quarta-feira, 27 de maio de 2015

O Livro das Sombras

Como fazer o Livro das Sombras Wicca

O Livro das Sombras não é considerado um Instrumento Mágico propriamente dito, mas sim um artefato muito importante na vida de um Bruxo. O livro das Sombras é um diário mágico pessoal, onde registramos nossos encantamentos, feitiços, rituais e experiências feitas.
Nele também transcrevemos todos os sortilégios que achamos interessantes, receitas de poções, métodos de realização de rituais, contos sobre a mitologia, informações mágicas, mitos de Deusas e Deuses, nossos pensamentos, sonhos, invocações e tudo o mais que for relevante e que esteja relacionado à Bruxaria.

Em algumas Tradições Wiccanianas (por exemplo a Gardneriana), o Livro das Sombras é um apanhado de textos contendo os rituais, práticas e a sabedoria daquela Tradição especifica. Estes textos são normalmente copiados à mão pelo praticante, a partir da cópia de seu(sua) iniciador(a).
O material da Tradição não pode ser mudado, apesar de que algumas adições possam ser feitas. Alguns Bruxos mantêm ainda um Livro das Sombras particular, além daquele de sua Tradição.
O Livro das Sombras recebe esse nome porque seu conteúdo deve ser mantido a sombra da realidade desse mundo. É tradicionalmente de capa preta com um pentagrama prata ou dourado na capa, mas outras cores como verde, marrom e azul marinho podem ser utilizadas e outros símbolos cravados, ficando a critério de escolha de cada Bruxo.
Em alguns casos, o Livro das Sombras pessoal de um praticante é um arquivo online, mas a maioria dos praticantes de magia não aceita tal prática, considerando que o livro das sombras deve fazer parte do altar, tendo também seu valor mágico.

Como Fazer o Livro das Sombras

Na hora de pensar em como fazer seu Livro das Sombras tenha em mente que ele deve ser funcional para você, e resistente para seu manuseio. De nada adianta ter um livro lindo e maravilhoso se for difícil escrever nele, ou se você não conseguir sequer virar suas páginas direito, com medo de rasgá-las.
Pense também em uma forma de organizá-lo. Seja qual for a forma ou o tamanho de seu livro, ele deve ter uma certa organização, senão fica praticamente impossível encontrar as informações de maneira prática.
Uma dica de como fazer seu Livro das Sombras é dividi-lo em 3 partes: Teoria, Prática e Diário. Veja se é possível colar na parte interna da lombada três fitas coloridas para servirem de marcadores.
Na parte teórica, você irá colocar informações gerais. Tudo o que quiser, que seja relacionado à religião da Deusa. Na parte prática, exercícios, meditações, feitiços, rituais e experimentos. Na parte do diário, suas anotações pessoais, o que inclui sensações em determinados rituais, sonhos e sentimentos relacionados à sua vivência na Arte.
Na parte teórica, você pode dividir como quiser. Divida por assuntos: história da Arte, mitologia, divindades, instrumentos, sabbats e o que mais quiser. Na parte prática, divida por exercícios, rituais, feitiços e receitas. A parte do diário pode ser dividida entre diário de sonhos, diário de vivências, etc.
Escolha você mesmo(a) as divisões. É divertido! Isso fará com que você tenha todas as informações organizadas em um só lugar.

Como fazer a capa de seu Livro das Sombras

Faça uma capa legal. Se preferir deixá-la simples com uma só cor, pode deixar. Mais uma vez: a escolha é sua. Use as cores que mais combinarem com você e os materiais que mais te agradarem.
Um estilo de capa de Livros das Sombras mais tradicional é a preta com o símbolo de Pentagrama. O courino (uma imitação de couro) pode ser uma ótima opção para encapar seu Livro, mas você também pode fazer a capa de madeira, papel camurça, papelão ou qualquer outro material.
Se possível procure utilizar materiais naturais e desenhe símbolos na capa, ou recorte e cole com outro material. Utilize estes recursos para deixá-lo com a sua identidade.

Agora que você já sabe como fazer seu Livro das Sombras, veja para que serve e como utilizá-lo.

Coven Wicca

A Varinha Mágica da Bruxa

Varinha Mágica Wicca com Pentagrama



A Varinha Mágica, também conhecida como Bastão do Fogo e Vareta, é um bastão fino que pode ser feito de bronze, de cobre ou de madeira. O mais comum e tradicional é que ela seja feita de um galho de árvore.
A Varinha Mágica é um instrumento importante e pode ser usada com as mesmas finalidades do Athame. Representa o místico elemento fogo, símbolo da força, da vontade e do poder mágico do Bruxo que a possui. Na Magia Cerimonial, ela representa o elemento ar.
A Varinha Mágica tem sido utilizada há milhares de anos em ritos mágicos e religiosos. É um instrumento de invocação, por vezes utilizada para direcionar energia, para desenhar símbolos mágicos, traçar ou destraçar Círculos de proteção, para indicar a direção do perigo quando perfeitamente equilibrado na palma da mão ou no braço do Bruxo e é usada também para misturar poções mágicas no caldeirão.
Há madeiras tradicionais para a confecção das Varinhas Mágicas como por exemplo: o salgueiro, o sabugueiro, o carvalho, a macieira, o pessegueiro e a cerejeira.

Não corte as Árvores, deixe que elas mesmas lhe presenteiem

A Varinha Mágica tradicional mede cerca de 50 cm e deverá ser fabricada pela pessoa que dela vai se servir, a partir de um galho de árvore encontrado num jardim, num bosque ou floresta, caído no chão.
Esta busca pelo galho perfeito deverá ser realizada solitariamente após alguns minutos de recolhimento e meditação, onde a pessoa deverá se dirigir aos Deuses e à  Grande Mãe pedindo que estes a guiem ao encontro do galho que busca para sua Varinha Mágica.
O galho encontrado caído no chão deve ser visto como uma graça da Natureza, e por isto, ao encontrá-lo, faça um agradecimento à árvore e aos Espíritos do jardim, bosque ou da floresta. Um pequeno pedaço de pão pode ser deixado no lugar onde se encontrou o galho, como símbolo deste agradecimento sincero.


Como fazer sua Varinha Mágica

 O primeiro passo para fazer sua Varinha Mágica é encontrar a madeira certa. Vá passear em um parque, bosque ou praça e escolha um galho caído no chão de aproximadamente s 50 cm de comprimento. Neste momento pense também qual a qualidade mágica que você gostaria de ter em sua varinha.


Quando achar o seu galho não se esqueça de pedir a árvore. Diga a ela suas intenções e não se esqueça de deixar um presentinho em agradecimento.
Em seguida, em seu local de trabalho, retire a casca com uma faca pequena e afiada, ou apenas lixe a madeira com uma lixa fina para retirar arestas e formações que podem machucar no manuseio.
Unte sua Varinha Mágica com um óleo essencial de sua preferência. Lembre-se que cada óleo tem uma finalidade, pense bem o que deseja com sua varinha. Deixe-a secar por um dia inteiro e só depois continue a faze-la.

