, câncer, libra ou escorpião.
Sálvia: plantar durante a lua cheia no signo de peixes, escorpião ou câncer.
Valeriana: plantar durante a lua nova ou crescente no signo de gêmeos ou virgem.

Correspondências dos astros com Legumes, Ervas, Frutas, Cereais e Verduras:

Sol: Angélica, açafrão, ALECRIM , CANELA , cardamomo, cevada, couve, CRAVO da índia, semente de girassol, laranja, LOURO , manjerona, palmito, salva, TOMILHO e trigo.
Lua: Abóbora, alface, aveia, beldroenga, berinjela, melancia, melão, semente de papoula, pepino e repolho.
Mercúrio: Acelga, anis, CAMOMILA , cenoura, chicória, endívia, ligústica e serralha.
Vênus: Agrião, amêndoa, COENTRO , couve flor, espinafre, limão, maçã, MELISSA , ROSA e verbena.
Marte: Absinto, aipo, alcachofra, alho, alho porró, Artemísia, aspargo, bardana, cebola, cebolinha, favas, hortelã, manjericão, MOSTARDA , noz moscada, pimentas, rábano, ruibarbo, taioba e urtiga.
Júpiter: Ameixa, AMORA , beterraba, cereja, gergelim, marmelo, morango, rabanete e trigo sarraceno.
Saturno: ARRUDA , tomilho, FUNCHO e salsa.

É importante lembrar que a mentalização do objetivo a ser alcançado é fundamental na preparação de qualquer receita, feitiço ou ENCANTAMENTO .
Para fazer a colheita, use um punhal ou átame consagrado. Peça permissão e agradeça à Mãe Natureza por poder colhê-las e utilizá-las.

Abençoados Sejas!

Old Religion

A Cozinha da Bruxa

 
 
O ato de transformar os alimentos também a sugere a transformação em nos mesmos.
 
“A energia, de nossos pensamentos, acumula-se nas mãos e passam para o alimento.”
 
Portanto, jamais devemos cozinhar com raiva. O mexer do alimento, é o mergulho na espiral da vida, e entendemos então nosso caminho, e juntamos o movimento a nossa respiração. Um ato de meditação profunda e de auto-conhecimento. Quando cozinhamos, realizamos o supremo feitiço da transmutação, transformando trigo em pão, o vinho em vinagre, etc.
 
A alquimia de cozinhar é a arte mais antiga e completa dentro da bruxaria. E não precisamos de muito para realizá-la. Só de uma cozinha e amor! Dentre os “instrumentos” básicos estão as panelas de barro, a colher de pau e os vidros, onde colocamos os condimentos e temperos usados.
 
Todos os alimentos têm suas propriedades mágicas, mas alguns são essenciais numa cozinha de bruxa, como as ervas. Eis algumas:
 
 
Salsa, basil, manjericão, orégano, cominho, aipo em pó, hortelã,
tominho, mirra, louro, segurelha, manjerona, sálvia, verbena, estragão,
alfavaca, cardomomo, canela, cravo alho, pimentas, hissopo,
dill, Artemísia, coentro,alecrim,anis,erva-doce,sementes de girassol,
sementes de papoula urtiga, mostarda, noz-moscada, curry,
pétala de rosa seca, folhas de morango,folhas de laranjeira, folhas de maracujá, raiz de ligústica,raiz de acelga, raiz de alface,raiz de ginseng, e sementes de coentro.


As ervas a serem usadas nos alimentos, precisam estar frescas, portanto, o ideal seria ter uma mini horta com os que mais usa, ou pelo menos dois dos tipos citados acima. Colocar em seus pratos ervas cultivadas por você, é muito bom!
 
“Mas de todos os ingredientes, o mais importante sem duvida é o amor! Em grandes e generosas porções.”
 