Como fazer a ponta de sua Varinha Mágica

Pegue um fio cumprido de cobre ou outro de sua preferência e enrole em uma pedra bonita de quartzo para fixa-la na madeira. Se a pedra for pontiaguda faça uma entrância na ponta da madeira para encaixar com maior facilidade.
Ligue com o fio de cobre a pedra no galho. Suba, desça e torça o fio para fixar bem. Se necessário for, utilize um alicate para apertar o fio ao redor do cristal.

Como fazer o cabo de sua Varinha Mágica


Na parte de baixo de sua Varinha Mágica, onde você irá segurar, pegue um cordão de couro ou cânhamo de mais ou menos 100 cm e enrole bem apertado até o final. Fixe o cordão com um nó e pronto. Esta feita sua Varinha!
Consagre-a da maneira que achar melhor e deixe-a na terra por 3 dias de lua crescente, de forma que a luz da lua possa banhá-la durante esses três dias.
Depois disso só usar. Lembre-se que sua Varinha Mágica agora tem sua energia, use-a com amor e para o amor.
Agora que você já sabe como fazer sua Varinha Mágica.


Madeiras para fazer Varinhas Mágicas

As árvores sempre desempenharam papel importante na medicina popular, no xamanismo, na divinação, na magia e na superstição. Suas raízes, cascas, folhas, galhos, sementes e frutos curaram e curam muitas doenças, protegem casas, seres humanos e animais contra o mal e a má sorte.
As árvores trouxeram força para bebidas, poções mágicas e afrodisíacos, e ainda auxiliaram Bruxos e Feiticeiros no lançamento de todos os tipos de encantamentos. Conheça agora um pouco mais sobre o significado mágico de cada árvore.

Varinha mágica com ACÁCIA - Fertilidade, Cura e proteção contra o mal
Na índia e na Patagônia, acredita-se que a acácia seja habitada por espíritos, ela também está associada a fertilidade, cura e proteção contra o mal e o infortúnio. A madeira da acácia é ritualisticamente queimada nos altares sagrados dos budistas e utilizada para preparar os fogos sacrificiais dos hindus.

Varinha mágica com AMIEIRO - Cura
Nos tempos antigos, o amieiro era usado nos ritos de idolatria em honra à Deusa Astarte e nas práticas divinatórias para diagnosticar doenças. Segundo a lenda, o amieiro sangra, chora e começa a falar quando é cortado. Houve uma época em que era ilegal cortar um deles. É usado, na medicina popular, no tratamento de queimaduras, coceiras e reumatismos.

Varinha mágica com MACIEIRA - Imortalidade e Sabedoria
A macieira é conhecida na Europa como sendo a “árvore da imortalidade pela sabedoria”. De acordo com lendas irlandesas, as macieiras (como as nogueiras, os carvalhos e as cinco árvores místicas que representam os cinco sentidos) eram produzidas pelo Deus Trifólio (ou Trevo). As macieiras também eram conhecidas como a Árvore Tripla ou Chave Tripla (nome que se refere ao tridente, ao falo triplo, destinado a fertilizar a Deusa Tripla).
Em várias partes da Europa planta-se uma macieira quando nasce um bebé e acredita-se que esse bebé crescerá ou definhará junto com a árvore. O costume de plantar uma “Árvore do Nascimento” é também comum na África Ocidental, na Papua, Nova Guiné, no sul dos Estados Unidos e em regiões do Bornéu holandês.
Na mitologia dos índios iroqueses, a macieira é a árvore central do Céu.
A madeira da macieira é transformada em varetas que são utilizadas para traçar círculos mágicos, e seu fruto usado na magia do amor, nos amuletos para fertilidade, nas divinações e nos encantamentos para imortalidade.
Os clérigos da Idade Média acreditavam que as feiticeiras podiam provocar uma possessão demoníaca por intermédio de maçãs encantadas ou envenenadas dadas as suas vítimas escolhidas.
A tradição de procurar maçãs no Halloween é remanescente da antiga divinação mágica Druida do casamento e na Europa medieval, acreditava-se que uma mulher solteira poderia ver a imagem de seu futuro marido se descascasse uma maçã diante de um espelho iluminado por uma vela na noite do Halloween.
A maçã também é conhecida como o fruto proibido comido por Adão e Eva, mas o fruto não foi identificado na Bíblia, e a maçã nunca mencionada em relação à história de Adão e Eva.

Varinha mágica com madeira de FREIXO - Cura
Na Irlanda, as varetas feitas de freixo eram usadas pelos Druidas em seus rituais mágicos. Na Escócia, o freixo era usado para proteger as crianças dos feiticeiros e na Inglaterra, como remédio popular para curar verrugas. As crianças eram frequentemente rezadas com ramos de freixo para serem curadas de cortes e raquitismo. Bastões de freixo eram usados para curar doenças pela magia em animais domésticos, para traçar círculos mágicos e manter longe as serpentes.

Varinha mágica com BAMBU - Amizade, Fogo Sagrado, Lua

O bambu simboliza na Índia, a amizade, sendo o emblema do fogo sagrado. Sua madeira é comumente usada em rituais mágicos nas tribos melanésias e entre os Semang da Malaia. No Japão, é tida como sagrada e está ligada ao culto da lua e à magia lunar.


Varinha mágica com madeira de FIGUEIRA DE BENGALA - Conhecimento
A figueira-da-índia é sagrada para os videntes e ascetas da Índia, sendo a Árvore do conhecimento na mitologia indiana. O Deus hindu Vishnu nasceu sob a sombra de uma figueira-da-índia, e acredita-se que aquele que duvidar e danificar ou cortar uma delas despertará a ira dos Deuses e será punido com a morte.

Varinha mágica de LOUREIRO - Ressureição
O significado mágico da árvore de loureiro é a ressurreição e por isso ele é usado na cura, na divinação e nos sonhos mágicos. Os herbalistas da antiguidade usavam suas raízes para tratar as enfermidades do fígado, do baço e de outros órgãos internos. Acreditavam que os frutos da árvore podiam neutralizar o veneno das criaturas peçonhentas e auxiliavam no tratamento das tosses e da tuberculose. As folhas eram tidas como altamente místicas, sendo usadas para proteger as casas dos raios e dos trovões e para manter longe os feiticeiros e os demónios.

Varinha mágica com VIDOEIRO - Renascimento
Na mitologia escandinava, o vidoeiro simboliza o renascimento da Primavera. Como é uma árvore considerada mágica, é usado nos rituais de purificação e nos trabalhos com o tempo atmosférico. A vassoura dos Bruxos (de galhos) era tradicionalmente feita de vidoeiro. É uma antiga superstição na Terra Nova que uma vassoura de vidoeiro “limpará” a família.
Uma vassoura especial feita com galhos de vidoeiro era usada na Europa medieval como açoite para exorcizar os demónios, os duendes e os fantasmas. Em certas áreas da Rússia é costume, no domingo de Pentecostes, vestir um vidoeiro com roupas de mulher.

Varinha de mágica com CEDRO
Na Mesopotâmia, o cedro era tido tanto como Deidade quanto como oráculo.