 
 O Armário de Cozinha da Bruxa:
 
O armário de cozinha guarda uma quantidade surpreendente de ingredientes mágicos, muito temperos e ervas aromáticas que usamos para cozinhar tem associações mágicas. Aqui você encontra alguns temperos e ervas mais comuns e suas associações mágicas:
 
* açafrão - proteção
* alcaparras - potência e amor
* alecrim - proteção e purificação
* alho - saúde e proteção
* amêndoa - prosperidade
* arroz - fertilidade e prosperidade
* batata - saúde
* beterraba- amor
* camomila - dinheiro
* canela - erotismo e sucesso
* cebola - proteção e saúde
* cenoura - fertilidade
* cereja - amor
* chuchu - felicidade
* cravo-da-índia - proteção e afrodisíaco
* erva-cidreira - saúde, amor e sucesso
* erva-doce - proteção
* ervilha - prosperidade e amor
* feijão - prosperidade e harmonia
* gergelim- dinheiro
* laranja - prosperidade e fertilidade
* louro - proteção
* maçã - amor e desejo
* manjerona - amor, saúde e proteção
* maracujá - paixão e amizade
* menta - proteção e saúde
* morango - amor e erotismo
* noz-moscada - sorte e dinheiro
* pêra - desejo e amor
* romã - dinheiro e sorte
* salsa - proteção e purificação
* sálvia - sabedoria e prosperidade
* trigo - fertilidade e prosperidade
* uva - fertilidade, amizade e dinheiro.
 
 
 
Uma Bruxa de Cozinha deve estar sempre atenta a Regra do Três:
 
Caso queira, e eu acho bacana. Poderá ter um grimório de cozinha. Onde colocará suas receitas e experiências culinárias. É um modo de anotar sua evolução.
 
A sua cozinha poderá ter em um cantinho, objetos usados para equilibrar e limpar as energias também. Podemos ter um potinho com ervas encantadas para prosperidade e proteção, ou um cristal transparente. Pois é um excelente equilibrador de energias.
 
Abaixo alguns feitiços básicos para proteger a cozinha:
 
- Para repelir fantasmas e energias negativas, encha um vidro com uma mistura de sal e folhas frescas de sálvia. Exponha esse filtro mágico em um lugar visível de sua cozinha
 
- Mantenha um cesto pequeno contendo moedas, pedras, sementes, ervas (sálvia, louro, hortelã, folhas de canela, etc.). E flores. Para felicidade.
 
- Para que a harmonia reine em sua casa ferva dois litros de água de fonte ou mineral. Após apagar o fogo, acrescente um punhado de manjerona, louro e alecrim. Tampe a panela e deixe esfriar. Coe e após esfriar, borrife na casa recitando o seguinte encantamento:
 
"Brigas, querelas ódio e tristeza.
Sumam agora do meu lar
Que só permaneça a alegria e a delicadeza
Para ocupar o seu lugar!"
 
 
- Coloque uma cebola embaixo da pia da cozinha para absorver a negatividade (substitua a cada mês, sempre na lua minguante) descarte a antiga diretamente na terra, pode ser vaso, e agradeça a ajuda prestada.
  
- Uma vez por mês esparrame sal pelo chão da cozinha, e depois varra-o para fora de casa.
  
- Faça um spray de ambiente com louro, canela, alecrim e casca de limão e borrife todos os dias após terminar a limpeza da cozinha.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Mulheres de Poder