Varinha mágica com  SABUGUEIRO - Proteção e Cura
Os frutos do sabugueiro podem ser levados nos bolsos, como amuletos para proteger contra a inveja venenosa e também podem ser usados em torno do pescoço, como remédio mágico contra hidropisia.
As flores do sabugueiro, com seu perfume doce e acentuado, há muito são associadas à morte e aos funerais, e houve época em que se acreditava que, se um broto de sabugueiro plantado numa sepultura começasse a crescer, era sinal de que a alma de quem estivesse ali enterrado se encontrava em paz.
Antigamente penduravam-se flores de sabugueiro nas portas do estábulo para proteger os cavalos da magia negra. Guirlandas feitas com elas eram usadas pelos Druidas para decorar altares sagrados para Beltane e para afastar as influências malignas.
Os nativos americanos chamavam o sabugueiro de “árvore da música” e faziam flautas mágicas dos seus ramos. Usavam também a casca como antídoto, sob a forma de cataplasma, nas inflamações e nos inchaços dolorosos.
Todas as partes do sabugueiro têm sido usadas pela medicina popular no tratamento de numerosos distúrbios e doenças. Os frutos de cor púrpura escura fazem um vinho delicioso, e as flores secas podem ser usadas para fazer um chá relaxante. O sabugueiro tem sido usado pelos Bruxos como afrodisíaco e pode também ser ingrediente mágico em vários encantamentos de amor, proteção e prosperidade.

Varinha mágica de madeira com OLMO - Proteção
O olmo é uma árvore frondosa que se diz possuir poder místico para proteger contra os raios. Na Inglaterra, era associado aos duendes e os santeiros o utilizavam no lançamento de encantamentos mágicos. Segundo a mitologia teutônica, a primeira mulher sobre a terra foi criada de um olmo pelos Deuses. Na medicina popular é usado para tratar de inchações, tosses, doenças de pele e infecções venéreas.

Varinha mágica de madeira com FIGUEIRA - Paz e Plenitude
O significado mágico da árvore de figueira é paz e plenitude. Acredita-se que sua sombra seja frequentada por espíritos, e sua casca e frutos são usados tanto na magia como na medicina popular para tratar vários problemas e doenças. Segundo os Evangelhos, a figueira foi “amaldiçoada com a infertilidade” por Jesus Cristo porque se recusou a dar um fruto para ele fora da estação (Marcos 2: 13-22). O Livro do Génesis testemunha que as folhas da figueira foram usadas por Adão e Eva logo que eles adquiriram o conhecimento para cobrir a nudez.

Varinha mágica de madeira com AVELEIRA - Conhecimento
A aveleira sempre esteve associada aos Bruxos, e o nome “aveleira-dos-bruxos” sobrevive até hoje. A árvore tem sido associada também ao deus Thor. É conhecida como a “Árvore do Conhecimento” (especialmente nas lendas irlandesas), sendo usada nos encantamentos mágicos para a imortalidade, proteção e cura. Acreditava-se que os Bastões e Varinhas Mágicas de aveleira possuíam propriedades divinatórias, e há muito é usada pelos rabdo mantos para localizar tesouros enterrados e água. Galhos de aveleira também são tradicionalmente usadas por magos brancos e para proteger os animais contra encantamentos das fadas ou dos demónios maldosos. Segundo o folclore galês, os ramos de aveleira tecidos em “capas do desejo” ajudam a realização dos desejos.

Varinha mágica com LOURO - Imortalidade, Amor, Cura
O significado mágico da árvore de louro é a imortalidade, a vitória e a paz. Diz-se que é capaz de dotar os profetas com a visão, e está associado à inspiração poética. Suas folhas eram mastigadas pelas devotas da Deusa Tripla para induzir o transe poético e erótico. Eram também mascadas pelas sacerdotisas do Oráculo de Delfos para inspiração oracular. O louro é largamente usado em todas as formas de magia do amor, do desejo e da cura.

Varinhas mágicas com LIMEIRA - Amor, Cura
Na Alemanha, a limeira era sagrada. Segundo lendas populares e superstições, era habitada por duendes e possuía o poder de fazer os heróis dormirem um sono encantado. Seu fruto é usado principalmente na magia do amor, mas em certas partes da Índia é o ingrediente principal em várias maldições poderosas. Na medicina popular, a lima é usada como emplastro para ferimentos e para tratar de resfriados, dores de garganta e escorbuto.

Varinha mágica com BORDO - Reserva
O bordo é o símbolo da reserva. Houve épocas em que seus galhos eram comumente usados como bastões de adivinhação para localizar águas subterrâneas. Suas folhas são usadas pelos japoneses nos festivais da florada e suas cascas são utilizadas por várias tribos norte-americanas para provocar o vómito.

Varinha mágica com MURTA - Amor e Casamento, Autoridade, Imortalidade, Ressureição
A murta é uma árvore verdejante, simbolicamente associada ao amor e ao casamento. É também símbolo da autoridade, da imortalidade, da morte e da ressurreição. Guirlandas de flores de murta eram usadas pelos antigos noivos romanos no dia de seus casamentos, mas era também o símbolo do amor ilegal ou incestuoso, e foi muitas vezes banida de várias cerimónias religiosas. Na magia popular a murta é usada nos encantamentos de amor, nos amuletos, nos afrodisíacos das paixões e para atrair boa sorte.

Varinha mágica com CARVALHO - Cura e Renovação - O carvalho é uma árvore com várias associações mitológicas e mágicas. Na tradição alexandrina da Wicca, o carvalho simboliza os aspectos crescentes do ano do Deus Chifrudo. Era tida como a “árvore do oráculo” pelo filósofo grego Sócrates, e como a mais sagrada das árvores, pelos antigos Druidas celtas, que acreditavam que as folhas possuíam grandes poderes sobrenaturais para curar e renovar as forças.
As bolotas (o “fruto” do carvalho) eram comidas pelos Druidas na preparação para realizar profecias. Os antigos romanos também acreditavam nos extraordinários poderes do carvalho e para se protegerem das forças do mal, eles usavam guirlandas feitas com suas folhas sobre a cabeça, como coroas protetoras.
Sacrifícios humanos eram realizados ao Deus fenício Baal “sob cada carvalho frondoso” (Ezequiel 6:13), e na Estónia, o sangue dos animais sacrificados era despejado nas suas raízes, como libação aos deuses.
O carvalho é a madeira tradicional e essencial nas fogueiras do Solstício de Verão. Seus ramos são usados nos encantamentos Wicca para atrair boa sorte, e a casca da árvore é transformada em incenso para glorificar Deuses e Deusas para os quais o carvalho é sagrado. Na medicina popular, o chá de carvalho é usado no tratamento de oxiúros, pedras da vesícula, dentes moles e doenças venéreas.

Varinha mágica com OLIVEIRA - Paz e Bênçãos Divinas
O significado mágico da árvore de oliveira é a paz e as bênçãos divinas. Seus ramos faziam as coroas que eram usadas pelos noivos gregos, conquistadores romanos e deuses que viviam no topo do Monte Olimpo. Ramos de oliveira eram colocados em chaminés e sobre as portas para impedir a queda de raios e para afastar feiticeiros, demónios e fantasmas. A oliveira e seu fruto têm sido usados em encantamentos para cura, na magia do amor e nos antigos ritos de fertilidade. Seu óleo é usado para untar velas de altar, abençoar estátuas religiosas e alimentar lâmpadas sagradas de templos.
Varinha mágica com LARANJEIRA - Amor Eterno
O significado mágico da árvore de laranjeira é o amor eterno, a castidade e a pureza. Suas flores eram usadas como flores de noivado, e seus frutos usados na magia do amor pelos feiticeiros europeus.

Varinha mágica com madeira de PALMEIRA - Fertilidade
A Palmeira é a Árvore da Vida e local de habitação da Deusa em vários mitos antigos. É usada pelos santeiros nos rituais de fertilidade e na magia de trabalhos com o tempo atmosférico.

Varinha mágica com madeira de PESSEGUEIRO - Longevidade

Na China, o pessegueiro é o emblema da longevidade e símbolo sagrado do Iony da Deusa. Acreditava-se que a árvore possuísse forças espirituais fortes e as Varinhas Mágicas feitas de seus galhos eram usadas pelos chineses nos encantamentos de imortalidade, nos rituais de fertilidade e nos ritos para manter os demónios e espíritos malévolos afastados. O pessegueiro, no Japão, simboliza a fertilidade, e sua madeira é usada para bastões divinatórios. Varetas de pessegueiro são usadas na medicina popular para tratar problemas de estômago, abdómen inchado e dores no coração.

Varinha mágica com madeira de PEREIRA
Em várias partes da Europa planta-se uma pereira quando nasce uma menina e acredita-se que a criança crescerá ou definhará junto com a árvore.

Varinha mágica com madeira de PINHEIRO - Longevidade e Imortalidade
O significado mágico da árvore de pinheiro é a longevidade e a imortalidade. A pinha é o símbolo semítico da vida. Na mitologia japonesa, os espíritos do pinheiro são conhecidos como Jo e Ubá. Essas árvores são o símbolo da fidelidade no casamento, e existem numerosos mitos sobre amantes devotados que foram magicamente transforma­dos em pinheiros.
Os galhos do pinheiro são utilizados em várias cerimónias dos nativos americanos, e sua fumaça é usada pelos indianos para tratar problemas de reumatismo, tosse e resfriados.
Elas são consideradas “Árvores do casamento” no Tirol e usadas pelos Bruxos na Europa e nos Estados Unidos com o objetivo de proteção e cura, bem como para atrair o afeto de uma pessoa. O incenso de pinho é comumente usado na magia para desfazer encantos, e nos ritos de purificação.

Varinha mágica com ÁLAMO - Mãe Terra
O álamo-branco é tido como a árvore do Equinócio do Outono e da antiguidade. Na Grécia pré-helênica, o álamo-preto era usado como “árvore de funeral” e consagrado à Mãe Terra.
No antigo folclore romano, os álamos eram sagrados para o herói Hércules, e, no século 17, na Inglaterra, suas folhas constituíam ingrediente importante nos “caldos-do-enfermo” e nos amuletos mágicos.

Varinha mágica com SORVEIRA - Proteção
A Sorveria (também conhecida como freixo-das-montanhas) tem várias associações mágicas e míticas. Era uma das árvores sagradas dos Druidas, e acreditava-se ser uma proteção contra feitiçaria e espíritos do mal na Idade Média. Os frutos da Sorveria eram usados para curar os ferimentos adquiridos nas batalhas e acreditava-se que davam ao homem um ano extra de vida.
Atualmente os frutos secos são moídos e transformados em incensos mágicos que são queimados ritualisticamente para invocar a Deusa, os guias espirituais familiares dos Bruxos ou espíritos.
As folhas são usadas em divinações amorosas, encantamentos e em rituais destinados a ampliar a criatividade poética. Antigamente a Sorveria do Dia dos Bruxos era celebrada no antigo festival celta de Beltane (Véspera de Maio), que é, agora, um dos quatro grandes Sabbats celebrados pelos Bruxos.

Varinha mágica com SALGUEIRO - Culto da Deusa
O Salgueiro é em geral, encontrado próximo de poços sagrados e há muito tem sido associado à Bruxaria e ao culto da Deusa. Era tido como sagrado pelos Bruxos e poetas pagãos, pois todas as suas partes são úteis na prática da magia. A madeira dá Varinhas Mágicas excelentes para rituais de cura e magia lunar, e podem também serem usadas em talismãs quando se busca a proteção da Deusa.
Os salgueiros, que são associados tanto à cura como à Primavera, são apropriados para decorar os altares no Candlemas, pois esse Sabbat (também conhecido como Imbolc) é o festival de Brígida — a deusa pagã da cura e dos poços sagrados.
Os Druidas o usavam a madeira do salgueiro como amuletos protetores, e na Idade Média, havia a crença comum de que as famílias dos Bruxos cresciam entre os salgueiros.
No norte da Europa, o salgueiro estava tão ligado à Religião Antiga que até a palavra witch (bruxa) tem a mesma raiz de willow (salgueiro). Na China, o salgueiro é reverenciado como a árvore da imortalidade e na Europa é o símbolo da eloquência.

Varinha com TEIXO - Imortalidade
O Teixo, como outras coníferas, é conhecido como a “Árvore da Imortalidade” em várias partes do mundo. Era comumente usado na prática da feitiçaria medieval, sendo um dos ingredientes místicos do caldeirão da Deusa-Bruxa Hécate na peça Macbeth, de Shakespeare (ato IV, cena l). Segundo uma antiga superstição popular, o homem ou a mulher que ousar dormir na sombra de um Teixo certamente terá morte horrível ou cairá em sono encantado.
Agora que você já sabe o significado mágico de cada árvore.


Coven Wicca

A Vassoura Mágica da Bruxa

Witch Broom and Hat

A vassoura também tem sido há muito associada com a Bruxaria. Ela é usada muitas vezes para preparar o espaço sagrado, servir de portal e também representa a união da Deusa(cerdas) e do Deus(cabo). Exatamente por este motivo, era usado entre os povos campesinos em ritos de magia simpática onde as Bruxas pulavam sobre suas vassouras no arado, acreditando que quanto mais alto pulassem mais alto cresceriam as sementes e abundante as colheitas seriam.

A vassoura é usada para varrer energeticamente um espaço que será usado para a realização de um ritual. A varredura não precisa ser realizada fisicamente e muitas vezes varre-se simplesmente o ar enquanto visualiza-se o local sendo limpo das influências negativas.
A vassoura  também serve de ponte entre o espaço do círculo e o mundo exterior, isto é, ela pode ser colocada deitada num ponto e, se alguém precisar sair, pode fazê-lo pulando a vassoura sem quebrar o círculo, e procedendo da mesma forma ao voltar.

Em algumas cerimônias de Casamento, os noivos pulam a vassoura como símbolo de sorte e felicidade. As Sagradas Parteiras da Roma Antiga varriam as soleiras das casas das mulheres grávidas, acreditando que assim espantariam os maus espíritos, protegendo as mães e os seus bebês.

A utilização da Vassoura de Bruxa pelo mundo


Em algumas regiões da Inglaterra, até bem recentemente, as mulheres deixavam suas vassouras do lado de fora ao ausentar-se de casa.
A vassoura já era sagrada desde a antiguidade, no México pré-colombiano onde uma espécie de Deidade-Bruxa, Tlazelteolt era representada nua voando em uma vassoura, mas na Bruxaria Italiana, chamada Stregeria, Bruxas não voam em vassouras, e sim, em bodes pretos.
Já os chineses cultuam uma Deusa das Vassouras que é invocada para trazer bom tempo em períodos de chuva, e provavelmente devido a seu formato fálico ela se tornou um poderoso instrumento contra pragas e praticantes de magia negra.