Há que se ter coragem!
Quando decidimos largar o que conhecemos como vida, repleta de afazeres que nos tiram do contato com a gente mesmo, compreendemos que nossos sonhos não são exatamente o que chamamos “cor-de-rosa”!
Não é tão simples assim abandonarmos a vida como a conhecemos, no cinza das cidades grandes, na família com organização vertical, onde há quem manda e quem obedece; onde somos olhados, vigiados, julgados por tudo mesmo que não tenhamos essa consciência, só percebemos isso quando começamos um caminho diferente do que a “sociedade” está acostumada. Não é nada simples tomarmos as rédeas de nossa vida nas mãos e nos empoderarmos de nós mesmas, retirando de nós o fardo de sermos tudo o que não pedimos, mas fomos sem nos dar conta sendo moldadas por toda uma estrutura social/familiar, abandonando assim nossos mais profundos sonhos de menina, que muitas de nós temos que é uma vida simples, uma casinha com cerca branca a beira de um rio com cachoeira, a beira mar, a beira VIDA!
Quando nos empoderamos de nossa história e pegamos nossa vida pela crina, qual cavalo selvagem solto nos campos, nos damos conta de que tudo o que fomos largando pelo caminho era o melhor de nós. Nossa essência de mulher vestida de lua, nossa doçura, nossa explosão. Somos ensinadas que precisamos competir umas com as outras e assim nos esquecemos da irmandade que nos é natural.
Nossos familiares são os que mais nos criticam, pois esperam que sigamos um conceito absolutamente masculino de evolução, onde ter poder, dinheiro, fama e destaque são o que importam, ter carreira promissora, ser “reconhecida”, ser “alguém na vida”. Somos culpadas por nos sentirmos alguém, por sermos alguém, sem necessitarmos de nada dessas coisas. Não precisamos de títulos, precisamos de CORAGEM de apenas SER!
Ter a coragem de ser, de pisar na terra e moldarmos no barro do caminho nossa história, sem que ela tenha interferências externas, apenas contribuições.
Ter a coragem de nos olharmos no espelho e percebermos quão valiosas somos, quão especiais somos por simplesmente Sermos quem Somos.
Ser mãe sem culpa.
Parir sem medo.
Viver pela aventura de estarmos vivas!
Ao tomarmos consciência de quem somos sem as mascaras que nos colocam ou que nós mesmas colocamos para agradar a todos que nos rodeiam é uma das experiências mais fortes que uma mulher pode ter, um mergulho em sua alma, em sua profunda essência feminina.
Menstruar com prazer.
Amar com tesão.
Virar a esquina do medo e seguir as verdades da alma, não se importando (trazer pra dentro) o que não nos apetece, o que não nos acrescenta.
Não, não é fácil tomar nas mãos a própria jornada, mas não é impossível. Aliás, impossível é o difícil que ainda não foi realizado. Seguir as pegadas de nós mesmas com o desenho deixado por nossas ancestrais, conhecer o território, abandonar o mapa é algo que apenas as mulheres de Poder conseguem. Apenas as mulheres que conseguem deixar para traz as vaidades da mente e seguir o coração podem dizer que se Empoderaram. Sim há muito poder nas mulheres conscientes, pois elas não se permitem viver sob o julgo do machismo, elas não se permitem ser esquecidas em suas histórias, não por ego, mas por saberem que cada virgula é demasiado importante, pois tudo o que viveram, cada fase, faz delas quem são no momento presente. Cada ruga em seu rosto desenha o mapa de suas viagens internas.
Uma mulher de Poder, sabe-se conhecedora dos mistérios femininos profundos, sabe da sacralidade de seu ventre, da delicadeza da criança, da verdade em suas palavras e ações; Uma mulher de Poder pensa como sente, sente como fala e fala como anda, ou como diriam os índios guardiões das grandes sabedorias, Elas Caminham com as Palavras e assim seguem sendo exemplo para suas filhas, futuras mulheres de poder e também para seus filhos, que saberão reconhecer uma quando as vir, mas respeitarão as limitações das que ainda não despertaram em si o Poder de Ser Mulher!
Sim, há que se ter Coragem para permitir-se Mudar e Ser:
UMA MULHER DE PODER!