A vassoura utilizada para magia, deve ser reservada para esse único fim. As árvores tradicionais para a confecção de sua vassoura são a bétula, o salgueiro e o freixo.

Como Fazer sua Vassoura Mágica

Muitos Bruxos purificam suas casas na primavera, pois é o momento tradicional da elaboração de vassouras e suas consagrações, mas isso não impede a limpeza e a fabricação delas em qualquer outra data do ano.
Aprenda agora como fazer sua vassoura mágica e use-a sempre que achar necessário, tanto em cerimonias quanto na limpeza energética de seu lar e local de trabalho.

É aconselhável a fabricação de uma vassoura curta, pois elas são mais fáceis de usar e manusear, mas você pode fazer uma mais longa, se quiser. Ou porque não, duas.
Para a fabricação de sua vassoura mágica você vai precisar de um galho de mais ou menos um metro de comprimento (dependendo do tamanho desejado da vassoura mágica), já caído naturalmente de uma árvore, e não arrancado. As árvores tradicionais para a confecção de sua vassoura mágica são a bétula, o salgueiro e o freixo.

Tenha em mãos: tesoura e um rolo de barbante mergulhado em uma tigela de água com sal grosso.
Você também vai precisar de ramos de mais ou menos 15 cm das seguintes plantas e ervas: cedro, erva-doce, lavanda, alecrim, tomilho, sálvia e palha de vassoura.
Monte suas ferramentas e materiais e crie um espaço sagrado para trabalhar dentro. Visualize uma luz branca que emana de suas mãos ao segurar os materiais, assim energizando e carregando de seus poderes pessoais.
Ao fazer os procedimentos vá falando em voz alta o poder de sua vassoura mágica, por exemplo:

“Eu ligo você a purificação!
Seu poder é contra todo e qualquer mal!”

Enquanto fala, segure o galho de árvore e envolva uma das extremidades com as ervas e a palha, pegue o barbante embebido na água com o sal grosso e vá aos poucos dando voltas e nós para fixar tudo.
Depois de fixadas as ervas, você também pode decorar sua vassoura mágica com cristais, fitas ou tecidos.


Como consagrar sua Vassoura Mágica


Para consagrar sua vassoura você irá precisar:
  • Um incenso de sua preferência
  • Uma vela vermelha
  • Uma vasilha com água limpa
  • Um pires com sal
  • Um isqueiro
Pegue o incenso e o passe em torno da vassoura dizendo:
“Pelo o elemento ar eu te consagro."
Em seguida, com a vela vermelha já acesa, passe o cabo pela chama da vela dizendo:
“Pelo o elemento fogo eu te consagro.”
Respingue um pouco da sua água na vassoura dizendo:
“Pelo o elemento água eu te consagro.”
Toque o cabo da vassoura no seu pires de sal dizendo:
“Pelo o elemento terra eu te consagro.”
Depois de todo o procedimento dito, sua vassoura está totalmente pronta para varrer as más energias.
Agora que você já sabe como fazer e consagrar sua vassoura mágica.

Coven Wicca

SAL GROSSO


O sal é a "substância cara aos Deuses..." - Platão


Planeta - Lua

OS BENEFÍCIOS DO SAL GROSSO

O sal grosso é considerado um potente purificador de ambientes. Povos distintos usam o sal para combater o mau-olhado, e deixar a ...casa a salvo de energias nefastas.
O sal é um cristal e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas pelos radiestesistas. Ele tem o mesmo cumprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos.
Visto do microscópio o sal bruto revela que é um cristal, formado por pequenos quadrados ou cubos achatados. As energias densas costumam se concentrar nos cantos da casa. Por isso, colocar um copo de água com sal grosso ou sal de cozinha equilibra essas forças e deixa a casa mais leve. Para uma sala média
onde não circula muita gente, um copo de água com sal em dois cantos é suficiente.
Em dois ou três dias já se percebe a diferença.
Quando formam-se bolhas é hora de renovar a salmoura.
A solução de água e sal também é capaz de puxar os íons positivos, isto é, as partículas de energia elétrica da atmosfera, e reequilibrar a energia dos ambientes. Principalmente em locais fechados, escuros ou mesmo antes de uma tempestade, esses íons têm efeito intensificador e podem provocar tensão e irritação.

A prática simples de purificação com água e sal deve ser feita à menor sensação de que o ambiente está carregado, depois de brigas ou à noite no quarto, para que o sono não seja perturbado.
Banho de sal grosso e o antigo escalda-pés (mergulhar os pés em salmoura bem quente) têm o poder de neutralizar a eletricidade do corpo. Para quem mora longe da praia é um ótimo jeito de relaxar e renovar as energias. Já foi considerado o ouro branco (salmoura para conservar alimentos).

Os povos foram desenvolvendo técnicas de usar o sal, como as abaixo descritas:

Uma pitada de sal sobre os ombros afasta a inveja.
Para espantar o mau-olhado ou evitar visitas indesejáveis, caboclos e caipiras costumam colocar uma fileira de sal na soleira da porta ou um copo de salmoura do lado esquerdo da entrada .
A mistura de sal com água ou álcool absorve tudo de ruim que está no ar, ajuda a purificar e impede que a inveja, o mau-olhado e outros sentimentos inferiores entrem na casa.
Depois de uma festa, lavar todos os copos e pratos com sal grosso para neutralizar a energia dos convidados, purificando a louça para o uso diário.
Tomar banho de água salgada com bicarbonato de sódio descarrega as energias ruins e é relaxante. O único cuidado é não molhar a cabeça, pois é aí que mora o nosso espírito e ele não deve ser neutralizado.
Na tradição africana, quando alguém se muda, as primeiras coisas a entrar na casa são: um copo de água e outro com sal. Usam sal marinho seco, num pires branco atrás da porta para puxar a energia negativa de quem entra. Também tomam banho com água salgada com ervas para renovar a energia interna e a vontade de viver.
No Japão, o sal é considerado poderoso purificador. Os japoneses mais tradicionais jogam sal todos os dias na soleira das portas e sempre que uma visita mal vinda vai embora. Símbolo de lealdade na luta de sumô. Os campeões jogam sal no ringue para que a luta transcorra com lealdade.
Use esse poderoso aliado!
É barato, fácil de encontrar, e pode lhe ajudar em momentos de dificuldade e
de esgotamento energético!

Modo de tomar o Banho de Sal Grosso:

Após seu banho convencional, deixe um punhado de sal grosso escorrer do pescoço para baixo, embaixo da água da ducha. Uma opção que agrada muitas pessoas, é colocar um punhado de sal dentro de uma meia, e repousar esta na nuca (atrás do pescoço) debaixo da ducha. Não é aconselhável banhos
frequentes com o sal.
De preferência para os banhos na fase da Lua Cheia, utilize velas no banheiro, e se quiser ativar sua intuição, apague as luzes do banheiro.

Benefícios de Banhos e escalda pé com Sal Grosso:

Fisiológicos
Ajuda a desintoxicar o corpo e afastar os vírus.
Estimula a circulação natural para a melhoria da saúde.
Ajuda a aliviar o pé do atleta, calos e calosidades.
Relaxa a tensão, dores musculares e nas articulações.
Ajuda a aliviar artrite e reumatismo.
Ajuda a aliviar a dor lombar crônica.

Benefícios estéticos 
Tira as impurezas da pele.
Alivia irritações da pele como psoríase / eczema.
Alivia comichão, ardor e picadas.
Suaviza e amacia a pele.
Incentiva a pele se renovar.
Ajuda a curar as cicatrizes.
Restaura o equilíbrio a umidade da pele.

Ocupacional 
Alivia o cansaço, os pés doloridos e os músculos da perna.
Alivia a tensão nas mãos e punhos.
Ajuda a aliviar lesões nos esportes.

Psicofísica 
 
Proporciona um relaxamento profundo.
Ajuda a aliviar o estresse e tensão.

Proteção do lar - com sal 

Jogue um pouco de sal (já consagrado) em cada canto da sua casa e diga o seguinte:

«Sal sagrado,
Sal da Terra e do Mar,
Limpa esta casa
Para que sejamos libertos do Mal.»

Coloque-se depois no centro da casa e, através da sua intuição, determine em que pontos da casa estão concentradas as piores energias. Coloque um pouco de sal nesses cantos.

O Sal, é um ingrediente consagrado á Lua, usado como fator equilibrante, protetor e doador de bênçãos. Trate com cuidado seu saleiro, pois ele é um reservatório de prosperidade dentro de sua casa.
Nunca deixe o sal acabar, antes que isso aconteça reponha.
Não deixe seu saleiro sujo ou aberto e jamais desperdice sal.

Dicas -  ótimo para limpar o ambiente, remover energias ruins, olho gordo. 
Pode ser colocado atrás da porta da entrada principal da casa, num copo com água. Ele vai ajudar a filtrar, toda energia que irá entrar em sua casa. Mas lembre-se: deve ser trocado uma vez por semana, e sempre antes de você tomar banho, para que não fique em você a energia absorvida pelo sal.


Uso do sal para limpar talismãs e amuletos:

Dependendo do material, existem várias formas de limpar os nossos amuletos e talismãs. Para limpar o amuleto basta deixá-lo em água corrente. Mas também pode deixá-los em água com sal grosso, ou deixá-los sob a chuva. Caso o seu amuleto não possa ser molhado, então o ideal é colocá-lo dentro de um prato com sal grosso.

Banho com sal e arruda:

O banho com sal e arruda é um banho de descarrego de energias negativas. É ótimo quando tem vários sintomas de excesso de “peso espiritual”, que se traduzem em fortes dores de costas, má disposição, sempre ensonado, dores de cabeça.
Como fazer: encha a banheira com água bem quente; queime um incenso a seu gosto para purificar o ambiente; deite dois punhados de sal grosso dentro da água, e deite o líquido resultante de uma infusão de arruda para dentro da banheira.
Deite-se dentro da água e relaxe. Fique o tempo que quiser. Vai ver aquele “peso” a ir-se embora. Tome em seguida o seu duche normalmente, vai var que estará muito mais leve.

Amuleto com sal para afastar inveja do seu dinheiro:

O que é preciso: 1 saquinho de tecido verde, 3 moedas douradas, verniz incolor, uma toalha de banho vermelha, água corrente e sal grosso.
Faça da seguinte forma: facilmente arranjará as moedas douradas nas feiras junto dos vendedores de moedas ou nos antiquários. Dê preferência ás maiores, e ás mais antigas. Você deverá começar por limpá-las. Seguidamente, as moedas mágicas deverão ser preparadas para se energizarem afim de cortarem a influencia negativa da inveja. Assim passe-as abundantemente por água corrente, esfregando-lhes sal grosso. Coloque-as ao sol para secarem, sobre um pano vermelho. Aplique então o verniz nelas.
Guarde então as suas moedas mágicas no saquinho de tecido natural verde e mantenha-o dentro de sua mala ou carteira. O amuleto é seu e de mais ninguém! Não deixe que outra pessoa lhe toque ou veja as moedas.

Amuleto com sal para afastar inveja de sua casa:

O que é necessário: 1 lenço branco, 7 sementes de romã; 7 sementes de melancia; 3 dentes de alho com casca.
Deite tudo dentro do lenço e dê-lhe 7 nós (3 com 2 pontas, 4 com as outras 2).
Coloque-o dentro de sua casa dentro de um vaso. Deverá trocá-lo anualmente, no dia dos seus anos.

Magia com sal para anular feitiço:
 
O que é preciso: 1 pano branco; 1 vela negra; 1 tigela de vidro; sal grosso; sal fino.
Na primeira noite de lua minguante, coloque a vela na tigela e ponha um pouco de água dentro (um dedo). Acenda vela negra e diga 3 vezes: "Lua de partida, leve os feitiços de minha vida"
Depois coloque dentro da tigela, à volta da vela, um punhado de sal grosso e diga, 3 vezes: "Com o cristal de sal, que se desfaça o mal".

Depois, sobre o sal grosso, coloque o sal fino, e repita 3 vezes: "Sal sobre sal, calor com calor, aquele que me fez mal, que sinta a sua dor" Deixe a vela arder até ao fim. No entanto depois dela se apagar ficará um pedacinho. Esse pedaço juntamente com o resto do sal, você o coloca dentro de um pano branco nunca antes usado. Fecha o pano dando-lhe 7 nós, e manda tudo para a água do mar ou do rio, pedindo para as “águas da justiça lhe tirar todo e qualquer feitiço”. Sai dali não olhando mais para trás.

“CULINÁRIA” MAGICA sempre a mão: o sal
 
O sal é aquele ingrediente “mágico” que ninguém pode dizer que não tem, que não sabe o que é, ou que é muito caro. Por isso a dona de casa pode ser uma grande feiticeira... mesmo que não seja grande cozinheira... Você pode optar pelo sal grosso ou marinho, no primeiro caso tem o inconveniente de arranhar a pele, no segundo tem a vantagem de conter elementos como iodo e magnésio que ajudam a relaxar e acalmar os ânimos.
Por isso... não esqueça o sal!

Sal Fino -  Utilizado para limpeza áurica em nível sutil.
Sal Grosso - Utilizado para limpeza áurica em nível denso.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Lidando com as Deidades


Como lidar com as Deidades, ou seja, como devemos nos portar diante dos Deuses, seja na hora de convidá-los para o círculo, para algum ritual, para uma oração, encantamento, enfim, é um texto base de como deve ser a nossa postura diante Deles.