Rose Kareemi Ponce

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Deusas da Primavera




Ostera, Ishtar, Perséfone, Inanna, Flora, ...
Numa natureza repleta de espiritualidade, estas são Deusas que anunciam a primavera nas culturas pagãs.
O culto a esta estação, sempre em meio à alegria, música e dança, se estendeu por toda a antiguidade e foi imortalizado em vários mitos que revelavam a importância do renascimento na vida física e espiritual.
Flora é a Deusa romana da primavera que ensina-nos a honrar tudo que cresce na natureza e no nosso interior. É uma deusa muito antiga para a qual Tito Tácio eregiu um altar em Roma. É a deusa que encarna toda a natureza e cujo nome se converteu na designação de todo o reino vegetal.
Em algumas povoações itálicas o mês de abril era consagrado à Flora. No dia 28 deste mês, em sua honra, se celebrava uns jogos chamados de Florália, que duravam até 3 de maio. Era tradicional a presença de cortesãs nestes cerimoniais. Durante estes festivais eram realizadas danças e ritos de fecundidade. Os romanos ornavam casas, ruas e templos com flores. Era época de muita alegria e regozijo na Roma Antiga.
Durante os festejos, jogavam-se sementes sobre a multidão para atrair a fertilidade e a abundância. Se faziam também, sacrifícios de ovelhas e os homens lhe ofertavam mel e sementes de flores. O mel era considerado um dos presentes que Flora tinha dado aos seres humanos. A abelha é um símbolo da potência feminina da natureza. Ela foi ligada, prioritariamente, a Deméter, Ártemis e Perséfone, sendo ainda representação da terra, de sua maternidade, de sua diligência modeladora, hábil e ininterrupta; por conseguinte, é a imagem da alma telúrica de Deméter na sua forma maia pura e elevada.
Nas Tesmofórias siracusianas, os participantes levavam os chamados "mülloi", bolos preparados com mel e gergelim no formato do órgão genital feminino. Em sua monografia sobre as abelhas, Menzel alude a um hábito indiano, que classificou como comum, que consistia em untar os genitais da noiva com mel, no dia do casamento. A "castidade" da Grande Mãe, isto é, o fato de esta ser independente do homem, é bem evidente, em especial na colônia das abelhas da Amazônia, em que somente a rainha é fecundada pelo macho, e apenas uma vez.
Apesar de Flora ser uma Deusa inteiramente itálica, Ovídio intenta relacioná-la com a mitologia grega. Partindo de uma falsa etimologia, identifica Flora com a ninfa grega Cloris. No relato há uma lenda entre Cloris e Zéfiro.
O autor nos conta que em um certo dia de primavera Zéfiro, o vento oeste, avistou passeando a ninfa Cloris, apaixonou-se por ela e seu beijo gentil a transformou em Flora. A raptou e posteriormente casou-se com ela. Como prova de seu amor, Zéfiro nomeou a sua amada como rainha das flores das árvores frutíferas. Concedeu-lhe ainda, o poder de germinar as sementes das flores de cultivo e ornamentais. Zéfiro e Cloris era um casal de deuses alegres e jovens que deslizavam pelo céu, enfeitados com coroas de flores, que tocavam com suas asas os casais de namorados nos dias frescos de primavera.
Depois Ovídio segue relatando que Flora interveio em outro mito. Juno tinha ficado desgostosa com Júpiter, por ele ter dado à luz sozinho a Minerva, decide então fazer o mesmo. A rainha dos deusas vai em busca da ajuda de Flora para conceber um filho sem ajuda de seu esposo. Flora lhe entrega uma flor que crescia nos campos de Oleno, na Acaia, com a qual Juno engravidou de Marte, o deus cujo nome é o primeiro mês da primavera no Hemisfério Norte. Assim, o nascimento a partir da flor feminina é uma forma arquetípica de nascimento divino, quer pensemos no nascimento de Marte, no nascimento de Rá no Egito; no nascimento da "jóia divina no lótus", segundo o budismo, ou no nascimento do "self" da Flor de Ouro, na China como no homem moderno.
Celebre também você o festival das flores da Deusa Flora, comprando flores e distribuindo-as por toda a sua casa. Se possuir plantas em vasos em sua casa ou apartamento, troque sua terra, ponha um pouco de fertilizante, preocupe-se com elas. Depois acenda um incenso floral de jasmim, rosa ou madressilva. Coloque um jarro com água em frente ao seu altar e coloque uma flor a flutuar dentro dele.
Receba a primavera em meio a danças sagradas.
Quando a Lua Cheia erigir, dirija-se a seu altar e acenda uma vela branca. Sente-se na escuridão apenas à luz da vela. Observe o leve bailar da flor no jarro e pense na forças mágicas que existem na Natureza que criam maravilhosas e divinas flores todos anos. Contemple o modo como essa força influi em sua vida.
Faça com que raízes de você penetrem na Terra, obtendo deste modo uma reposição de energias perdidas ao longo de sua vida. Sinta a energia entrando em você. Agora erga os braços em direção à Lua. Sinta a energia da Lua somando-se às da Terra. Deixe que estas energias fluam dentro de você, limpando, curando, equilibrando. Para romper o fluxo, apóie ambas as mãos no solo. Deixe que as energias voltem para a Terra.
Abençoada seja, Primavera!

Rosane Volpato


Oração da Primavera

"Que a primavera nos traga,
pelo perfume das flores e das ervas,
pelo canto das aves e o zumbido dos animais,
a percepção de um modo único e sagrado.
Que a primavera nos traga, pelo murmúrio dos riachos e nascentes,
pela brisa suave que nos traz as vozes das árvores, a noção de que o Amor entre as criaturas da Terra é o Caminho para que todos cresçamos.
Que a primavera nos traga, pelo calor confortável do sol sobre nossas cabeças e pela luz brilhante a refletir nos lagos e na relva úmida, a ciência de que somos responsáveis por tudo o que nos rodeia e pela restauração da Vida.
Que as flores venham!
Que venham os pássaros!
Que venha a Primavera!
Que tudo seja doce e florido!
Que a cada dia tenhamos alegria e prazer de viver!
Que assim seja, que assim se faça!" -  Autor Desconhecido