Levando em conta que somos reflexos dos Deuses e que eles também são o nosso reflexo, não é de estranhar que eles tenham uma certa dose de fraquezas. Embora não sejam fraquezas do tipo que você possa imaginar, a verdade pura e simples é que eles gostam de ser louvados. Adoram ser entretidos. Amam convites formais para rituais e simplesmente adoram uma boa dose de bajulação. Mas tudo isso não é tão ruim assim! Nós também adoramos todas essas coisas.
Por isso é importante frisar que, quando lidamos com os Deuses, devemos dar a eles somente o que é do seu agrado. Afinal, como é que você pode esperar ser ajudado por alguém que não sabe o quanto você o aprecia? Pense bem a respeito disso e procure demonstrar o seu apreço.
Eis o trato: você não só deseja que os Deuses se alegrem ao ouvi-lo, mas também quer que o ajudem na hora em que precisar. E para isso é necessário que alguma forma de fascínio esteja atuando. Você precisa então de alguma coisa que os atraia e os fascine. Mas não precisa ser muita coisa! E a melhor tentação que conheço é certamente uma invocação apropriada ou um canto escrito em dísticos.

Os dísticos - uma forma de poesia na qual as duas últimas palavras, em cada par de versos, rimam - são fáceis de escrever. Você não precisa ser um poeta para isso nem precisa ter talento para a escrita. Tudo o que é necessário consiste em papel, algo para escrever, alguma ideia e um pouco de esforço. (E um bom dicionário de rimas por perto!) Ao trabalhar, por exemplo, com tentativas de proteção, você pode simplesmente dizer algo assim:

Deusa graciosa, proteja-me de todo mal visto e não visto!

No entanto, quando esta frase é trabalhada na forma de dístico, o requerente talvez possa ler algo assim:

Ó graciosa Deusa, ouça o meu pedido.
Proteja-me de todo mal conhecido e desconhecido!

O procedimento é muito simples. E a "simplicidade" é a chave para se compor dísticos de forma efetiva. Eles não precisam ser rebuscados e funcionam de maneira satisfatória por mais simples que sejam. Porém, lembre-se de não deixar que as palavras e as ideias o dominem. Pois o objetivo aqui consiste em fascinar e divertir. E não há nada mais divertido do que um ou dois versinhos!
Ao contrário de algumas deidades cultuadas por outros grupos religiosos, as nossas possuem um grande senso de humor. Elas adoram rir e brincar. E também gostam de vez por outra presenciar uma situação divertida, especialmente quando o episódio acontece com o outro. Eis por que você não deve ficar constrangido ou se envergonhar se, na hora de dizer uma invocação previamente ensaiada, começar a gaguejar. Encare a situação com todo o seu humor e siga em frente. Isto não servirá de obstáculo à sua magia e os Deuses continuarão amando-o da mesma maneira que antes. Talvez até um pouco mais.
 (A Arte, da autora Dorothy Morrison.)

Uma coisa que é importante salientar sobre os dísticos, é que eles dão o clima. Quando a invocação é feita em dístico, a mágica flui mais fácil, a atmosfera do lugar se torna mais propícia para que tudo dê certo. Seu ritmo nos transporta para outras dimensões e também são um ótimo caminho para que consigamos entrar em Alpha. Além disso tudo, eles são o caminho mais rápido para que seu encantamento dê certo e não se perca na hora!

Junior Nonato

A Conexão entre Sol e Deus

Dando continuidade na nossa lista de conexões dos satélites principais com os Deuses, nesta vamos ver um pouco sobre o Deus e as influências do horário solar em cada face Dele. O sol é masculino por natureza, ao contrário da misteriosa lua, sua energia é fácil e direta. Outra coisa que não possui em comum com a Lua e que devemos prestar bastante atenção na hora dos rituais, é o movimento solar. A lua possui um movimento quaternário, já o sol troca de fase várias vezes ao dia, nos possibilitando que uma infinidade de trabalhos mágicos sejam feitos. O sol também possui várias características e propriedades, fazendo com que possamos utilizá-lo (as vezes em conjunto com a lua) em quase todos os fins mágicos.
 
Retirada do livro A Arte, da autora Dorothy Morrison.

Nascer do Sol (Jovem Senhor / Sol Recém-nascido): O nascer do sol oferece uma ótima oportunidade para os esforços que envolvem começos, mudança e purificação. Ele também é benéfico para os trabalhos relacionados com novo emprego, amor e direção na vida. E também podem obter benefícios desta energia os problemas que envolvem renascimento da esperança e da confiança, saúde e até a cura de um coração partido.
Sol da Manhã (Jovem Senhor / Adolescente): Durante as horas matinais, a energia do sol se torna forte e ativa, de moto que os projetos que demandam construção, crescimento e expansão se beneficiam enormemente nesta fase. Ela também oferece a energia perfeita para expandir os aspectos positivos da vida, para resolver situações nas quais a coragem é necessária, e para juntar calor e harmonia à casa e aos relacionamentos. Utilize ainda esta fase para incrementos financeiros e jardinagem mágica.
 Sol do Meio-dia (Cornífero / Homem Verde): Ao meio-dia, o poder do sol atinge o seu ápice. Portante, esta ocasião é perfeita para os trabalhos relacionados com habilidade mental, saúde e energia física. E também é ideal para energizar cristais e pedras, e os instrumentos habitualmente utilizados nos rituais, como atames, turíbulos e caldeirões.

Sol da Tarde (Pai): À medida que o sol declina, sua energia torna-se naturalmente mais receptiva. Utilize-a então nos esforços que envolvem profissionalismo, negócios, comunicação e clareza. Esta energia também é excelente para os assuntos que têm a ver com descobrir, desbravar e viajar.

Pôr-do-sol (Ancião): Esta ocasião é excelente para todo tipo de coisa ou de trabalho que requeiram redução ou alívio. Utilize-a para remover estresse, ansiedade, confusão, carga pesada e depressão, e também para divulgar decepção e dieta.


Este foi o nosso guia solar, você deve ter percebido que o Sol contém muita energia, energia direta e poderosa que pode ser utilizada para quase - ou senão todas - todas as práticas e trabalhos mágicos. Existe também a possibilidade de combinar a energia solar com a energia lunar, é algo muito poderoso e requer que o Bruxo esteja familiarizado com ambas as energias, para conseguir trabalhar com as duas em conjunto.

Junior Nonato - Livro das Sombras

A Conexão entre Lua e Deusa


O satélite regente da Deusa é a Lua, em todas as suas fases. Cada uma de suas fases, crescente, cheia, minguante e nova, representa uma face da Deusa. Cada uma dessas faces possui personalidades e vibrações específicas, que, se usadas corretamente tanto na magia, quanto em outros assuntos, terá bons resultados. É por isso que eu considero essa lista muito importante, ela não é somente um complemento mais específico sobre cada uma das faces da Deusa.

 Retirada do livro A Arte, da autora Dorothy Morrison.


Lua Crescente (Donzela Luminosa): Quando a lua cresce em direção à sua fase cheia, nós utilizamos suas energias para todo tipo de coisa que requeira aumento, crescimento e incremento. Este é um ótimo período para trabalhos que envolvam novos começos, inspiração, novos amores, amizades, incremento nos negócios e prosperidade financeira. Esta lua também oferece condições favoráveis para a cura, incremento do vigor físico, desenvolvimento psíquico e plantio da horta e do jardim.

Lua Cheia (Mãe): A energia da lua torna-se mais potente quando ela atinge este estágio. Embora a utilizemos para impulsionar qualquer tipo de esforço, o seu real benefício consiste em dar acabamento às obras e às situações difíceis.


Lua Minguante (Donzela Sombria): Quando a lua sai de sua fase cheia, encaminhando-se para sua fase nova, utilizamos suas vibrações para qualquer coisa que requeira decréscimo ou eliminação. Esta energia atua com eficácia nos esforços que envolvem dietas, quebra de maus hábitos, eliminação do estresse ou da depressão e rompimento de padrões improdutivos de relacionamentos.

Lua Nova (Anciã): Alguns praticantes utilizam esta fase para descanso, regeneração e reagrupamento. Mas outros se valem das energias desta lua para trabalhos psíquicos, artes divinatórias, investigação de vidas passadas e problemas nos quais a verdade deve ser esclarecida.

Essa lista é o seu ponto de partida, com ela você tem a base para dar continuidade no seu próprio calendário mágico, efetuando os rituais lunares, como os Esbás, rituais pessoais, etc.

Junior Nonato - Livro das Sombras

O Deus: Jovem Senhor, Pai, Ancião




"Para o paganismo, existe um Princípio Criador, que não tem nome e está além de todas as definições. Desse princípio, surgiram as duas grandes polaridades, que deram origem ao Universo e a todas as formas de vida."

Assim como a Deusa, nosso Deus também faz parte da Energia Criadora, ele é o outro lado da moeda, enquanto a Deusa é o solo fértil, o Deus é o que deixa este solo fértil, um completa o outro. Sendo o lado oposto, o Deus é o regente do dia, seu símbolo é o sol e sua trindade se comporta de uma maneira um pouco diferente, enquanto a Deusa (alguns não o consideram dessa forma) possui sua trindade dividida entre as fases da lua, o Deus não as divide nas fases solares, mas sim em seus Solstícios, que chamamos de Sabbaths, em breve falarei um pouco mais sobre eles de uma forma mais aprofundada.
Sendo também uma divindade Tríplice, ele efetua um papel importante no Universo como consorte da Deusa e protetor da natureza e da vida selvagem. Possui vários nomes, mas é comumente conhecido como Cernunnos, é retratado de várias formas, a mais comum é a de um homem forte, representando a liberdade sexual que a Arte preza, bem como a luxúria e o prazer carnal, que para nós, não é pecado. Além de ser retratado dessa forma, ele também é visto como um Cervo, um de seus símbolos, o Gamo Rei, o que nos leva a ver uma peculiaridade em todas as formas que ele possa vir a ser retratado, seus chifres! Ele sempre nos será mostrado possuindo grandes chifres de gamo, representando a virilidade e a força masculina, a força que impulsiona o ato da criação juntamente com a Deusa.
Cernunnos é uma divindade muito intrigante para os leigos, como eu disse, nosso Deus possui chifres, e é daí que veio toda aquela história de que as bruxas cultuam o Diabo! Pelo simples motivo de nosso Deus possuir... Chifres! É uma comparação totalmente equivocada digna de pena.

Exatamente como ocorre com a Deusa, o Deus também tem muitos nomes e desempenha diversos papéis - sua função principal é a de ser o consorte da Deusa. Além disso, ele também é uma Divindade Tríplice e é comumente conhecido como Jovem Senhor, Pai / Cornífero / Homem Verde e Ancião. Por ser Onisciente e Onipresente, ele é o catalisador que impulsiona a força vital da Deusa e coloca o processo de criação em movimento. No papel de Jovem Senhor, ele é o cálido sol do inverno, a alegria dourada da infância e os flertes e prazeres masculinos da adolescência. Como Pai / Cornífero / Homem Verde, ele é o cervo viril das florestas, a semente fértil que ativa o verdejar da terra, e o Pai gentil que nos guia. Como Ancião, ele nos traz a voz da razão, a força do conhecimento e o poder da experiência.
Por ele ser o Consorte e o Amado da Deusa - e por causa dos diversos papéis que desempenha em nossas vidas -, sua presença é frequentemente invocada durante os rituais. Nessas ocasiões, ele fala por intermédio do sacerdote. Sua mensagem é comumente conhecida como "O Desígnio do Deus". (Livro a Arte, da autora Dorothy Morrison.)

Há toda uma história sobre Cernunnos ter caçado a Deusa e logo após selado compromisso com ela, o real significado da história é o ciclo da vida e morte que passamos todo ano, o ciclo dos Sabbaths e nos mostra o papel de cada um em determinada fase da Roda.
Os Desígnios do Deus

"Eu sou o eco que você ouve no seio da mata
E o calor do sol no seu rosto.
Sou o som eterno do marulho do mar
E o poder que se sente em cada recanto selvagem.
Sou o trigal a balançar com o vento
E a centelha que acende a fogueira.
Sou a paixão,  poder e o êxtase
Que se atinge no ápice do desejo.
Sou o esquilo a brincar no topo da árvore
E o cervo que corre selvagem e livre.
Sou o tropel dos cascos numa velha estrada
E a força do centenário carvalho.
Eu estou nas rugas do homem velho,
Estou na criança, jovem e forte,
Estou na alegria da união amorosa
E no beijo apaixonado, longo e demorado.
Sou o seu Amante, seu Pai e o Ancião.
Venha comigo, pois lhe ensinarei a Dança
Da mudança e das estações e a visão da tempestade
Da fertilidade, amor e romance.
Lembre-se sempre, minha criança, de ser feliz
E de ouvir a doce cadência da minha música.
Mantenha sagrado o meu reino e tudo que nele há,
E à noite, dance comigo."
(Livro a Arte, da autora Dorothy Morrison.)

Outros símbolos do Deus são a cor dourada, chifres ou galhadas, o veado, as cobras, as sementes, os grãos e a foice.

O Cornudo; O Rei da Colheita

Fala o Deus:
Sou o radiante Rei dos Céus, inundando a Terra com calor e estimulando a semente oculta da criação a se manifestar. Ero Minha lança brilhante para iluminar as vidas de todos os seres e, diariamente, despejar Meu ouro sobre a Terra, afugentando as forças  das trevas.
Sou o mestre dos animais selvagens e livres. Corro com o ágil alce e pairo como o falcão sagrado contra o céu cintilante. Os antigos bosques e lugares silvestres emanam Meus poderes e as aves do ar cantam Minha santidade.
Sou também a última colheita, oferecendo Meus grãos e frutos à foice do tempo para que todos possam se alimentar. Pois sem plantio não há colheita; sem inverno, não há primavera.
Cultue-Me como o Sol da Criação de milhares de nomes, o espírito do gamo chifrudo na floresta, a colheita infinita. Veja no ciclo anual de festivais Meu nascimento, morte e renascimento - e saiba que este é o destino de toda criação.
Sou a centelha de vida, o sol radiante, aquele que traz paz e descanso, e envio Meus raios de bênçãos para aquecer os corações e fortalecer as mentes de todos. (A Verdade sobre a Bruxaria Moderna, do autor Scott Cunningham.)

Este é o básico que você precisa saber sobre nosso Deus, é claro que existe uma infinidade de conteúdo mais aprofundado que eu gostaria de colocar nesse post, mas iria ficar extenso demais, então me limitei apenas ao essencial. Conforme o tempo for passando, eu vou voltar a postar mais coisas sobre os Deuses, só que aspectos isolados e separadamente, me aprofundando mais em cada post para ter um esclarecimento melhor sobre cada simbologia, historia, etc.

Junior Nonato